Freak's Diaries - One Tree Hill


Olá, leitor! Os colaboradores desse blog decidiram pirar e inspirados no desafio que o Well propôs para a Gabi e a Rebeca, decidimos dar uma série para cada membro da nossa equipe. Então, dando continuidade a coluna que a querida Gabi iniciou, aqui estou para escrever sobre: One Tree Hill – a terceira temporada.


O meu desafio inicialmente era Breaking Bad, mas como eu estava gostando da série e a Rebeca não gosta muito de mim (além do povo do blog ser louco por OTH, menos eu a Isabela), decidiram me fazer assistir todas as 9 temporadas dessa loucura adolescente. Para minha sorte, já havia acompanhado as duas primeiras temporadas.

O motivo que me fez parar no final da segunda temporada foi simples: Jake. Eu não aguento este ser insuportável e quase abandonei OTH de novo no final dessa terceira temporada. Mas graças a Flavia, decidi terminar a temporada. É claro que eu não vou dizer se eu to gostando ou não da série (fazer mistério sempre é bom, né Gabi?), mas alguns pontos eu vou levantar abaixo.

A série tem bons personagens e acredito que é esse o motivo que fez a série ter nove temporadas, já que havia boatos de seu cancelamento desde a quinta ou sexta temporadas (sim, quando eu começo algo pesquiso de tudo, não consigo simplesmente assistir, tenho que saber de todos os aspectos da série). Se eu tivesse que escolher meu personagem favorito até o 16º episódio seria Dan, mas no geral sou #TeamBrooke (sorry, Rebeca e Flavia). Ri muito quando ela foi pega se “brookiando” naquele episódio em que todos decidem ir para a casa de campo da Rachel.


A história mais chata da temporada foi a de Peyton, mas tenho que dizer que me emocionei bastante quando ela vê a mãe morta. Peyton bem que podia ter dado uma de Romeu e Julieta e se matado ali, daí vinha o Lucas procurar ela e se mata também, seria um sonho realizado. Outra pessoa que não gosto é Cris Keller e como ele foi trazido de volta para a série. Como assim o Nathan traz o cara que beijou a mulher dele para trabalhar com ela? Aff. Tiro no pés dos produtores.

Pior episódio: 3x20 – Everyday Is A Sunday Day (pela volta do Jake)
Melhores episódios: 3x12 – I’ve Got Dreams To Remember (lembra muito do meu tempo de ensino médio e sobre os desafios da vida) e 3x16 – With Tired Eyes, Tired Minds, Tired Souls, We Slept (dispensa comentários)

Devo dizer que estou curioso para saber o que aconteceu com a Rachel, que eu comecei a gostar nestes últimos episódios, e acho muito fofo o casal Naley. Mas por hoje é isso, nos vemos assim que eu terminar a quarta temporada.

PS: Melhor frase de início de episódios, é:

"Does this darkness have a name? This cruelty, this hatred. How did it find us? Did it steal into our lives or did we seek it out and embrace it? What happened to us? That we now send our children into the world like we send young men into war, hoping for their safe return. But knowing that some will be lost along the way. When did we lose our way? Consumed by the shadows, swallowed whole by the darkness. Does this darkness have a name? Is it your name?"

Share on Google Plus

About Armando Wunsch

Formando em Comércio Internacional, se apaixonou por séries depois de assistir o piloto de Ugly Betty na Sony. Desde então seu entusiasmo por seriados só aumentou. Fã convicto de Grey’s Anatomy, Modern Family e The Good Wife, acompanha mais de 20 seriados semanalmente (na Fall Season). Já deixou muitas vezes de estudar e trabalhar para assistir seriados. Apaixonado por música, chocolate, Big Mac e coca-cola, sonha em ganhar na mega-sena para não precisar mais trabalhar. (@_wunsch)
    Blogger Comment
    Facebook Comment