Freaks Look: Saving Hope



Quem são as pessoas por trás dos médicos? Será que eles são capazes de colocar sua sensibilidade a frente de sua ciência? 

Quando a promo de Saving Hope foi divulgada, os primeiros comentários a respeito da série canadense da emissora CTV, não passavam de boatos e comparações com outros dramas médicos de grande sucesso como Grey's Anatomy e Private Practice. Quem conhece o universo seriador sabe que essa fórmula está ficando um pouco enjoativa, e, arriscar-se a lançar as fichas em mais uma série adaptada nesse cenário é, de fato, uma aposta perigosa. Apesar disso, a começar pelo elenco, Saving Hope já vinha mostrando motivos relevantes para que as pessoas criassem essa curiosidade de ao menos, assistir o piloto: Erica Durance e Michael Shanks já atuaram juntos em Smalville, deixando aquele gostinho de quero-mais-agora e Daniel Gillies (The Vampire Diaries), além de ser um ator sensacional, é um pedacinho do paraíso materializado na terra. 

A história principal é focada no casal de médicos Alex (Erica) e Charlie (Michael) que vivem uma relação profissional dentro do hospital e estão prestes a se casar. No dia do casamento, eles sofrem um acidente que deixa Michael em coma e abala o emocional de Alex. Acontece que o médico passa a viver uma experiência fora do corpo e começa a vagar pelo hospital, observando a si próprio durante o coma, enquanto é capaz de conversar com pacientes que morreram e acompanhar o sofrimento de sua quase-esposa. Joel (Daniel) também é um dos médicos mais importantes do hospital e, embora ainda não tenha sido muito bem explicado, parece ter vivido um relacionamento anterior com Alex. Desde o acidente, é ele quem passa a cuidar dos pacientes que eram de Michael, tomando uma outra atitude diante dos doentes que encontra.

Pois bem, o desafio que surge para Alex é o de seguir com seu trabalho enquanto tem que lidar com a angústia e a falta de previsões sobre o estado do homem que ama. Talvez esse seja 'o ponto' que mais me tocou: nem mesmo a um próprio médico, a medicina, suposta ciência que tudo sabe, é capaz de fornecer certezas, é preciso ter fé em algo acima de nós. Alex é obrigada a encontrar em seu próprio trabalho, a esperança. Quando consegue salvar uma vida, é como se estivesse salvando a esperança de fazer Michael acordar. Aliás, os 'voiceovers' dele enquanto caminha pelo hospital foram  bem emocionantes, tipo essas coisas que a gente ouve nas séries e nos colocam pra pensar sobre a nossa própria vida, de um outro ponto de vista. E ainda teve Joel que acabou entrando em conflito com a ex por conta da postura que assume diante dos pacientes, querendo conhecê-los, saber sobre suas vidas, suas histórias e não apenas olhando para o superficial. Esses casos paralelos, também me emocionaram muito e ilustraram ainda melhor todo o drama principal.

Saving Hope é o tipo de série pra sentar e chorar ao final dos quarenta minutos. Foi assim comigo no primeiro episódio e as expectativas para o próximo estão bem grandes, já que os produtores capricharam na promo.  Eu recomendo com toda certeza, principalmente para aqueles que gostam de um bom drama cheio de questões importantes sobre a vida que as vezes, deixamos um pouco de lado. Na próxima semana, a série vem com o episódio intitulado "Contact" e como eu tenho certeza que vocês vão assistir e se apaixonar logo de cara, já posso dizer: espero vocês aqui, até semana que vem!
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment