One Tree Hill 9x03 - Love The Way You Lie

O que fazer quando o final é a melhor parte do episódio e mesmo assim todos nós queríamos que ele não tivesse acontecido?



Se eu tivesse que definir este episódio em uma frase seria esta "até que ponto você estaria disposto a perdoar alguém?" Isso porque perdoar nunca é fácil, ainda mais quando esta pessoa te magoa e faz alguma coisa que nem você, e nem a sociedade aceite. Então falar deste episódio para mim pode não ser fácil, já que eu fui uma das que mais defendi a renovação da série, mas em algum momento One Tree Hill se perdeu, e se perdeu feio. Nos primeiros minutos nem parecia aquela série que me fez aprender que os amigos são pessoas importantes, que minha alma gêmea está em algum lugar, que devemos lutar pelos nossos sonhos, entre tantos ensinamentos que a série nos proporcionou durante anos. Por isso levei um choque quando assistia as cenas de comédia protagonizadas por Chris Keller e Julian Baker. Não que eu não tenha rido (e gargalhado) com o grito do Chris e com a dança esquisita de Julian, mas na última temporada, faltando apenas 10 episódios, estas cenas deveriam ser a exceção e não a regra.

Se de um lado tivemos mais momentos cômicos, do outro só recebi decepção. Como dar mais atenção a um personagem secundário que nem o Chuck e deixar de lado os protagonistas? Como ver Haley defendendo Dan, depois de tudo que ele aprontou? Tudo bem que as pessoas mudam, que todos nós podemos fazer alguma coisa errada e depois nos readmitir, mas esquecer de tudo, como se nada tivesse acontecido não é uma atitude que eu aprovaria. Eu mesma já me vi muitas vezes perdoando o Dan, mas há uma grande diferença entre perdoar e consentir com as atitudes de alguém. E foi isso o que realmente pareceu para mim, que a Haley aceitou o Dan como se ele tivesse apenas se ausentado da família por simples capricho, e não porque tirou a vida do próprio irmão. Mas como eu disse, ainda acho que esta história irá render muito.

Se por um lado a Haley estava passando por esta situação, sua sócia, Brooke, estava tentando uma reaproximação com seu pai, este que nunca esteve perto da sua filha, que nem apareceu no seu casamento e que parece estar tentando aplicar um golpe nela. A Brooke pode ser muitas coisas, mas burra e nem boba ela é. Então porque faze-la de trouxa? A Brooke que nós conhecemos e nos apaixonamos não é assim. Ela não precisa ficar correndo atrás do pai dela que nem cachorrinho que precisa de atenção. Quem precisa correr atrás é o pai dela, isso sim.


Clay e Quinn está começando a esquentar, mas nada que possa ser considerado como uma excelente história. Nós sabemos muito bem que quando a droga entra nos seriados, ela tem que ser bem introduzida na história, e é justamente isso o que está faltando, porque ninguém entra nas drogas de um dia para o outro, e a justificativa de que é tudo por causa do tiro não cola mais. Clay não é uma criança, não é mais o mesmo cara que perdera a esposa daquele jeito, aquele rapaz por quem eu me apaixonei. Ele está cada vez mais chato, distanciando-se daquilo que ele tanto prezava. Agora é só esperarmos para ver se a história dele será bem contada ou poderia muito bem nem existir.

Mouth e Millie continuam figurando na série. Ri bastante com a histeria da Millie, mas também acho exagerado a forma como isso esta sendo contado. A moça ficou famosa por estar fora dos padrões de magreza e fica "condenando" o seu namorado. O mesmo para Chase, que de uma hora para a outra decidiu virar garoto propaganda, já que ele aparece ou de cueca ou desfilando na série. Detestei a aproximação dele com o Chris e a forma como retiraram a Alex da história. Por mim o Chase deveria ter ido embora com ela e levado junto o Chuck. Na verdade, se o Chase não quisesse sofrer tanto, deveria ter escutado o Nathan na sexta temporada "Se você encontrar um Chris Keller, primeiro bate, depois pergunta". Se ele tivesse escutado este conselho, a vida dele poderia estar um pouco melhor. Gabriella Siggia acredita que esta temporada é do Chris Keller, afinal só existe um Chris Keller e ele está em Tree Hill, e todos nós amamos falar na 3ª pessoa.

Agora o que realmente salvou o episódio do fracasso foi o momento que todos nós vimos Davis na ambulância, com resgates, policiais e o carro do Julian todo danificado, já que o pai esqueceu o seu próprio filho dentro do mesmo. A cena foi muito bem colocada. Não irei condenar e nem defendê-lo, mesmo sabendo disso antes da série iniciar a última temporada, achei desnecessário colocar o Julian nesta situação, mas compreendo o que o Mark fez. Muitas pessoas acabam agindo por imprudência, muitas por conta do stress, outras por simplesmente relaxo, e todo mundo sabe que o Julian não se encaixa em  nenhuma das situações. Ele simplesmente agiu por culpa, uma culpa que irá acarretar a vida dele, de seu filho e da sua esposa por um bom tempo. Será condenado pela sociedade? Provavelmente. Os fãs odiaram? A maioria, sim. Agora não cabe a nós julgá-lo, mas sim torcermos para que dê tudo certo e que em breve a família Baker estará rindo desta situação toda e mais unida possível.

Share on Google Plus

About Gabriella Siggia

Formada em Direito, eterna estudante, bem humorada, alto astral e alegre, mora em São Paulo. Viciada em músicas, filmes e seriados americanos. Seriemaníaca de carteirinha! Mantém um blog pessoal em : http://gabyscseries.blogspot.com/ (@gabyever)
    Blogger Comment
    Facebook Comment