NCIS 10x04 - Lost at Sea

Fugindo do típico episódio político, NCIS essa semana resolveu falar de patriotismo.

O caso da semana foi o seguinte: um helicóptero da Marinha some durante um treinamento no meio do mar e a tripulação é encontrada à deriva no mar, duas questões surgem: onde está o helicóptero e onde está o piloto do helicóptero.

Como o helicóptero caiu em pleno mar, o NCIS conta com a ajuda da Guarda Costeira e da digníssima Diane Neal, que faz mais uma vez o papel da Agente Especial Abigail Borin, que no passado só enchia o saco do Gibbs e sua equipe com sua impaciência e acaba virando "amiga" deles.

Os três tripulantes que foram encontrados no bote salva vidas foram para o hospital, dois acordados e um em coma. Enquanto McGee e Tony procuram pelo piloto desaparecido junto com a Agente Borin, Gibbs e Ziva procuram pelo helicóptero, até porque pelo GPS, ele deveria estar em um lugar e não está. Ou seja, vira o mistério do piloto e do helicóptero desaparecido.

Dois dos três tripulantes dão seus depoimentos e dizem que o piloto que fez a besteira e tentou se matar e tacou o helicóptero na água. Claro, vamos culpar o único cara que está desaparecido e não pode se defender, típico. Só que pra jogar um balde de água fria nos dois, o piloto é encontrado na praia e com um tiro na cabeça. É, aí com isso a gente já pode ter certeza que ele não morreu na queda né? Já que aviões não atiram nas pessoas por vontade própria (ainda). Mas a teoria do suícidio fica ainda mais forte quando se descobre que o filho do piloto foi diagnosticado com uma doença incurável e que ia acabar o levando a morte um dia, além disso, o cara ainda briga com outro cara da tripulação quando estava bêbado. Ou seja, o cara se matou porque, segundo outro integrante da tripulação, ele era um covarde.

Mas aí vem outro balde de água fria na cara desse pessoal, o que estava em coma acorda e, apesar de estar respirando com a ajuda de um tubo e com possíveis danos cerebrais, nega quando o perguntam se o piloto se suicidou. E aí, a verdade vem a tona.


Os três que sobreviveram e mais um outro marinheiro tinham combinado de fingir a queda do helicóptero e vendê-lo por 300 mil contos pra um catador de sucatas (o mesmo que chamou a Agente Borin para um encontro logo no começo do episódio), só que um deles deu pra trás, que era o piloto e o piloto que entrou no lugar não sabia de nada, portanto, não estava entendendo bulhufas. E quando eles estavam em segurança, com o helicóptero pousado no ponto de venda, eles explicam pra ele, que iam vender por uma boa grana e iam dividir. O cara fica meio em dúvida no começo, já que 300 mil divididos por 4 dá uma boa grana pra cada um e com a doença do filho, ele talvez precisasse. Só que tem aquilo né, ele é americano e todos eles são patriotas e dão a vida pelo país e aquele bla bla bla todo. Só que o comprador, não gostou nada disso e fez o mais prático, matou o cara com um tiro na cabeça e largou os outros três em um bote salva vidas no meio da nada pra se virarem sozinhos.

Com tudo isso esclarecido, vamos falar do mais legal desse episódio todo: do ciúme da Ziva porque o Tony e o McGee foram a um encontro com duas meninas. O ciúme? Porque eles nunca a chamaram pra um encontro. Eu acho que o fato do DiNozzo nunca a ter chamado incomoda mais do que o fato do McGee. E agora, será que o Tony toma a iniciativa agora? Depois de 7 anos? ¬¬ porque esses dois já devem estar ficando cansados de correr em círculos esses anos todos.


Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment