Elementary 1x03/04 - Child Predator/The Rat Race



Depois de dois ótimos episódios de Elementary, e da série conseguir uma temporada completa, as expectativas estavam altas com relação à continuidade da história e do relacionamento entre Holmes e Watson. Apesar de ser procedural, os casos até agora têm sido bem diferentes e interessantes, tanto na forma como o personagem descobre os crimes, quanto no tema dos crimes. E esse terceiro episódio não poderia ser diferente. Tratando de um caso de sequestro de crianças, parece que a cabeça do nosso Sherlock continua trabalhando a milhão.

Nesse episódio em particular, ele parece estar ainda mais atento a pistas e casos. A forma como ele descobre a amante do pai da criança foi no mínimo impressionante. Mesmo com todas as pistas por perto, não é tão fácil assim ligar os pontos. Mas não para Sherlock Holmes. Além disso, o episódio nos trouxe cenas extremamente engraçadas, como a parte em que Watson ensina-o a fazer exercícios para ficar acordado, o que foi algo muito inesperado e uma cena incivelmente cômica, aliviando um pouco do peso que o caso do episódio traz. Mas a parte mais interessante foi ver Holmes ser deixado para trás por um garoto gênio em seus 19 anos. Foi uma surpresa para todos nós que assistíamos ao episódio, e um ponto positivo aos escritores e produtores por sempre fugirem do óbvio. Nunca iríamos esperar que o primeiro sequestrado fosse o real criminoso.

Foi um episódio muito bom, seguindo no mesmo nível de qualidade dos anteriores. Watson agora ficou totalmente em segundo plano, e parece ter sido rebaixada do cargo de personagem principal, aparecendo em poucos momentos e só como conselheira, e não como resolvedora de casos. O sotaque do Sherlock está melhor, possibilitando que entendamos melhor o que ele fala, e garantindo um melhor entendimento do episódio e do caso como um todo. Na minha opinião, foi o único episódio sem defeitos até agora.

Qual será o caso do próximo episódio? Vamos conferir em breve, na continuação dessa review:



O quarto episódio da série tinha uma única e bem simples missão: manter a qualidade dos anteriores. Se a mente dos criadores continuasse a trabalhar da mesma forma, isso não seria uma missão muito difícil. E enquanto o episódio anterior nos trouxe uma Watson coadjuvante, este é um pouco mais centrado nela. O Sherlock foi raptado, e a única que pode salvá-lo é sua companheira de trabalho, que já começou a se acostumar com a linha de raciocínio dele. Mas antes disso, acompanhamos como todo o sequestro começou, e o que aconteceu para que se chegasse a esse ponto. 

Antes de qualquer coisa, achei esse o episódio mais sem graça de todos. Não consegui me importar com as vítimas. O assassino não nos deu um sentimento de revolta e repulsa pelos seus crimes que nem os anteriores, pelo contrário, é até gostável. O caso não teve tantas reviravoltas quanto os anteriores, e o suspeito foi descoberto até que bem rapidamente. Mas apesar de todos os pontos negativos, o episódio também teve seu lado positivo. É bem interessante ver a capacidade dedutiva de Watson evoluindo e assim, conseguindo resolver crimes e mentiras que lhe são ditas. As cenas finais, mostrando uma certa vulnerabilidade do Sherlock também foram boas, porque trouxeram um lado dele que ainda não havia sido visto.

Apesar dos pesares, a série ainda mantém um saldo totalmente positivo e pra mim, continua como uma das melhores estréias dessa fall season. Espero que, durante os 22 episódios da temporada completa, possamos continuar a ver casos bem interessantes e diferentes como os três primeiros, e não um episódio ligeiramente sem inspiração como esse último. E vocês, o que acharam? Deixem seus comentários aqui na review, e não percam o próximo episódio de Elementary!
Share on Google Plus

About Bruno

Apaixonado por séries e por tudo que é novo e diferente, infelizmente não tem mais tempo para ser um seriemaníaco, desde que vendeu a alma para a faculdade. Faz faculdade de Biologia, e tenta ao máximo conciliar o curso com suas séries e, principalmente, seus realities. Começou com Harper's Island por recomendação de um amigo, e desde então não parou. Tenta manter pelo menos uma série/reality por temporada, mas nem sempre é possível, já que seu interesse por ficção e séries diferentes nem sempre é preenchido. Além disso, gosta de ir ao cinema pelo menos uma vez por semana, e assiste alguns animes quando consegue acompanhar. (@bkaozzz)
    Blogger Comment
    Facebook Comment