Criminal Minds 8x02 - The Pact

Brutal. Sem brincadeira, esse foi o episódio com a cena de abertura mais brutal de Criminal Minds há tempos. Se você não curte pessoas sendo amarradas nas traseiras dos carros vivas e sendo arrastadas pelas ruas até a morte, passe os primeiros 3 minutos desse episódio. Bem, eu avisei.

Apesar de arrastar pessoas no meio da rua é uma coisa bem inglesa de um século que nenhum de nós nem sonhávamos em nascer, a moda pegou de novo.

O caso é o seguinte, uma coitada toma uma pancada na cabeça e é arrastada em San Diego. Três horas depois em Los Angeles, outro coitado sofre com o mesmo destino, sendo que ele não teve tanta sorte assim, já que esse estava vivo quando foi arrastado. Isso deixa claro que não é só um louco nisso, são dois. Até porque a distância entre as cidades não daria tempo pro unsub ir de San Diego até LA em três horas só pra matar outra pessoa.

O que acaba-se descoobrindo é que os coitados de uma certa forma mereceram: o cara estuprou e matou uma menina de dez anos e a mulher também cometeu erros quando era mais nova. Ou seja, vigilantes. Outro homem acabou sendo morto e a surpresa: ele também estuprou a menina da segunda vítima e tem mais um. Com isso, nossos amados combatentes do crime já ligaram os pontos e descobriram o motivo das mortes. E as culpadas: a mãe da menina de dez anos e a irmã de uma mulher que se matou após a filha ter sido sequestrada e nunca mais foi vista "great minds think alike" né?

A essa altura, com o FBI na cola delas e com o plano já descoberto, elas resolvem ir atrás do terceiro culpado do estupro. Só que elas se ferram e dão de cara com um psicopata que não tá nem aí se matou ou não e nem se vai morrer. E com a arma na cara dele, ele tem a coragem de chantagear as loucas e dizer que se elas matarem outra pessoa na frente dele, ele diz onde está o corpo da criança que eles estupraram. E uma das loucas, que se mostra uma psicopata louca atira num cara que tá passando tranquilamente de carro. Essas americanas.

Não se preocupem, o cara não morreu, só tomou um susto dos infernos. E o psicopata estuprador? Se ferra porque foi brincar com a mãe aflita e tomou um monte de porrada na cabeça porque o corpo que ele se referiu era só o crânio. Problema resolvido, vamos ao clichê americano e atravessar a fronteira pra fugir: México, tequila, sol, sombreros, Agente Rossi como sempre muito inteligente se lembrando que a mãe da menina que foi sequestrada nunca desfez as malas da menina pra viagem ao México, portanto, elas iam para o México (o cara é bom assim). A louca psicopata foi presa na praia e a mãe aflita, que só queria justiça pra filha, escapou bem na hora porque foi comprar algo pra beber.

O episódio em si foi bem esperto, diferente na verdade. Não era apenas um cara matando a torto e a direita só porque podia e queria, era uma mãe que queria justiça pra filha e uma tia, que perdeu a sobrinha e a irmã. Tá, a tia era uma psicopata total. Serviu pra mostrar que existe gente por aí que mata por vários motivos (e não, não tô dizendo que só porque tem um motivo, é justificável) e não porque é serial killer. Parece que a série tá começando a voltar ao seu padrão de badasseness (isso é uma palavra?)

Quanto a Agente BlakeZZZZZZZ, ainda não tenho opinião formada sobre ela, tipo, nenhuma. Mas ela é meio chatinha. Vamos culpar o fato dela ainda não ter se enturmado e esperar pra ver. Do jeito que CM é, se a recepção não for boa, ela vai morrer mesmo e provavelmente nas mãos daquele unsub do primeiro episódio hehe.

E mais alguém achou fofo o Ross doar as férias dele para Agentes que tem familiares no Afeganistão? S2
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment