Freaks Watch On - O que eu assisto!



E agora é minha vez de falar sobre as séries que eu assisto e assisti. Com tantas séries que amo, a escolha não foi nada fácil. Nos tópicos tento apresentar um pouco da minha relação com cada uma dessas séries, seja boa ou ruim. Espero que gostem e que nos encontremos novamente nas reviews de Modern Family!


Primeira série: Numa bela e comum manhã de domingo, minha vida mudou. Ao passear pelos canais, escolho o SBT onde passava uma série que eu conhecia de nome pelas propagandas, O.C. um estranho no paraíso, e por algum motivo, eu achava que essa série falava de coisas sobrenaturais, e eu que sou muito medrosa, fugia dela. Nesse dia iluminado resolvi dar uma chance ao episódio e mais tarde vim a descobrir ser o último da primeira temporada. No domingo seguinte liguei minha tv no mesmo canal e no mesmo horário esperando a continuação, entretanto nada estava fazendo sentido pra mim. Acontece que com sua distribuição de episódios sem nexo, o SBT estava reprisando alguns episódios da primeira temporada antes de começar a segunda. Essas coisas só acontecem comigo! #dramática 

A cada domingo meu amor pela série e por Seth Cohen só crescia me trazendo um vício nunca antes sentido. Eu deixava de ir almoçar na casa da minha avó pela possibilidade de não conseguir assistir O.C. lá. Ao final da segunda temporada nas mil mudanças de horário que Titio Silvio gostava (e gosta) de fazer, The O.C. foi substituída por uma tal Lances da vida que eu ODIAVA (como a vida dá voltas!) pelo simples fato de ocupar o horário em que era exibida minha amada O.C. Cheguei a acordar às 3 da madrugada, algumas vezes, para assistir episódios inéditos e perdi algumas tardes de sábado também. 

Na verdade, antes de The OC, eu acompanhava algumas séries da grade do SBT como Três é demais (Full House), Dose dupla (Two of a Kind), Um Maluco no Pedaço (The Fresh Prince of Bel-Air), Eu a Patroa e as crianças (My Wife and Kids) entre outras, mas a consideração por The O.C. vem do fato de que ela foi meu primeiro amor, meu primeiro vício e foi a primeira série da qual eu me tornei fã.


Melhor série: Não há muito que explicar, Friends é a minha escolha e a de muitos outros para esse quesito. Acho que isso é devido ao simples fato de que a série te leva para seu mundinho fazendo você se sentir o sétimo amigo do grupo. Apesar de não gostar muito da primeira temporada e do início da segunda, em comparação com as temporadas que vem posteriormente, percebo como esse início foi responsável por me apresentar e me fazer ficar apaixonada por cada um dos friends. A série me fez chorar de rir e chorar de verdade. O roteiro e as atuações são maravilhosos e não consigo imaginar que existam pessoas que não gostem de Friends. “Oh… my… God!”



Série Favorita: One Tree Hill. Do ódio mortal ao amor incondicional. Isso define minha relação a série. Como contei anteriormente comecei odiando OTH porque a série era a substituta de O.C. no SBT o que me dava muita raiva. O primeiro episódio que vi da série foi première da quarta temporada, e esse episódio me fez acreditar que a série trabalhava com fenômenos sobrenaturais pois esse episódio dá a entender que Keith, já morto, salvou Rachel e Cooper do afogamento após o acidente. Com meu medo gigante, não quis continuar vendo. Voltei a ver a série acompanhando parte da primeira temporada novamente no SBT no sábado a tarde. Alguns anos depois uma amiga comentou que tinha a série e peguei emprestado. Confesso que até a fim da segunda temporada achava OTH uma série legal, mas não via nada demais. Minha paixão, respeito, admiração, amor e vício vieram junto com a terceira temporada e o episódio do tiroteio. Achei de uma coragem gigantesca do Mark abordar esse tema tão complicado nos EUA e conseguir entregar um episódio que considero uma obra prima. Posso dizer que cresci junto com os personagens da série e muitas das citações apresentadas me faziam refletir o que eu estava vivendo, ajudando-me a amadurecer. O amor pela série é tão grande que a epígrafe da minha dissertação de mestrado é uma frase da citação do episódio 6x24 : 
“Believe that dreams come true every day. Because they do.'' 

Só existe uma Tree Hill e essa será minha casa sempre e pra sempre!!!


Pior série: Talvez esse item seja o que mais tive dificuldade de escolher. Raramente eu abando uma série, sou muito curiosa e sempre quero saber o que vai acontecer. Minha primeira opção era Pretty Little Liars, gosto muito de séries adolescentes (como você já deve ter percebido) e fui assistir esperando me apaixonar, parei no episódio 1x07 simplesmente porque não via a história render e comecei a achar a tudo muito cansativo. No fim acabei elegendo Gossip Girl como a pior série que já assisti e posso dizer isso com propriedade, já que acompanhei (sofrendo) a série até o final. Em 6 temporadas não tivemos nenhuma evolução dos personagens e isso é inacreditável. Serena e Nate eram plantas, sem contar que as atuações de Blake e Chace não ajudavam muito. Dan teve seus altos e baixos  (atenção: bid spoiler!) e digo que o fato dele ser a Gossip Girl não me incomodou tanto quanto a justificativa que ele deu para ter criado a fofoqueira da net. Gostava e gosto muito do casal Chuck e Blair e acredito que eles foram os grandes responsáveis por a série durar tanto. O grande problema é que mesmo o casamento deles no final foi tão mal feito e porco, que eu só sabia repetir pra mim mesma “Eu esperei tanto por esse lixo!”. O fato é que até a terceira temporada eu gostava da série, na quarta já fui desanimando e percebendo a grande merda que poderia estar a caminho. A quinta temporada foi um sofrimento completo, e na minha humilde opinião juntar Dan e Blair foi uma grande cagada. Não acho que os personagens combinavam ou tinham química suficiente para me fazer torcer para eles. Fui para a sexta temporada porque essa seria a última, e antes não tivesse assistido. Perdi preciosos 400 minutos assistindo essa porcaria para terminar com uma das finales mais mal feitas da história.


Quero voltar a assistir: Flashpoint. Assisti a primeira temporada da série por indicação do pessoal aqui do Blog e gostei bastante. Me conectei com os personagens e acho muito interessante todo o trabalho feito por trás da negociação. Adoro Jules e meus episódios favoritos foram os centrados nela. Também tenho muita vontade de voltar a assistir as já finalizadas Lie to me e Desperate Housewives que eu gostava bastante.


Podia virar filme: Gosto muito de Glee e me divirto toda semana. Gostaria que a série virasse filme daqui a alguns anos. Acho que eles poderiam nos mostrar como ficou a vida de cada um dos membros originais do New Directions 10 anos após a vitória no Nationals. Imagino Rachel estrela da Broadway (com ou sem Finn, não me importa), Mercedes uma cantora respeitada, Santana e Britt juntas e felizes, Tina e Mike com bebês e Puck um porn star. Se o roteirista for Titia Ryan, Quinn estará morta e Kurt e Blaine estrelando uma versão musical de The New Normal.



Não quero que acabe nunca: The Big Bang Theory é uma grande paixão na minha vida. Posso dizer que me identifico muito com os nerds. Esse ano estou iniciando o doutorado em Matemática e posso dizer que vejo alguns amigos meus muito parecidos com os personagens da série, sem contar que por algumas vezes eles fizeram piadas matemáticas que me mataram de rir. A série passou por alguns altos e baixos, mas acho que atualmente está estabilizada em um bom nível. Sinceramente, não consigo imaginar o fim dos meus amados nerds e se a audiência continuar como está, não tenho com o que me preocupar.



Se minha vida fosse uma série: Sem dúvida nenhuma seria uma comédia no estilo Awkward, cuja personagem central seria uma junção de Haley (OTH), Amy (TBBT), Mônica (Friends) e Cristina (Greys Anatomy). Minha identificação maior é com Haley, como ela, faço tudo por meus amigos, sou carinhosa, companheira e também já trabalhei como tutora. A Amy de TBBT é meu lado nerd assumido. Me pareço com Mônica na necessidade de agradar as pessoas e no perfeccionismo e com Cristina Diva na racionalidade e na falta de paciência com gente lerda!




Menção Honrosa: Modern Family. Eu não podia deixar de fora a série que é responsável por eu fazer parte da galera do Freaks4series. Comecei a assistir MF por sempre ler muitos elogios na internet. No início, estranhei um pouco do ritmo da série, por ser diferente dos sitcoms com os quais eu estava acostumada. Mas rapidamente me adaptei, e hoje Modern Family está, sem dúvida nenhuma, entre minhas séries favoritas. Adoro a interação entre essas 3 famílias, que na verdade é uma família só. Sou fã incondicional de Phil, Glória, Lily e Dylan. Vida eterna para nossa querida Família Moderna!
Share on Google Plus

About Anna Paula Machado

A eterna estudante, formada em Matemática, atualmente cursa mestrado na área. O vício por séries começou ainda na adolescência com The O.C. e My wife and Kids. Amante das comédias e dramas e com pavor de séries de terror, adora também as famosas novelas mexicanas do SBT. Atualmente assite a mais de 25 séries entre fall/summer season contando também alguns realities. Fã incondicional de The O.C., One Tree Hill, TBBT, Friends, Modern Family, Glee, Revenge, Grey's Anatomy, The Voice e Survivor. (@annapmachado)
    Blogger Comment
    Facebook Comment