Nashville 1x10 - I'm Sorry for You, My Friend



Problemas avulsos.

Já se passaram semanas, obviamente, porque Nashville já está no episódio dez e eu ainda sinto que a série não engrenou de verdade. Não digo tanto pela questão da audiência que está razoável e nem pelo reconhecimento, já que a série recebeu até indicações ao Globo de Ouro. Digo isso por achar que existem muitas histórias perdidas e desconexas da trama principal da série. Claro que todo roteiro precisa daquela “distração” na trama central para poder cumprir o cronograma de episódios da temporada, mas nesse caso essas histórias não funcionam.

A pior de todas é o assunto político que todos sabem que eu não gosto nem um pouco. Tem horas que parece outra série. Tudo muito desconexo com o universo musical e da turnê, que por sinal vai muito bem. E quando a gente achava que isso poderia ter um encerramento com a eleição de Teddy como prefeito, surgem mais tramas relacionadas a essa vitória, que certamente foi comprada. Não bastasse isso, quem volta pra botar lenha na fogueira é a tal suicida que Teddy garantiu não ter um caso, mas que na verdade era uma grande mentira. O clima entre eles entrega tudo, e isso só faz o ódio pelo personagem aumentar diante de tantas inverdades deslavadas.

No universo musical a única coisa que funciona muito bem é a dinâmica da turnê de Rayna e Juliette. Os musicais foram ótimos e os problemas típicos de bastidores surgiram da melhor maneira. A dificuldade de Rayna em encontrar um guitarrista que lhe agrade é reflexo de sua dependência de Deacon, mas agora que ele está fora da banda essa parceria pode voltar a existir. Só não sei o que isso pode significar para Liam. O produtor/guitarrista está cada vez mais envolvido pelo universo country e pelo universo da própria Rayna. Ainda acho que pode rolar uma história entre eles, é esperar pra ver.

Já Juliette colhe os frutos de suas ações precipitadas. Vejo na personagem de Hayden Panetierre o que ocorre com muitos artistas na vida real. Pessoas muitas vezes vazias e cheias de feridas emocionais tomando más decisões, mas tudo em busca de algo que lhes preencha. Os problemas familiares de Juliette a fizeram querer casar com Sean do nada, certamente por querer formar uma família, algo que ela não teve.

Além disso, o episódio ainda investiu em Gunnar e na sua própria história familiar. Senti que a intenção era aprofundar mais o personagem com toda a história do irmão que acabou de sair da prisão. Não funcionou e não consegui me conectar. Assim como também não me conectei com os desafios de Avery em fazer sua carreira ingressar. Ele está começando a mostrar suas garras para a produtora cougar, mas está mais propício em ela passar a perna nele do que ele nela. 
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment