Bones 8x06/07 - The Patriot in Purgatory/The Bod in the Pod




Depois de tantos episódios ruins e outros medianos, finalmente tivemos um ótimo enredo.


Brennan resolveu assistir um jogo de basquete e, do nada, tem essa brilhante ideia de usar os mesmos conceitos usados em um time de basquete para otimizar e valorizar o trabalho em equipe entre seus estagiários. Adorei vê-la com uma pose de técnico falando com seus jogadores no vestiário, com direito a tapinha de incentivo na bunda de cada um deles. Melhor ainda foi vê-la “escalar” Booth para o time pedindo que ele ajudasse no caso. E aquele tapinha em Booth no meio da lanchonete foi impagável!

A descoberta de um cadáver morto no dia do ataque terrorista aos USA fez com que todos se mobilizassem para descobrir quem era o tal mendigo. Aí a coisa foi ficando séria. Booth o identificou como ex-combatente americano e tomou a causa para si. Aliás, há tempos não o víamos tão abalado com algo relacionado ao serviço militar.

Os estagiários também se mostraram com os nervos a flor da pele com toda a situação. Ainda mais por que Arastoo segue a mesma religião que os terroristas responsáveis pelo ataque. Também vi a atitude inicial de Finn muito preconceituosa, achando que era mais difícil para Arastoo devido a sua religião. E gostei muito da réplica que Arastoo fez explicando como se sentia. Fisher também me surpreendeu ao iniciar uma sessão de desabafo entre os estagiários.

Brennan conseguiu se segurar durante boa parte do tempo. Mas passada a investigação e o enterro do ex-soldado, ela desmoronou. Gostei de vê-la se permitindo se fragilizar. Sua preocupação com Booth e o medo de perdê-lo foram emocionantes.

Começamos o episódio dando risadas e terminamos de assisti-lo às lagrimas. Sinto que agora sim a oitava temporada começou pra valer.


O caso da semana já é bem curioso. E, claro, já vemos Hodgins logo de cara inventando conspirações sobre um “alien em um casulo”. Mas como a coisa tem sempre como melhorar, ele abre o tal “casulo” com laser e qual a primeira coisa que ele faz? Dá aquela fungada boa lá dentro sem nem saber ao certo que tipo de gás poderia ter, inala dióxido de carbono e desmaia. Nenhum ferimento, só o orgulho ferido mesmo, né.

Fomos surpreendidos pelo fato de Arastoo ser um poeta/escritor e ter sido exilado de seu país por ofender o governo em suas publicações. Melhor ainda foi vê-lo demonstrando afeto por Cam. De início, pensei que ele estivesse gostando dela, porém que era algo platônico e tal, pois ele escreveu um poema em persa pra ela e fez uma carinha fofa ao recitá-lo. Mas quando ela diz que não entendeu nada e ele diz “I think you did” com cara de apaixonado… aí já era. Fiz aqui a mesma cara que o Hodgins fez ao ver a cena.

Sweets ainda não encontrou um lugar pra morar e continua hospedado na casa de B&B. Brennan com a regra bem maternal de não falar sobre assassinatos e investigações dentro de casa ou na frente de Christine. Adorei vê-los saindo no meio da madrugada para resolver a investigação e deixar Sweets como babá. E ver Brennan achando difícil explicar o amor que sente por Booth foi tão fofo. Mais fofo ainda foi ver Booth dizendo que não tem motivos pra amá-la e ela confessando que achou muito romântico. *-*

E pra fechar o episódio, tivemos uma dose extra do mais novo casal do Jeffersonian. Confesso que não gostava muito do Arastoo nas temporadas passadas. Porém, nesta temporada a personagem dele foi ficando melhor. E admito que gostei muito de vê-lo namorando Cam. Torço para que permaneçam juntos.


Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment