Dexter 7x07/08 - Chemistry/Argentina



Ah! O amor!


Sou só eu ou vocês também se acham estranhos por sentir aquele "awn" por um casal de serial killers que centram seus diálogos em como fizeram ou farão pra matar a próxima vítima? Os dois últimos episódios só confirmam que aquela velha safra de ter histórias paralelas chegando ao um ponto comum ao fim da temporada está de volta. E muito bem.

Vou começar elogiando a química, tão falada no episódio 7, que é notável entre o Michael C.Hall e a Yvonne Strahovski. Os dois estão excelente juntos e a construção do relacionamento entre Dex e Hannah só melhora e fica mais interessante. Assim como ele mesmo pontuou, eu também a acho a mais interessante das mulheres com quem teve alguma relação e é muito legal ver ele tirando um pouco o peso de ser ele mesmo ao menos uma vez, e ter alguém pra contar literalmente tudo, sem ser julgado e ainda melhor, sendo totalmente compreendido. 

Embora eu no fundo ainda tenha a impressão que ela não se sente tão igual em relação a ele e que o use como um substituto do Wayne, naquela tentativa de recuperar a "emoção" que vivia ao lado do parceiro inicial e coisas do tipo, o fator filhos me fez acreditar mais nela e nessa ilusão que ela ver de ter uma família normal ao lado do Dexter. E como ela é boa em contar histórias, né? Mesmo sabendo de toda a verdade quase me comovo com o discurso barato na gravação do Sal Price. E eu aqui fiquei tentando imaginar como ela o envenenou, cogitei o lencinho de papel e tudo mais só que ela foi além da esperteza e pegou o ponto fraco deles com as canetas. E que cena boa/trash a morte dele, caindo de cabeça na quina do móvel, falei que os que se envolvem com a Deb parecem ser marcados para morrer. 

E falando na Deb, vocês deixam eu elogiar a Jennifer de novo? Essa temporada é totalmente dela e das cenas que ela compartilha com o C. Hall. O final do sétimo já foi de "explodir cabeças" com ela cedendo e admitindo que no caso da Hannah não tinha jeito e pedindo que a justiça fosse feita pela mão do irmão. E agora, Dex? Como tudo que já tá ruim tende a piorar, eu surtei aqui quando ela finalmente desaba e deixa escapar que está apaixonada por ele. Eu nunca gostei muito desse lado da trama, confesso, mas esse impasse nesse momento só tende a deixar as coisas melhores e mais tensas pra gente acompanhar. 


Muita dó dela porque primeiro, ela toda fofa e prestativa com o retorno das crianças e acreditando que o Dex não aceitou matar a Hannah inteiramente por estar pensando nela, depois porque como ela mesmo ironiza no ápice do desespero, não bastava está apaixonada pelo próprio irmão, você tem que tá apaixonada por seu irmão que é um serial killer. A mente da Deb está um turbilhão de informações e acreditem, o desespero ainda não chegou por completo. É a personagem por quem eu mais temo das reações futuras e também a que eu faço menos ideia dos rumos que irá tomar.

Isaak Sirko trollou lindamente com a minha nobre inocência em pensar que o Viktor era filho ou algo do tipo. Não, era seu amante, como vi muita gente opinando por aí e eu confesso que amo o pega-pega dele com o Dexter, aquilo de inimigos mas com uma certa nobreza e dignidade no jeito de tentar matar um ao outro. E com ninguém mais o Dex soa tão mal, tão ameaçador quando junto com ele, tipo aquilo de dizer detalhadamente como o Viktor morreu. Mais alguém aposta que o Isaak vai morrer pelos venenos da Hannah?

Já podem pular pra parte que o Quinn morre pela irmandade Koshka e que sua função na série se resumiu em ajudar o Batista a comprar o restaurante, arrumar as malas e sumir também. Mas hein, que Maria LaGuerta está on fire e juntando cada vez mais as peças a cada episódio. Primeiro ela reuniu a lista de todo mundo da polícia que tinha ligação com a marina e agora ela já sacou que o Dexter tem um suspeito afastamento de onde acharam as provas contra o Doakes, matou a charada já, agora vamos ver ela tentar reunir provas que comprovem a culpa dele e não há dúvidas que vai sobrar pra Deb também pelas coberturas. Alguém mais está tão ansioso quanto eu pra ver o destino da LaGuerta seguir os passos que o Jeff Lindsay sonhou desde o livro 1 da saga? Yaaay!


Coisas que as vezes me dão preguiça na série :

- Crianças de volta e eu já quero mandar elas embora de novo, pode? Pelo menos a Astor tá um pouco menos chata e vai ser servindo de parceria de baseado pra Deb. Ainda assim, bonitinho ver os Morgan juntos tentando manter uma família e dando conselho pra adolescente. 

- Sério que um autor de livros que tem todos os arquivos de suas pesquisas no computador sai de casa e não se dar o trabalho de bloquear o computador com senha?

- Sério que o Dexter vacilaria a tal ponto de expor o chaveiro da Hannah quase na cara da Deb?

- Sério que as chaves dele tinham que cair na hora exata pra o Isaak errar o tiro? Tamanha bondade do universo com o Dex assim as vezes me irrita.
Share on Google Plus

About Rebeca Barros

Sarah, we make a family, yes? (@bkbarros)
    Blogger Comment
    Facebook Comment