The Good Wife 3x22 - The Dream Team (Season Finale)



Surpresa!



Ainda estou tão extasiada pelo nível de diálogos, histórias e atuações desse episódio e dessa série que nem sei por onde começar. A verdade é que The Good Wife conseguiu fazer mais uma vez uma finale primorosa e nos deixar ansiosos e cheios de perguntas até setembro.

Comecemos então pelo "Dream Team" de quem eu já esperava coisa boa mas que conseguiu superar ainda mais as espectativas. Se separados eles já eram ótimos de ver, juntos então formaram mesmo o time dos sonhos, só que não para  Lockhart/Gardner. Patti Nyholm continua usando sua desculpa de mãe, ri demais todas as vezes que a filhinha dela (a nova associada) passava no carrinho pela empresa ou dela atiçando o Will e jogando na cara sempre que ele estava sem poder advogar. Louis Canning como sempre usando da sua condição para atrair simpatia, acabou sobrando ao pensar que conseguiria alguma vantagem sobre o juiz cadeirante.


Os dois se uniram depois de perder uma causa onde o juiz (suspeito no caso de suborno do Will) foi a favor da L/G e ainda decidiu por um valor de indenização bem maior, tava tudo suspeito demais mesmo e eu fiquei tensa durante o episódio inteiro achando que dessa vez não tinha como nossos protagonistas escaparem. Mas acabou que as ameças e todos os depoimentos memoráveis: Will, Kalinda, Alicia e por fim o do Peter que foi relevante para se livrarem da acusação e para o futuro da carreira dele como governador também, foram só uma distração para roubar um dos maiores clientes da firma. "Ops" como disse Will, a situação que já estava complicada só piorou e aposto numa Lockhart/Gardner em contenção de despesas na próxima temporada.

Eli apareceu pouco, mas teve umas cenas memoráveis, a começar pelo encontro super estranho na porta do elevador, aliás TGW estava numa vibe Grey's Anatomy nesse episódio porque os constrangimentos nesse pequeno transporte foram notáveis. Mas a boa forma do personagem vem mesmo quando se metem nas suas campanhas, simplesmente amei a chamada que ele deu na Jackie, mostrando que sem a Alicia a carreira politica do filho não é nada. Forçou a velha a pedir desculpas para a nora que diga-se de passagem, assim como eu ainda não acreditava muito nessa doença dela (foi lindo Alicia dizendo que ainda ia processa-lá). 

Porém a história mais intrigante mesmo fica por conta da Kalinda e seu marido, de quem só conhecemos a voz, mas já sabemos que coisa boa não vai ser. A reação dela em fugir rapidamente só serviu para realçar isso e é incrível como a personagem mesmo após três anos continua sendo um completo mistério. Depois de marretar a parede do apartamento (momento desnecessário, mas excelente) para pegar armas e dinheiro, ela acabou desistindo de fugir por causa da Alicia, o cara já tinha descoberto o nome da advogada e até seu número residencial, prova de que ela realmente gosta da Alicia e não está disposta a ver os outros pagarem pelo seus erros.

E agora como ficamos? Como será esse marido da Kalinda e mais importante como acontecerá o embate entre eles? Como fica a campanha do Peter agora que ele admitiu no depoimento que ele e Alicia estão separados? Como fica a L/G perdendo um dos maiores clientes? E Alicia, vai acabar cedendo e voltando pro marido? Aquela cara dela olhando a família no final só confirma ainda mais a falta que sente e que apesar de tudo ainda gosta do marido. Nos resta esperar e torcer que setembro chegue logo, até lá.

P.S - "I'm not gay, I'm flexible." - Kalinda Sharma
Share on Google Plus

About Rebeca Barros

Sarah, we make a family, yes? (@bkbarros)
    Blogger Comment
    Facebook Comment