One Tree Hill 9x01 - Know This, We've Noticed


Depois de oito meses de uma árdua e longa espera, a série que uniu os colaboradores do Freaks 4 Series finalmente retornou. Quando o relógio marcou 23:00 meu coração não tinha mais pra onde pular. Um misto de emoções: uma vontade imensa de chorar pelo começo do fim da série que eu tanto amo e uma alegria imensa por saber que ganhamos a chance de nos despedir.

O primeiro episódio da almejada nona temporada foi de uma leveza inspiradora, e é justamente isso que dividiu opiniões entre os intensos fãs da série. A incerteza de uma nona temporada deu ao 8x22 a missão de fechar todos os ciclos abertos até então e foi provavelmente esse fato que obrigou Mark a apostar numa premiere mais leve, na intenção de nos envolver com novas tramas.

As cenas dos primeiros minutos de "Know This, We've Noticed" já haviam sido liberadas pela CW alguns dias antes e por isso, não tivemos nenhuma surpresa. Essas cenas são um teaser do que acontecerá nos próximos episódios e se eu pudesse definí-las em uma palavra, eu escolheria drama, o que é uma coisa boa, visto que One Tree Hill sabe ter drama como nenhuma outra. Confesso que mesmo já tendo visto essas primeiras cenas antes, foi impossível controlar a emoção ao ouvir a voiceover do Nathan pronunciando uma citação que se encaixou perfeitamente com a música escolhida e ao clima 'dark' durante as imagens.

E Brooke Davis. Ah... Brooke Davis! Quando pensava que era impossível amá-la ainda mais, eis que ela surge como a melhor mãe de todos os tempos e mais linda do que nunca. Vimos que os fofissímos Jude e Davis (quero pra mim!), estão dando trabalho a ela e Julian, que quase não dormem ultimamente. A cena da Brooke saindo de madrugada com os gêmeos para dirigir pela cidade foi uma das melhores do episódio. Foi possível refletir sobre como nossa heroína amadureceu com o passar dos anos, passando de garota mais fútil a mulher mais forte e cheia de personalidade da série.

Haley e Nathan não precisaram aparecer juntos para protagonizarem aquelas cenas fofas que eu tenho certeza que todos nós sentimos falta. Mesmo pelo telefone, a sintonia do casal unanimidade de One Tree Hill consegue nos fazer sorrir. Quanto amor, quanta cumplicidade! Nesse momento também vimos que alguém claramente tentou entrar na casa dos Scott. Dan, talvez? Não sei, veremos.

O grande bafafá do episódio ficou por conta da aparição de Ted, pai da Brooke, como padrinho dos gêmeos. Muitos fãs não entenderam porque Brooke escolheria o pai que nem se quer veio ao seu casamento, como padrinho de seus filhos. A impressão que eu tive foi que Brooke acredita que ele possa mudar, assim como aconteceu com Victoria que surpreendeu no papel de avó. Espero que a participação dele seja válida e traga bons momentos para a nova fase de Brooke, além de muitas risadas na relação conturbada entre ele e Victoria.

E Chris Keller está de volta, mais Chris Keller do que nunca. O causador de problemas mais amado da série deu o ar de sua graça dessa vez para administrar a gravadora que andava um pouco esquecida. Parece que Haley, que deu uma chance a ele de permanecer lá, não vai se arrepender, já que o moço começou ajudando Alex com sua nova música. Me pergunto até agora como conseguimos ficar tanto tempo sem Chris Keller. A ironia do personagem é realmente divertida e o fato dele falar em terceira pessoa é mais ainda. Aposto uma bala que ele foi o maior causador de risos desse episódio, principalmente no diálogo com Alex.

Falando em Alex, ela e Chase apareceram se pegando na maior parte do tempo: Alex e Chase na cama, Alex e Chase se beijando, Alex e Chase se provocando. E só. Mouth e Millie nem se quer apareceram e eu achei muito bom, nem senti falta. Sem falar no Chuck. Espero que a mãe alcoólatra dele tenha cometido um homícidio e matado o próprio filho. Vamos torcer, rs.

Quinn e Clay vão ter problemas nesse episódio. Parece que Clay está com sonambulismo e acorda todo dia em algum lugar. Por isso, Quinn também perde suas noites de sono se preocupando com o namorado. Achei a historinha deles meio boring e espero que o desenvolvimento seja melhor construído daqui em diante.

Incrivelmente, os pontos mais altos do episódio foram aqueles que contaram com a participação de Dan Scott. Eu não sei vocês, mas pra mim, ele é um dos personagens mais bem definidos de One Tree Hill: por vezes, morremos de raiva do que ele faz e outras vezes, sentimos pena. No final, cheguei a conclusão de que ele só comete mais erros tentando concertar aqueles que cometeu no passado e é isso que o torna tão amado e odiado ao mesmo tempo. Depois da lanchonete ter pegado fogo, Dan não teve outra saída a não ser pedir a Haley para passar alguns dias na casa dela e do filho. E que cena! Senti vontade de enforcá-lo por ser tão cara de pau e ao mesmo tempo senti vontade de abraçá-lo e dizer "calm down Dan, everything is gonna be ok". A cena dele com Lydia no quarto, nos minutos finais, foi de arrepiar. Será que ao ver aquilo o coração de Nathan vai amolecer ou ele vai ficar ainda mais furioso? É o que veremos.

Agora, aos fãs de One Tree Hill, eu peço encarecidamente: gastem menos tempo criticando e mais tempo aproveitando cada sagrado minuto dessa temporada. Quem acompanha desde o começo, sabe que a série não é mais a mesma e não adianta esperar que um milagre aconteça na nona temporada. Quero dizer que se nós ficarmos procurando motivos para não gostar, nós com certeza encontraremos. Agora, qual é o ponto? Terminar a temporada dizendo por aí que preferia que ela não tivesse acontecido ou poder agradecer por termos sido privilegiados com a chance de dizer adeus? Tivemos lindas homenagens no twitter, todo o elenco se despediu das gravações e agradeceu aos fãs pelo apoio. Acho que chegou a nossa hora de agradecê-los por terem sido fundamentais na conquista dessa temporada e por serem nosso espelho, dentro e fora da TV. Vamos abraçar esses doze episódios que restam e procurar neles, um por um, motivos pelos quais nós amamos essa série. "There's only one Tree Hill, and it's your home".

Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment