Fringe 4x09 - Enemy of My Enemy


David Robert Jones ainda vive.

E é com esse retorno de um dos piores vilões da história que Fringe começa a dar mais vida, corpo e sentido nesse universo, que de início não nos importávamos tanto, mas que agora queremos saber aonde cada situação vai dar.

Jones parece estar infiltrando seus shapeshifters em todo o lugar, a começar por Broyles. O chefe da Fringe Division provavelmente está ali pronto pra executar alguma ordem que mais tarde David ira mandar. Sendo um dos criminosos mais perigosos ele mostra que realmente não está de brincadeira e acaba causando muitas mortes de inocentes de uma vez só.

O problema mesmo é que até Nina Sharp está envolvida com Jones, ainda não sabemos se ela também é uma infiltrada, mas sabemos que ela está trabalhando em cima de Olívia pra algum evento maior no futuro. Episódios atrás nós vimos Nina dopar e aplicar cortexiphan  em Olívia durante as madrugadas e isso pode acabar causando uma conseqüência muito grave, já que é essa substância que ativou os poderes de Olívia quando criança.

Já Peter parece mesmo estar recebendo grande ajuda de Walternativo, que dessa vez se mostrou uma pessoa bem diferente da que conhecíamos no outro universo. Ele não está somente diferente como também está sendo enganado assim como Peter e todo o restante.

Walter agora começou a ter mudanças em relação a Peter. A visita de Elizabeth ao lado A foi crucial para que houvesse esperança pra algum tipo de relação entre os dois. Ambas as cenas entre Walter e Elizabeth e Peter e Walter foram de emocionar. A química entre John Nobel e Joshua Jackson é espetacular,  os dois parecem realmente ser pai e filho e isso a gente vê só no olhar.

Confesso que esperei mais do episódio, mas isso não significa que o achei ruim. O problema é que as promos estão sempre mostrando as melhores cenas de ação e quando chega ao episódio a coisa anda mais devagar. De conteúdo só posso dizer que está tudo muito bom e isso na verdade continua me preocupando, porque todos sabem que o destino de Fringe é incerto e com tantas tramas sendo criadas a essa altura do campeonato pode significar talvez um desfecho não satisfatório. Mas ainda prefiro apostar minhas fichas nos produtores e roteiristas que fizeram tão bem até agora.



O Glyph Code do episódio formou a palavra DEATH que em português significa MORTE. Por enquanto ainda é cedo pra saber no que está palavra está relacionada, mas a primeira pessoa que veio em minha mente foi Olívia. Vimos no episódio passado September dizer que ela deve morrer e que esse é o mesmo resultado em todos os universos. Basta agora aguardar, pois como nos códigos passados uma palavra complementou a outra a cada semana e pode acabar sendo assim agora.

PS: Alguém, assim como eu, também está curioso pra saber o que aconteceu com September? 
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment