Fringe 4x21 - Brave New World (Part 1)


Era ele por trás de tudo desde o início.

Willian Bell está vivo! O Glyph Code da semana passada mostrou a palavra ALIVE, e a partir daí eu já comecei a fazer minhas apostas de que ele voltaria nesses últimos episódios. E não demorou muito pra que Walter desconfiasse disso também. Ele como um bom/ ótimo cientista, reconheceu rapidamente que os tais nanites não poderiam ser obra de Jones e que a estrutura de como eles foram feitos só poderiam vir de Bell.

Willian Bell assumiu o papel de grande vilão da série. Confesso que em suas primeiras aparições não achava que ele fosse capaz de fazer o mal, mas sempre duvidei de suas intenções por causa de sua mente de cientista, que sempre procura coisas novas pra explorar.

E o complexo de Deus que Bell tem também ajuda a construir todo esse cenário. Antes pensávamos que tudo vinha da mente de Jones, mas ele era apenas uma peça do tabuleiro. Bell explica isso quando diz sobre sacrificar o “Bishop – Bispo” do tabuleiro. O que Jones não imaginava era que o “Bispo” do tabuleiro era ele mesmo.

Assim como Olívia e companhia ficaram tentando imaginar o que a morte daquelas pessoas no início do episódio teria haver com o fim do mundo planejado por Jones (que agora a gente sabe que foi por Willian Bell), também fiquei com essa curiosidade.  Fazer aquelas pessoas entrarem em combustão usando os tais nanites só serviu mesmo pra chamar a atenção da Fringe Division.

Bell é muito inteligente e tudo o que ele fez até agora me faz pensar que foi milimetricamente calculado. Creio que até a chegada de Olívia e Peter no local onde estavam as duas antenas que controlavam os satélites e poderiam destruir toda Boston também foi pensado por ele. Tudo pra ativar os poderes de Olívia.


E é aonde chegamos pra falar do Glyph Code dessa semana. A palavra POWERS (PODERES) está obviamente ligada aos poderes de Olívia. Ninguém sabe o que ela pode fazer com eles, mas está claro que eles são grandes. A cena em que ela se concentra e consegue guiar os movimentos de Peter na luta contra Jones foi ótima. E com essa ativação dos poderes de Olívia que começou desde o episódio 4x14 – The End of All Things é que Bell pode querer concluir seu grande plano.

Há especulações de que ele pretende tomar o corpo de Olívia novamente depois da ativação máxima desses poderes e assim se tornar realmente uma criatura poderosa, como um deus na verdade. Não posso confirmar isso, mas em Fringe nada é impossível.

Falando em Olívia, não podemos nos esquecer de dizer que o futuro do episódio 4x19 – Letters of Transit já está sendo construído. Ela já está grávida, tirando a dúvida de muitos em relação a idade de Etta no episódio de 2036. Olívia não fala “I’m pregnant” em nenhum momento, mas pra bom entendedor, meia palavra basta. Só o fato de ela querer um berçário já diz tudo.

Uma curiosidade interessante veio com a experiência que Walter fez pra conseguir as impressões digitais de Bell em um dos registros do St. Claire. Descobrimos que cortexiphan é regenerativo, ou seja, mais uma grande habilidade de Olívia. Na mesma hora fiquei imaginando no corte de seu dedo, mas nada em relação a regeneração foi mostrada, apenas uma cena cute de Olívia e Peter conversando sobre o futuro.

O engraçado é que vejo muitos reclamando do romantismo na série, mas se as histórias não tivessem esse lado humano qual seria a graça? Por que nos importaríamos com essas pessoas  se elas fossem simplesmente robôs fixados na ciência. Toda humanização dos personagens fazem a série ficar mais interessante. A única coisa que me incomoda um pouco é precisarem colocar um mega vilão para que as situações extremas de ameaça contra o mundo tenham uma justificativa. Confesso que ficava mais empolgado quando a justificativa era a vingança de Walternativo, o que tornada tudo mais compreensível.

A seqüência final do episódio foi muito empolgante. Quem aí não gostou de ver Astrid em ação de verdade pela primeira vez? Ela sai escoltando Walter e dando tiros pra se defender dos capangas de Bell, até que leva um tiro. Nessa hora fiquei muito preocupado com a possível morte da personagem, mas lembrei do episódio 19 e respirei aliviado, pois ela também está nesse futuro.

O encontro entre Walter e Willian Bell será uma das coisas mais épicas da série. Como vimos, Walter está num hangar onde se encontram as tais criaturas desenvolvidas por Bell para repovoar um novo mundo. Com certeza esse final de temporada vai ser épico e começo até ficar com medo disso, por que minhas expectativas estão altíssimas e o risco de me decepcionar fica cada vez maior.

Pra finalizar, quero compartilhar uma teoria com vocês. Uma teoria que veio a minha mente e que também andam especulando em alguns outros fóruns e blogs. Willian Bell pode estar querendo criar um novo mundo com novas criaturas projetadas por ele, eliminando a raça humana e tomando o corpo de Olívia, se tornando Belivia, uma coisa que já vimos na série antes.

Tudo isso porque ele sabe que no futuro os Observadores irão dominar tudo, não me perguntem como ele sabe disso, mas em Fringe tudo é possível e pra tudo tem uma resposta. E mesmo Bell não sabendo desse domínio, ele sabe pelo menos que os Observadores são seres especiais, quem estão em toda a parte e em qualquer época e isso já é motivo suficiente para que ele queira impedir esse desenvolvimento.

PS: Leonard Nimoy consegue ser tão feio quanto Jarried Harris (Jones).  Como não se espantar com uma figura dessas?

PS²: Alex, Walter. Really?

PS³: Dessa vez vou deixar a promo do próximo episódio, só pra deixar a galera mais ansiosa ainda. Assista abaixo:

Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment