Glee 3x12 - The Spanish Teacher


Tecla SAP, por favor.

Por onde começar? Tenho tanta coisa para falar deste episódio que nem sei direito por onde começar. Bom, vou começar pela participação (mais sexy) que tivemos em Glee: Ricky Martin. Sei que muitos nem sabem quem é este cara, mas não importa, é só jogar no Google o nome dele para vocês sabem que ele é o cantor latino mais famoso e gay dos últimos tempos. Ricky Martin participava do grupo "Menudos", o bsb e n'sync da época. Isso mesmo gente, eu era fã dele, digo, não o conheci nos Menudos, mas virei fã quando ele iniciou a carreira solo e participava dos programas do Gugu e Faustão. Além de cantar muito bem, o cara ainda é lindo! E seu sorriso colgate (isso é fala dele), Ricky Martin chegou à Glee nos contagiando.

E adivinha quem foi o responsável por trazer Ricky Martin ao coral? Sim, o mala sem alça do Will. Gente este personagem me irrita profundamente. Como um professor quer ensinar a sua classe de espanhol se nem falar direito ele fala? E o pior: não existe homem mais inseguro na face da terra que nem o Shue. E toda insegurança começou porque Santana, anonimadamente, o denunciou para o Diretor Fings, dizendo que Shue não aparenta muita segurança ao ensinar os alunos espanhol. 

E assim Glee nos apresenta um episódio totalmente sem noção, com músicas que mesclam espanhol com inglês. Sério gente, as músicas foram simplesmente insuportáveis. Nem as dancinhas sexys de Ricky Martin ajudaram. Cheguei também na conclusão de que foi por conta das músicas bregas que nenhum Idol Latino conseguiu ganhar o programa nos EUA, por isso Jennifer Lopez pare de tentar colocar estes latinos no programa. 

Agora a parte da história que realmente me agradou. Amei a Sue tentando engravidar. Por mais clichê que seja, a história é bem mais interessante do que vermos Sue Silvestre tentando destruir o Glee Club ou se candidatando a um cargo político em Ohio. Eu me diverti com as tentativas da treinadora em conseguir um esperma, principalmente do Will. E me emocionei com o discurso que ela deu para Emma. Falando na ruivinha, amei a sua iniciativa com os panfletos. Por mais que seja ridículo, a moça continuou firme com seu posicionamento, não se importando com a opinião dos outros. Chupa esta Will. 



Confesso que também estava com saudades da Treinadora Beiste. Infelizmente ela só apareceu em duas curtas cenas, mas o suficiente para divertir. Já o novo casal Sam e Mercedes ainda continuam divididos e nos flertes. Parece que o beijo significou mais do que Mercedes queria e graças a Emma, os dois ficaram um dia sem se falar, só para perceberem se realmente se amam ou se é só uma fase da adolescência. Nem preciso que dizer que me matei de rir com a tentativa do Sam em colocar "Mercedes é cheirosa" nos trends? Ótima sacada dos roteiristas em colocar um assunto da moda e da atualidade. Agora é só esperarmos para ver no que resultará este casal.

Falando em casais, está cada vez mais nítido que talvez Finchel acabe. Amei a Rachel contando tudo para Kurt e Mercedes, pedindo segredo e tudo mais. Ainda mais com ela dando um discurso sobre como a vida dela não existe mais sem Finn e que ele e seus sonho de ir para NY estão relacionados. E tenho que dizer que quase aplaudi em pé o discurso de Kurt para Finn, dizendo que o rapaz é único, que precisa acreditar mais em si do que ser aquele que levantará o tapete vermelho para Rachel. Só espero que este perdido Finn se ache logo e perceba que seu sonho de casar com a Rachel depende dele se aceitar como artista.
Share on Google Plus

About Gabriella Siggia

Formada em Direito, eterna estudante, bem humorada, alto astral e alegre, mora em São Paulo. Viciada em músicas, filmes e seriados americanos. Seriemaníaca de carteirinha! Mantém um blog pessoal em : http://gabyscseries.blogspot.com/ (@gabyever)
    Blogger Comment
    Facebook Comment