Chicago Fire 1x03 - Professional Courtesy

O nome do episódio já diz tudo, né? Mas acho que ao invés de falar sobre cortesia profissional, o foco foi ética profissional. Afinal, é dever dos bombeiros ajudarem sempre a polícia ou não?

Dessa vez, Chicago Fire levantou um tema que sempre ronda esses shows sobre bombeiros/polícia/paramédicos: é normal uma corporação cobrir a outra? Ainda mais quando alguém de uma corporação é responsável por um acidente que poderia ter matado três pessoas mas que por sorte, deixou um menino de 16 anos paralisado da cintura pra baixo?

O que aconteceu foi o seguinte, logo no começo, o esquadrão 51 é chamado para atender um acidente entre dois carros. O motorista do carro que bateu no outro, está bem, porta emperrada e bêbado, coisa que o Tenente Casey percebe e também vê latas de cerveja no banco do passageiro. Enquanto alguns de seus colegas trabalham pra abrir a porta do carro do culpado, ele vai para o outro carro. Esse carro, não teve tanta sorte. Eles ficaram bem em cima de um parapeito, que do outro lado, era uma pista de um túnel, ou seja, queda livre de pelo menos 50 metros com todo mundo dentro do carro. Com tudo sob controle, família em segurança, Casey foi procurar pelo motorista do outro carro, a polícia o liberou e as latas de cerveja estavam embaladas. Conclusão, o cara é filho do detetive mais corrupto da polícia de Chicago. Ou seja, a polícia não ajuda em nada, na verdade, divulga um relatório falando que o outro carro foi culpado porque ultrapassou um sinal vermelho. Pra ajudar mais ainda a situação, o irmão da Gabby, que também é detetive, avisa que o cara é perigoso e eles não vão conseguir ajuda de nenhum policial pra testemunhar que o moleque estava bêbado. Ou seja, Casey se encontra numa dúvida cruel. Ao descobrir que o jovem de 16 anos perdeu o movimentos das pernas e depois do papo com a Gabby, que diz que ele vai saber que fez a coisa certa quando olhar nos olhos de quem o respeita, ele decide fazer o correto, claro. E relata exatamente o que viu, com o apoio do Comandante que até admira essa atitude. Mas aí que as coisas complicam: detetive corrupto/pai do menino descobre a intenção, decide ter uma conversa com Casey (leia-se ameaça) e quando o Casey não desiste, ele começa a pressão psicológica, sabem o good cop/bad cop? Isso aí sem o good cop.


Enquanto esse drama todo acontece, a gente também descobre que o Severide tá com um sério problema no ombro e que ele precisa operar e se não fizer a cirurgia, pode perder o movimento das mãos. E como ele é teimoso e não quer que a Corporação descubra e que o aposentem por invalidez, decide não fazer a cirurgia e lidar com a dor.

Devo dizer que fiquei impressionada com esse episódio de Chicago, eles estão de fato crescendo bastante. Ótimo tema pra um terceiro episódio e o jeito que os roteiristas juntaram isso tudo foi fantástico. E parece que a NBC também acredita na série porque encomendou mais 5 scripts para essa temporada. Ainda não é uma temporada completa, mas pelo menos não temos sinal de cancelamento.
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment