NCIS 10x05 - The Namesake

Homens e suas paixões por carros esportivos... Como a gente sabe, isso quase nunca acaba bem.

Nesse episódio um oficial da marinha foi assassinado enquanto dava umas voltas em uma Ferrari super potente. Agora o que um oficial da marinha fazia num carro daqueles é um mistério que eles precisavam resolver. Vamos logo ao assunto do assassinato porque o que importou nesse episódio não foi o caso da semana.

Acontece que o oficial trabalhava de valet em um hotel de gente rica e a Ferrari pertencia a um ricaço da internet. E que o oficial foi morto por engano, já que os vidros eram escuros e o assassino achou que fosse ele dentro do carro. É nessa hora que todos os patrões devem ler esse aviso: cuidado com os estagiários, porque como dizia meu chefe na época que eu era estagiária, eles não prestam. O assassino acaba por ser um ex-estagiário da empresa do ricaço, que deu uma ideia que foi dispensada mas que o cara usou mesmo assim e não deu um centavo pro garoto, e a ideia ia arrecadar até o final do ano U$11 milhões. Ou seja, assassinato por ganância. Caso resolvido, vamos ao que realmente interessou nesse episódio, porque até o caso foi chato.

Enquanto investigavam o tal assassinato, Gibbs deu de cara com uma casa de penhores que tinha uma Medalha de Honra, que são dadas aos soldados americanos em atos de grande, bem, honra. Como é ilegal vender tal Medalha, Gibbs fica curioso e pergunta como a dona a conseguiu e parece que um ex-militar precisava de dinheiro e queria a vender. Ao perguntar o nome do militar, descobrimos que já existe um Leroy Jethro por aí e que ele era o melhor amigo de seu pai, e que o próprio Gibbs foi nomeado em homenagem a ele. Só que os dois não se falavam mais porque brigaram no passado, acontece que a mãe do Gibbs morreu quando ele tinha 14 anos supostamente de câncer, mas Jackson (o Gibbs original) disse que a mãe se suicidou e que ela contou ao Leroy (o original) que ia fazer isso porque não aguentava mais a dor e que não queria que o filho e o marido passassem por isso também. L.J não falou pra ninguém e também não impediu que ela se matasse, quando o Gibbs original descobriu eles brigaram e nunca mais se falaram. Como o Gibbs (o filho) não gosta de deixar as coisas pela metade, ele vai atrás do outro lado da história e acaba descobrindo que o Leroy (original) era apaixonado pela sua mãe, mas naquela época uma branca namorar um negro era praticamente impossível e que ele entendeu o porque dela fazer isso e pelo amor a ela, não a impediu.


Com as cartas na mesa, Gibbs (filho) coloca os dois pra conversarem e se acertarem, usando uma das frases mais fo*** que eu já vi sair dessa série "Nós três temos algo em comum, que é o amor pela mesma mulher, portanto, já está na hora de acabar com essa briga". Esse episódio foi o melhor até agora não pelo caso, o caso foi o de menos, mas porque aprendemos um pouco mais sobre o passado do Gibbs, que nunca é de falar sobre o que aconteceu na vida dele - por exemplo, descobrimos que ele perdeu a esposa e a filha porque outra pessoa comentou, nunca porque ele fala - e vemos que o Gibbs entrou na Marinha por causa do Leroy original, que era seu herói durante sua adolescência. Por causa desse tom íntimo do episódio, foi o melhor dessa temporada até agora. Espero que a gente consiga ver mais sobre a vida dele, já que é tudo um borrão e guardado a sete chaves. Apesar de alguns mistérios sobre ele terem sido revelados, creio que tem mais por aí. Por exemplo, porque do nada, depois de nove temporadas, ele parou de fazer os barcos que fazia todo santo ano? Será que teremos essa resposta?
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment