Elementary 1x07 - One Way To Get Off



Histórias de serial killer sempre caem bem quando misturadas com Sherlock Holmes. Isso é provado pela fórmula ter sido usada três vezes, se não contarmos os casos de envolvimento com as vítimas, e nas três, tivemos os melhores episódios. E esse é um deles. "One Way To Get Off" traz uma ótima composição de fatos que sempre chegavam a um beco sem saída, quando nosso assassino estava bem na cara, mas novamente nos recusávamos a aceitar ou até mesmo imaginar que aquele fosse o real assassino.

A premissa são assassinatos há 13 anos atrás, quando um serial killer matou famílias ricas para roubar o dinheiro. Ele está preso desde então, graças ao detetive Gregson e sua companheira de trabalho na época, mas os crimes voltam a ocorrer. O primeiro pensamento é que o preso é inocente. Mas os escritores nos fazem mudar de idéia tantas vezes, que no final acabamos realmente sem saber o que pensar. Desde plantar evidências sobre uma possível implantação de evidência pelos detetives, até criar diversos outros suspeitos que têm culpa no cartório, mas não exatamente nesse crime. Tudo estava lá para nos confundir, num brilhante jogo cheio de pistas falsas, quando a melhor delas é jogada logo no primeiro interrogatório. Somos enganados como o Sherlock e eu mesmo tinha meu suspeito, mas no final acabei também sendo enganado. Essa é a dinâmica de Elementary, e eu espero nunca me acostumar e sempre ser surpreendido.

Enquanto isso, Watson continua tentando saber mais sobre seu companheiro, e ela também começou a desenvolver um olhar perspicaz e agora já está atenta aos detalhes. Eu sinto quase uma relação entre mestre e pupilo entre os dois, onde a moça começa a adquirir o brilhante poder de raciocínio do detetive. Quem mais iria ligar para um simples jardineiro e, melhor que isso, imaginar que ele conseguiria extrair mais do Sherlock do que qualquer médico ou psicólogo? Ainda acho que talvez Watson tenha lido sobre Irene, e eu não fui convencido pela resposta de que ela morreu. Ainda acho que essa história vai ser muito bem explicada, e acho que tem algo bem escondido aí que precisa ser resolvido.

Como dito anteriormente, foi um dos melhores episódios, e eu já me sinto envolvido por toda a história do detetive e sua acompanhante. De início, acreditei que não ia acompanhar para sempre por ser um procedural. Mas me apaixonei pelo jeito dos dois, cativantes a seu próprio modo, e pela mente engenhosa dos criadores e produtores, sempre aptos a nos entregar histórias intrigantes e que nos fazem pensar, e tentar descobrir o assassino dentre a gama de personagens que surgem na tela. E você, leitor, o que achou? Aguardo seu comentário, e nos encontramos semana que vem, em mais uma review de Elementary!
Share on Google Plus

About Bruno

Apaixonado por séries e por tudo que é novo e diferente, infelizmente não tem mais tempo para ser um seriemaníaco, desde que vendeu a alma para a faculdade. Faz faculdade de Biologia, e tenta ao máximo conciliar o curso com suas séries e, principalmente, seus realities. Começou com Harper's Island por recomendação de um amigo, e desde então não parou. Tenta manter pelo menos uma série/reality por temporada, mas nem sempre é possível, já que seu interesse por ficção e séries diferentes nem sempre é preenchido. Além disso, gosta de ir ao cinema pelo menos uma vez por semana, e assiste alguns animes quando consegue acompanhar. (@bkaozzz)
    Blogger Comment
    Facebook Comment