Dexter 7x04 - Run


"Eu não corro. Faço as pessoas correrem."


Chegamos a 1/3 da temporada e é muito bom poder dizer que a série está voltando a sua melhor forma, com cenas e diálogos impactantes que me deixam ansiosa como eu já tinha deixado de ser em relação a ela a muito tempo.

É claro que o grande mérito de tudo vem da relação entre Dexter e Debra e a cada novo diálogo, a cada novo questionamento dela e cada nova tentativa dele tentar se definir para não perder o vinculo com a irmã, eu fico mais vidrada. Dessa vez veio a dúvida sobre a morte da Rita e no momento que ela entrou na banheira eu já imaginei que haveria um pensamento parecido, e se eu pensava que ela já tinha desencanado do lado amoroso em relação ao Dexter me enganei feio com o subconsciente imaginando ele a pedindo em casamento também. Honestamente? Esqueçam que esse tipo de pensamento se quer já existiu na mente da Deb.

A temporária história do Speltzer serviu para nos presentear com dois momentos marcantes dos nossos protagonistas. Primeiro a cena do interrogatório, Deb estava incrível e conseguiu desestabilizar o assassino do labirinto e não fosse a incompetência repetitiva dessa policia de Miami o cara ainda renderia um tempo na prisão. Segundo, o embate final com Dexter, ele foi muito imprudente na primeira abordagem ao trailer do assassino e foi muita sorte o cara ser tão alucinado a ponto de ter um prédio em forma de labirinto e ter como ritual o prazer em ver as pessoas correndo dele. Ainda assim isso nos rendeu mais momentos de suspenses legais de ver na série.

Só que sensacional mesmo foi ver o Dex colocar a plaquinha de "stay" e abrir mão do seu ritual de vez. Se livrando das lâminas de sangue e matando alguém de modo diferente ele quer provar pra si mesmo e pra irmã que tem controle das coisas e que não é como os outros assassinos. Mas ela está certa e é só questão de tempo até mais alguém pagar pelos atos dele como aconteceu com a Rita, com o Doakes e por muito pouco quase com a própria Deb. 

Eu acho legal demais ver ele tentando conquistar a aprovação da irmã, o grande lance é que ao fazer isso ele meio que tenta fazer ela ser como ele, no sentido de não só aceitá-lo como também gostar e achar certo a morte "daqueles que merecem". O prazer dele quando ela diz que se sente feliz pela morte do Speltzer é notável naquela cena final e esse sentimento de culpa e angústia vai remoer a Deb e fazer ela desmoronar logo, logo.

O Isaak fez mais uma vítima e acho que o tal Viktor era filho dele, o que indica que a "hora da verdade" entre ele e Dexter será mais tensa do que eu pensava, se bem que por enquanto ele ainda pensa em se tratar de um trabalho em grupo e uma vingança dos membros da Homicídios. E olha só, até Batista me soou agradável nesse episódio enfim tendo uma utilidade e desconfiando que aquele suicídio cheirava a armação.

P.S - Tava com saudades das piadinhas non-sense do Masuka, eu super seguiria ele no twitter.
Share on Google Plus

About Rebeca Barros

Sarah, we make a family, yes? (@bkbarros)
    Blogger Comment
    Facebook Comment