Raising Hope 3x03 - Throw Maw Maw From The House, Part 2


A vez de Maw Maw, Parte 2.

Genialidade define o que os roteiristas de Raising Hope fizeram nessas duas semanas com a história  focada em Maw Maw. Não sabia que os episódios seriam o mesmo dividido em duas partes (porque não se pode esticar essa porcaria em três partes – palavras de MawMaw). Mas desde o final do episódio anterior eu já sabia que algo seria feito pra trazê-la de volta pra casa.

A mente de Burt realmente é muito criativa ou insana, o que vocês preferirem, mas o primeiro plano arquitetado por ele foi mega divertido e digo que poderia ter dado certo. Sabia que era imaginação quando Virginia sacou a arma, porque apesar das loucuras a série ditada como familiar não ia colocar um ato de violência tão grande.

Mas o segundo plano não deixou a desejar. O lance do show de mágica com Jimmy foi um ótimo pretexto para deixar os velhinhos ocupados enquanto Virginia e Burt concluíam a tarefa. Mas tudo isso acabou dando uma lição em Virginia, fazendo-a abrir mão de cuidar da bisavó.

Maw Maw é fenomenal. Como não rir das cenas iniciais onde ela revela detalhes de seu concebimento e faz um previously muito criativo do ultimo episódio. Na realidade ela estava falando pra parede mesmo e logo em seguida iria contar a mesma história pra fonte de água. Além dessa sequência, uma das melhores partes foi quando ela se trancou dentro do quarto cheio de gatos e ficou prometendo tortura aos bichos. Mas logo a assistente social liberou a turma pra colocar em prática suas formas de acalmá-la. Com certeza os gastos pra ter Maw Maw em casa são grandes. É sempre muito plástico, pimenta e esforço físico  além de ter que aguentar as frequentes mordidas. O bom disso é que Virginia acabou aprendendo algumas técnicas do asilo e pôde voltar com Maw Maw pra casa com novas perspectivas de como tratá-la.

É incrível como essa atriz de 86 anos pôde brilhar tanto e mostrar que um personagem secundário pode criar vida e trazer um ótimo gás pra série se tiver um bom trabalho de roteiro e é claro, o talento da própria que é essencial.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment