Freaks Watch On - O que eu assisto!

Eu sou péssima em fazer posts sobre o que eu assisto, até porque é tanta coisa, que fica difícil separar mas vamos lá.

Primeira série: A primeira série que eu realmente acompanhei foi Dawson's Creek, que na época passava a reprise todo dia na Sony. Como não gostar do lerdo do Dawson que não percebia que sua melhor amiga Joey era apaixonada por ele. Ou o Pacey que era o amigo bobalhão que acaba se apaixonando pela Joey. A Jen, que chega do nada para morar com a avó e acaba tendo um rolo com o Dawson e depois com o Pacey. Em resumo, era um drama adolescente aonde todo mundo se pegava, ninguém sabia ao certo de quem gostava e mesmo assim, do jeito deles, continuavam amigos. É uma das poucas séries que eu olho pra trás e me dá muitas saudades - ainda mais quando existem dramalhões americanos como 90210.


Melhor série: Acho que nos olhos de qualquer viciado em séries, Friends é a reposta. É unânime. Não tem como negar que todo mundo quando assistia as loucuras desses amigos - a falta de noção da Phoebe, o humor sarcástico e as piadinhas do Chandler, as obsessões da Monica, as burradas do Joey e o chove não molha entre a Rachel e o Ross - sempre quis ter amigos que nem eles? Eu sei que sempre quis e de certa forma até tenho... É uma série que marcou gerações e vai continuar marcando - graças a WBTV que não para de reprisar todo dia - e que deixou muitas saudades.


Série preferida: Eu sou super fã de série policial - desconfio que na minha vida passada eu fui detetive de polícia, só pode - e quando a coisa é boa e complexa, melhor ainda. Convenhamos, nada melhor do que ver crimes completamente curiosos e uma equipe de agentes super inteligentes - que você sabe que não existem na vida real de tão surreal que eles são - que na maioria das vezes pensam nas teorias mais loucas possíveis e acabam acertando? Cada episódio os roteiristas mostram que eles não regulam muito bem das ideias e aparecem com histórias assustadoras: a mãe que enterrava a filha na terra e dava placenta pra ela comer, o cara que matava as pessoas e tirava o sangue delas para poder pintar com o sangue, o homem que fazia transplante de pernas... São casos completamente loucos e intrigantes, fazendo com que CM seja uma das séries de maior audiência nas noites de quarta-feira. Até porque está no ar há 8 temporadas e uma possível nona.


Pior série: Nessa eu fiquei divida entre duas: 90210 e Melrose Place. Ambas são remakes de séries de grande sucesso e roteiro dos anos 90, que eu por sinal, assistia sempre que podia na Sony (sim, Sony e suas reprises diárias). Quando li notícias sobre remake mais atual delas, eu fiquei animada e não podia esperar para ver como ia ser. E digo, me decepcionei com as duas. Roteiros fracos, atores piores ainda e as histórias mais clichês do mundo. 90210 eu larguei no final da primeira temporada e Melrose Place no terceiro episódio... Ainda acho que durei muito. Melrose foi cancelada depois de uma temporada e 90210, por algum milagre que eu não sei qual, continua no ar.



Quero voltar a assistir: New Girl. Essa foi uma série que parei não por ser ruim mas por que a vida simplesmente ficou no caminho. Trabalho, faculdade, dramas de monografia e eu comecei a cortar algumas coisas e New Girl, que teve uns dois episódios bem fracos, foi a escolhida. Mas pelos comentários que tenho lido pela blogosfera, a série melhorou bastante. Quem sabe não faça isso no hiatus em maio?


Poderia virar filme: Eu não sei se existe alguma série hoje em dia que tem um super potencial de filme e geralmente quando fazem um roteiro pra filme, a coisa não dá muito certo (vide Firefly). Mas eu queria muito que os produtores e roteiristas de Veronica Mars parassem com a putaria e fossem em frente com o combinado. Veronica é uma das minhas favoritas até hoje. Quem não se lembra da Kristen Bell perseguindo os caras malvados de San Diego e cantando "One Way or Another"?


Não quero que acabe nunca: Ano passado essa resposta seria Glee. Mas a série meio que se perdeu um pouco e não é mais a grande novidade que era antes. No momento, a série que eu não quero que acabe nunca é NCIS: Los Angeles. Uma das poucas vezes que o spin-off conseguiu me conquistar mais do que a original. Como não gostar das conversas e flertes sem noção do Deeks com a Kensi; ou o mistério do passado e do primeiro nome do G. Callen; LL Cool J, que de um excelente rapper, virou um ótimo ator e Linda Hunt, a mulher que é uma lenda e arrasa sempre, segurando a equipe de agentes sempre que necessário.


Se minha vida fosse uma série seria: Acho que com certeza seria um drama familiar no estilo Parenthood + One Tree Hill. Imaginem a família de Parenthood e aquilo de todo mundo se metendo na vida de todo mundo junto com uma Peyton da vida (tirando a indecisão dela querer ou não o Lucas) viciada em música.
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment