Season Review - The Big C, 3ª Temporada


Até quando a vida vai ser tão dura com Cathy Jamison?

A 3ª temporada de The Big C foi sim muito proveitosa. Duvidava muito disso quando assisti aos primeiros três episódios. Apesar de apresentar algumas tramas diferentes da que já tínhamos visto, creio que o ritmo que as coisas iam acontecendo acabou não favorecendo a série. Mas a partir do quarto episódio a situação mudou muito e positivamente.

Já sabemos que o câncer de Cathy estava diminuindo e Paul estava tentando lidar com as conseqüências após o enfarto. Uma das coisas que gostei bastante, mas que não teve um propósito maior foi Cathy assumir uma falsa identidade. Alexis, como ela gostava de ser chamada, era a versão dela mesma, mas como se Paul estivesse morto. Os momentos de Alexis no bar deram a entender até certo romance entre ela e o cara do bar, mas nada disso aconteceu.


Mas isso foi apenas um detalhe, porque a temporada começou mesmo quando Joy Kleinman (Susan Saradon) entrou em cena. Joy fazia palestras de auto-ajuda e acabou levando Paul nessa onda. Para nossa surpresa ele se deu bem nesse negócio, mas as intenções de Joy não eram tão boas quanto parecia. A morte de Joy me pareceu muito gratuita na verdade, servindo apenas como aquele esquema de que sempre tem que ter uma morte na temporada. O mais irônico é que qualquer um morre menos Cathy.


A história da adoção também trouxe bastante movimento durante a temporada. Como previsto, seria difícil uma mulher com câncer adotar uma criança, mas como a esperança é a ultima que morre Cathy ainda tentou com um casal que se dizia comovido com sua história. Assim como ela fiquei bem revoltado ao saber que o casal eram vigaristas a fim de extorquir o dinheiro dos outros.

Ainda tivemos Sean entrando no ramo de Tele-Sexo-Gay  e falando as coisas mais bizarras possíveis ao telefone. Teve até a relação a três no meio dessa confusão, mas tudo muito desconexo da trama principal.

Adam e Andrea, ou melhor, Ababuo também tiveram seu destaque. Os dois estão cada vez mais próximos como irmãos e ficaria bem mais satisfeito se mostrassem mais esse lado da relação dos dois ao invés de mostrarem as babaquices feitas por ele. Acho muito irritante o jeito rebelde sem causa que Adam assume desde o inicio da série. No início da temporada até parecia que ele estava mudado, mas esse lance dele se ligar a religião só mostrou mais como ele é babaca. Acredito que esse garoto só vai tomar jeito quando ver a mãe no caixão.

E parece que esse momento não está longe já que no final da temporada a gente descobre que o câncer dela está crescendo de novo. Esse twist realmente não me pegou de surpresa, pois isso é o que a gente espera. Torço pra que The Big C não passe da 4ª temporada porque essa história está começando a ficar não crível. Pelo menos Cathy está começando a aceitar que morte está perto e parece estar querendo aproveitar seus últimos momentos de forma mais intensa.  
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment