Grey's Anatomy 8x16 - If Only You Were Lonely

Rumo à temporada perfeita.

Vai parecer repetitivo, mas Grey’s Anatomy fez outro ótimo episódio. Estamos no episódio 16, mais da metade da temporada e a série mostrou até agora só episódios de bom para ótimos, variando para alguns medianos, como pro exemplo o de dia dos namorados.

O episódio teve tudo o que a série sabe fazer de melhor. Não faltou drama, tanto dos pacientes quanto dos personagens principais e ainda muitas cenas de comédia.

Mais uma vez o destaque pra essa pegada cômica ficou com Mark. E não faltaram piadinhas do cara para incentivar Avery a arrumar uma garota para aliviar a tensão com sexo. E quase sobrou pra April essa difícil função. Mark estava tão canastra que até fez citações em espanhol, mostrando pra Derek que é preciso ultrapassar as barreiras culturais. Preciso dizer que ri muito nessa cena? Acho que não.

Além de Mark, Bailey também ficou nessa pegada cômica e por mais que sua participação no episódio tenha se restringido apenas a ensinar Derek a pentear o cabelo de Zola, pelo menos pra mim valeu a pena. Prefiro ver Bailey nessa temática do que a vendo ser desperdiçada num drama romântico que ninguém se importa.

Já Meredith estava possuída por causa dos bons resultados dos métodos de estudo de Callie. No momento o foco da personagem se mantém apenas na vida profissional já que na pessoal está tudo a mil maravilhas e espero que continue assim por um bom tempo. Meredith e Derek já sofreram o que tinham que sofrer e forçar um drama pra eles agora pode acabar sendo ruim.

Falando em drama, o caso envolvendo a interna de Karev foi bem comovente. Confesso que não dava nada por essa trama na semana passada e não pensava que teria continuidade. O dilema de pais que são médicos e sabem todas as más estatísticas do paciente foi bem interessante. Essa trama trouxe um Karev mais humano e acho que talvez ainda role algum envolvimento entre ele e a interna, coisa que não me agrada muito. Shonda Rimes vive jogando o personagem pra esses lances amorosos que depois não dá em nada, deixando o persoangem cada vez mais raso e sem um profundo desenvolvimento, porque depois desses desastrosos relacionamentos o velho Karev (egocêntrico e pegador) sempre volta.

Mas o que me emocionou de verdade foi o drama de Richard. O Alzheimer de Adele está cada vez pior não restando alternativa para ele a não ser interná-la em uma casa de repouso.  Meredith recomendou a casa onde Ellis viveu por muitos anos e quero dar os parabéns a produção que fez a questão de focar no lugar onde havia duas cadeiras, exatamente onde Meredith conversava com a mãe, causando aquela sensação de nostalgia.


Ao contrário do drama de Richard, o drama de Cristina e Owen já está me irritando. Não gostei de ver Cristina no papel de esposa desconfiada e provavelmente traída. A Cristina que a gente conhece, ia chorar de raiva ou tristeza, mas depois ia se recompor e querer mais do que nunca ser uma ótima cirurgiã ao invés de ficar pelos cantos do hospital vigiando uma suposta amante do marido.

Outra coisa que também não me importo é o rancor mortal que Teddy anda mantendo por Owen. Chega a soar infantil, tornando a personagem mais uma vez irritante e inútil. Hoje a função dela é somente odiar o ex-melhor amigo. 

Uma coisa que eu espero é que não mantenham essas duas tramas até o season finale, pois se não vão estragar o que foi construído até aqui. 
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment