Grey's Anatomy 9x14 - The Face Of Change


Karev estava mesmo precisando de mais atenção.


Não é segredo pra quem acompanha Grey’s Anatomy pelo nosso blog do meu descontentamento com a trama, ou melhor, não trama de Karev nessa temporada. Mais perdido do que nunca ele foi jogado para uma história romântica com Jo, que de inicio não me chamava atenção, mas que aos poucos foi me conquistando. Ela em especial, pois é um dos novos personagens que mais sinto que faz parte do grupo no geral.

A competição com Avery pelo rosto propaganda do hospital que está sendo vendido foi bem divertida. Karev, diferente de Avery, vê alguns aspectos ruins diante de todo o espetáculo criado em volta deles. Por mais que essa competição tenha sido levada mais a sério por Stephanie e Jo Wilson, ela serviu para revelar os sentimentos que Karev tem por sua “amiga”, coisa que ele não queria admitir.

O caso dos transexuais foi bem interessante e rendeu cenas bem emocionantes dos envolvidos. O pai de Brian/Brianna mostrou que se importa com a filha mesmo não concordando com cirurgia. Karev conseguiu aqui se destacar também por mostrar tamanho cuidado com eles, sendo que foi ele o responsável pelo casal ter se conhecido.

O hospital continua no processo de modernização, que na verdade não trás muitos benefícios. Os prontuários digitais e falta de jeito de Meredith em manuseá-los é uma das formas de mostrar que algumas coisas podem não se encaixar num ambiente onde vidas estão em jogo. A visita de Callie e Richard em outro hospital comandado pelos Pegasus também conseguiu enfatizar isso. Essa junção dos dois personagens foi bem legal e mostrou que Callie combina com qualquer personagem, todo mundo que se junta com essa mulher consegue nos fazer rir ou chorar como uma criança.

E o papel de Callie nessa trama está sendo muito importante, porque é ela a pessoa que mais se importa com as coisas e a ideia de juntar os envolvidos no acidente e milionários para comprar o hospital não podia ser melhor. Quero saber agora o que pode impedi-los de seguir em frente com essa ideia, pois os desafios virão com certeza absoluta.

O caso do menino resgatado por April e o paramédico (seu novo namorado) também foi muito bom. Gosto de cenas em que conseguem juntar a maioria dos médicos numa situação tensa. Por vários minutos os diálogos foram apenas em termos técnicos onde a história central havia se tornado um detalhe de fundo e mesmo assim tudo continuou sendo muito interessante. O mais legal é que apesar de sempre ficar do lado dos nossos médicos, não consigo condenar Drª Cahill simplesmente porque entendo que ela está fazendo seu trabalho e certas atitudes, como a cirurgia do menino, poderia custar muito em relação ao futuro do hospital.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment