Switched at Birth 2x03 - Duel Between Two Women


“We were not sent to the woods to re enact the hunger games” 

Mais uma vez Switched at Birth faz um episódio maravilhoso. O foco aqui foi exatamente no que a série sabe trabalhar melhor, nas diferenças. O duelo entre as duas mulheres serviu não só de base para todo o episódio como também uma forma de metáfora para todos os outros núcleos. 

Toda a briga de Bay com a Pocahontas revoltada trabalhou como exemplificação de um problema enfrentado por deficientes visuais. Não só por Natalie mas através de Daphne vimos o quão difícil é viver num mundo onde pessoas que ouvem, interferem totalmente o seu ambiente. É trabalhoso se adaptar a um mundo inteiro. O bom foi que mostraram que tudo é uma via de mão dupla, lidar com diferenças nunca é fácil. Bay na verdade até hoje não se encontrou direito em nenhum lugar, todo o dilema dela no inicio da série até hoje era ver onde encaixava. Agora estando em trégua com Natalie espero que ela se sinta a vontade em Calton. 

“It sucks to feel like your body is betraying you.” 


Falando em Bay sinto mais um pouco de ameaça sobre e-bay com a chegada de Noah. Eu sou totalmente team a-bay, porém Noah é incrível. Acho que o problema de Noah, contrastado com o de Regina trouxe um ar totalmente impactante pro episódio. Eu realmente quero muito destaque nele, em todo esse processo de descobrir essa nova dificuldade e ter que ver o mundo sob essa nova perspectiva. A cena de Noah com Daphne foi maravilhosa. E como a garota está perdida, pensei que poderia ser um casal bom, mesmo que eu goste do Travis. Só não quero Noah sendo o estopim para o fim de e-bay, de vez. 


Eu amo muito a Kathryn, também gosto do John. Acho que toda essa história dele concorrendo para senador finalmente vai render. O complicado é ver que a Kathryn tem muito mais talento para isso do que ele. Acho importante quando as séries levantam essas questões políticas como a imigração, principalmente SaB que é uma série que vive de tratar as desigualdades. Além deles, Toby também teve destaque interagindo, muito profundamente diria eu, com a Lana. Fico tão preocupado quando dão esses plots duvidosos para Toby, porque eu gosto do garoto. OK, talvez eu goste do ator. Mas me pareceu algo forçado para um romance, fora que de repente ela decide dar o filho para a adoção. Será que ele vai querer criar a criança? 

Regina me comoveu muito com todo o seu problema. Eu acho incrível o quão tocante Switched at Birth consegue ser em cenas em que há apenas um diálogo na cozinha. Vai ser um período extremamente difícil para ela porque o que Regina sempre fez foi tentar tornar a vida de Daphne melhor, tentar fazer com que ela se sentisse confortável no mundo. Agora a situação é inversa e a Daphne que tem que fazer isso pela Regina. Uma ideia genial que só pode render bons frutos. 

Por fim, só fico triste que e-bay está cada vez mais distante. “Why aren’t we together?”, eu também me faço essa pergunta em todo episódio. E pelo visto, eles não estão nem perto de ficarem juntos. Enquanto há vida, há esperança. Vamos ver o que toda essa história de Noah vai render.

Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment