Glee 4x06 - Glease


A homenagem de Glee a Grease foi melhor do que esperado.


Depois de tanto falar sobre este episódio, assisti sem credibilidade nenhuma, por isso fiquei surpresa com o resultado final do episódio. Não foi o melhor episódio da série e nem da temporada, mas também não foi o pior. Na verdade, eu gostei muito do episódio, principalmente porque o musical foi mero coadjuvante e isso meus caros é surpreendente. 

Embora a trama do episódio girasse em torno do musical "Glease", tivemos muitas histórias polêmicas para serem contadas. Estou realmente impressionada o quanto Glee evoluiu nesta 4ª temporada. Nem parece a mesma série. E nem uma overdose de Finn Hudson me fez deixar de curtir o episódio. Pela primeira vez, pude me conectar com os novos personagens e posso dizer que estou amando Ryder. Ele tinha tudo para ser limitado e ser um novo Finn, mas pelo contrário, o personagem é cheio de vida, cheio de esperança. Poderia dizer que ele é um Finn melhorado que sabe dançar maravilhosamente bem. Ok, talvez ele não seja o melhor dançarino, mas com certeza dá um show em relação a seu antecessor. 

Adorei vê-lo ajudando Marley a superar este trauma de se sentir gorda e estranha. Na verdade, me surpreendi com o fato de tocarem no assunto bulimia e anorexia. Tudo bem que o assunto não foi expressamente tratado, mas que houve uma indireta, isso houve. Kitty com suas maldades extremamente chatas, começou a praticar bullying contra a colega, a chamando respetivamente de gorda. Por mais clichê que isso pareça ser, é bem comum isso acontecer nas escolas, principalmente porque pode acabar resultando em bulimia e anorexia. Não sei de onde a Marley tirou a ideia que é gorda, mas pelo menos Ryder estava ao lado dela para fazer a garota perceber que ela é linda do jeito que é. Impossível não amá-lo!

Já Sue continua insuportável. Cansei de vê-la como a treinadora sem coração que quer destruir o clube do coral. Talvez se Ryan não tivesse dado um coração a ela, eu até que aceitaria isso novamente, mas dado as circunstâncias da história evolutiva da Sue, tenho que dizer que odiei isso. Até porque sabemos muito bem que no final ela e Finn irão se acertar e que, novamente, ela mostrará que tem um coração enorme escondido por de trás de tanta maldade. Esta história está mais do que superada e detesto vê-la toda hora em Glee. 

Outra que deu as caras no seriado foi Santana. Amo demais esta latina bitch, mas ainda não me conformo com o término dela com Brit. Tudo bem que ela foi super madura, mas o relacionamento delas é muito fofo. Não é a toa que estão fazendo campanhas para juntarem as duas novamente. A participação foi pequena, mas suficiente para reascender a chama dos fãs de Brittana, afinal, ficou jogado no ar uma possível reatação Ela só apareceu para substituir Unique no musical, visto que os pais do garoto não gostaram nem um pouco da ideia de vê-lo interpretando Rizzo na peça. Achei bastante interessante tocarem neste assunto, pois o preconceito ainda está muito presente, mas totalmente desnecessário trocarem ele por Santana na peça.

E depois de muita enrolação, finalmente vimos Rachel e Kurt enfrentando seus ex. Adoro demais a amizade dos dois e com certeza este episódio não seria o mesmo sem o ar da graça deles. Embora ainda ache estranho Blaine ter traído o Kurt, senti muita pena dos dois. Sim, Kurt ainda ama Blaine e ele também o ama, mas por obra do destino e por culpa do tio Ryan, os dois terminaram de um jeito terrível. Achei muito fofo ver a Rachel e Kurt dando apoio aos seus ex-colegas, mas principalmente, amei ver o quanto os dois cresceram no seriado. 

Para mim o episódio foi muito bom. Quando as coisas começaram a esquentar, vimos que Rachel novamente foi traída, mas não especificamente pelo Brody (Ryan estragando meu novo shipp), mas sim pela megera da Cassandra, que dormiu simplesmente com Brody e falou um monte de coisa triste e desagradável para minha querida Rachel. E por mais que eu ache que ela ainda sente algo por Finn, não gostei nenhum pouco do que ele disse para ela. Tentou jogar uma lição de moral e acabou ficando sozinho, cuidando agora do ex-coral que participava. E é exatamente isso o que eu quero saber: como New Directions irá lidar com Finn como treinador. Será que ganharão as Seccionais sem Rachel Berry ou se fortalecerão mais ainda? 

PS 1: Momento fofura do episódio foi ver que Tina e Mike podem reatar também. Adorava os dois como casal.
PS 2: Quero ver mais Brody sem camisa! 
PS 3: Quem não ficou cantando junto com "You're the one that I want. (you are the one i want), o,o, oo, honey.The one that I want." enquanto Ryder e Marley cantavam e Rachel imaginava ela e Finn, com toda a gangue do New Directions, atuando como protagonistas da peça? Aliás, mais um maravilhoso flashback de Finnchel.
PS 4: Quem sentirá falta do Will levanta a mão?
Share on Google Plus

About Gabriella Siggia

Formada em Direito, eterna estudante, bem humorada, alto astral e alegre, mora em São Paulo. Viciada em músicas, filmes e seriados americanos. Seriemaníaca de carteirinha! Mantém um blog pessoal em : http://gabyscseries.blogspot.com/ (@gabyever)
    Blogger Comment
    Facebook Comment