Chicago Fire 1x12 - Under the Knife

Na primeira vez que eu faço sexo em seis meses, a Cindy engravida. - Herrman


O dia seguinte após a típica one night stand é sempre desconfortável, não? Ainda mais quando a Dawson insiste em colocar a culpa na garrafa de vinho e não no simples fato dela querer esquecer o Casey - até porque algo me diz que ela teria se jogado em cima do Mills mesmo se tivesse bebido uma garrafa de água. Depois de ver que não tinha sentido ficar toda "vamos esquecer isso e seguir em frente", Peter mostra que é todo cavalheiro e não vai sair espalhando que deu uns pegas na Gabriela e ela resolve dar uma chance. Só que ela resolve dar piti quando a mulher que eles salvaram no episódio anterior (aquela em que eles precisaram sedar o cachorro) manda um buquê de flores e a Dawson vai em cima do coitada achando que ele não tá sendo nada discreto - o melhor foi o Casey querendo falar com ela e saindo morrendo de ciúmes quando viu o presentinho. Mas pelo andar da carruagem, parece que isso vai virar um triângulo amoroso bem dramático, já que o Casey resolveu contar para a Gabriela o que anda acontecendo com a mãe dele e pelo olhar dela, ela super vai pular quando ele pedir. Tadinho do Mills... que ainda teve que aturar o Chefe Boden mandando ele se afastar da Dawson porque o romance não vai ser bom para a carreira dele. Ouchie.

Se o Peter Mills tá ruim, o Severide tá na pior. Depois da promessa que ele fez a Shay, de contar para o Boden do problema com o ombro e ir ao médico para operar, ele leva a pior. Como resultado da confissão, o Comandante o tira de serviço até que a junta médica dos Bombeiros faça um relatório completo da lesão dele; e como nada é fácil, os seis meses de recuperação que o outro médico deu logo no início da temporada, a nova médica deu no mínimo um ano e ainda disse que é quase certeza que ele nunca mais volte a ativa, que é para ele focar na função administrativa. Ou seja, ele nem ficou com raiva disso. Só que chega a namorada dele para salvar o dia (e ganhar o ódio da população feminina que assiste o programa - e o da Shay que não gostou nem um pouco da mulher) e o leva para uma clínica de reabilitação em Madri, resumo, ele vai se mudar por tempo indeterminado.

Fora esses dois dramas, tivemos o Herrman se dando mal mais uma vez em seus negócios. Depois de cancelar a parceria com o cara estranho, ele fica com uma limusine sem uso que o Comandante acaba ficando com pena e a compra para usar nos treinamentos. E ele ainda desabafa que a esposa, depois de seis meses sem sexo, consegue engravidar... tadinho dele.

O Cruz e sua consciência pesada, que anda me preocupando, até porque nesse episódio ele resolve cortar a própria mão com a faca e daqui a pouco, capaz de ser o pulso. Pelo menos tudo está dando certo para o lesado do Leon.

E mais uma vez o Casey teve que lidar com a audiência da condicional da mãe dele sozinho, só que agora tem um bônus: um "amigo" da Mama Casey que se diz querendo ajudar e basicamente dizendo que o Matt deixou a chave da casa do pai dele no balcão para a mãe ver e matar o pai porque ele queria o homem morto também. Pelo amor! Pelo menos Mama Casey viu que as coisas saíram do controle e tentou parar, mas a besteira já tinha sido feita e o Casey não gostou nem um pouco. Mas cá entre nós, eu achei que ele ficou se sentindo culpado depois que aquilo foi dito. A pergunta é: culpa por ter deixado a chave sem querer ou culpa porque era exatamente o que ele queria?
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment