The Walking Dead 2x11 - Judge, Jury, Executioner



"A humanidade não se divide em heróis e tiranos. As suas paixões, boas e más, foram-lhe dadas pela sociedade, não pela natureza." - Charles Chaplin

Essa é a frase que, para mim, define o antepenúltimo episódio da série, “Judge, Jury, Executioner”.

Nele, vemos a luta entre a razão, de certa forma o conservadorismo das ideias, presentes na “humanidade” do Dale, e a luta pela sobrevivência, representada pela decisão de todos os outros personagens que decidiram matar Randall. É algo que se estende por todo o episódio, onde Dale tenta convencer os outros a evitar tirar uma vida de alguém que ainda não se transformou em zumbi.

Gostei bastante do foco que deram ao Dale nesse episódio, mas eu acredito que ele poderia ter sido um personagem melhor desenvolvido antes de morrer. Ele sempre foi um personagem um tanto quanto secundário e deixado de lado(não mais que o T-Dog, claro), e quem sabe se tivesse aparecido mais, nós sofreríamos mais com sua morte. Apesar de não podermos negar que o ator, Jeffrey DeMunn, fez um ótimo trabalho, passando toda a dramaticidade necessária na cena, nos fazendo ter pena do seu personagem até a hora em que é sacrificado com um tiro de Daryl.

O final do episódio foi uma sacada interessante dos produtores da série. Dale era fraco do ponto de vista de sobrevivência e segurança, por priorizar o lado humano ao invés do instinto de sobrevivência. Suas ideias poderiam prejudicar e muito o grupo. Ao matar a “humanidade” do grupo, podemos pensar que, dependendo da situação, esse “lado humano” pode acabar te destruindo. E se tudo muda? Será que ainda é errado matar e torturar para se sobreviver?

Outra coisa que me chama a atenção nesse episódio, é a mudança de Carl. Antes uma criança que brincava com Sophia e só pensava em se divertir, agora começa a amadurecer cedo demais. Desde observar o prisioneiro no celeiro, até responder de forma cruel para Carol, podemos ver que ele está deixando de ser criança do modo errado, o que pode trazer consequências no futuro. Quem já leu a HQ, sabe o que pode acontecer com uma criança que cresce nesse mundp.

Foi um bom episódio, que desenvolveu bem alguns personagens(Dale, Carl, e um pouco do Daryl), mas algo que me irrita na série é o foco que eles dão a algumas pessoas, deixando outras de lado. Além disso, faltam zumbis nessa temporada(bem presentes em somente três dos onze episódios), coisa que era primordial na primeira, quase não aparece na segunda, deixando a série com cara de novela mexicana, ao invés de drama apocalíptico.

Agora fica a expectativa: Carl se tornará um homem cruel e frio? Rick deixará de ser molenga e vai finalmente entrar de cabeça nesse mundo? T-Dog vai fazer algo que presta? De quem é o filho da Lori? Essas e outras respostas, somente nos próximos episódios de The Walking Dead!
Share on Google Plus

About Bruno

Apaixonado por séries e por tudo que é novo e diferente, infelizmente não tem mais tempo para ser um seriemaníaco, desde que vendeu a alma para a faculdade. Faz faculdade de Biologia, e tenta ao máximo conciliar o curso com suas séries e, principalmente, seus realities. Começou com Harper's Island por recomendação de um amigo, e desde então não parou. Tenta manter pelo menos uma série/reality por temporada, mas nem sempre é possível, já que seu interesse por ficção e séries diferentes nem sempre é preenchido. Além disso, gosta de ir ao cinema pelo menos uma vez por semana, e assiste alguns animes quando consegue acompanhar. (@bkaozzz)
    Blogger Comment
    Facebook Comment