Switched at Birth 2x04/05 - Dressing for the Charade/The Acquired Inability to Escape



“You live in OZ and I live in Kansas, in the middle of a tornado” 

Dressing for the Charade meio que focou em Angelo e toda a bagunça que ele traz para a vida das pessoas. Toby deu sequência à aproximação com Lana convidando-a para jantar. Eu tentei entender, mas acabei não entendo por completo os motivos do garoto. Talvez ele quisesse fazer com que ela mudasse de ideia a respeito de dar o bebê para adoção, mas não ficou muito claro. Como o circo armado era pouco, arrumaram um jeito de colocar o assistente social para investigar o casamento de Angelo e Regina em plena noite. 

Acho muito engraçado como as séries em geral fazem esses plots totalmente sem veracidade. Convenhamos que nenhum assistente faz expediente noturno. Não que eu saiba. Toda a bagunça serviu para que Regina percebesse que Angelo é um problema em sua vida e que o relacionamento com ele nunca deu certo. Convencionalmente no mesmo episódio ela reencontra um flert, o que abre caminho para ela decidir por um novo amor. Bay recebeu uns choques de realidade em relação ao pai que achei a tempo. Ele pode ter seus milhares de erros, mas aparentemente está tentando mudar. 

Daphne enfim baixou a guarda e beijou Travis. Mas em The Acquired Inability to Escape o mar de rosas tinha que se desmanchar. Emmet falou algo que é realidade, Daphne tenta fugir da sua deficiência através de relacionamentos com garotos que ouvem. Claro que a chance dada a Travis foi para mostrar que Emm estava errado, o que não deu muito certo porque só a deixou mais confusa. O roubo com certeza deixou Daph mais pensativa. Eu acho que realmente é um tema que deve ser abordado, pois é a realidade. Casais portadores de alguma deficiência em comum têm essa problemática a pensar, de se a vida será difícil. Mas acho que a série deve mostrar que para tudo tem um caminho e uma forma de lidar. 

Toby pelo visto cumpriu seu papel com a nova grávida de Angelo porque já tem plot novo, e aleatório digamos de passagem. Acho incrível que até hoje não acertaram em uma storyline boa para o garoto. Não tenho nem muito a comentar sobre a história da faculdade porque realmente não me prendeu. 

As vezes eu tenho vontade de dar uma sacudida na Bay para fazer ela enxergar bem as coisas. Ela chega para Kathryn pedindo ajuda para agradar a chatinha da escola com peça de teatro, e depois reclama quando a mãe interfere. Também concordo que Kathryn não precisava ter ido dirigir a peça mas Bay falou o que não deveria. “I Have Feelings Bay, I am not just a robot who provides for you” me matou por completo, tanto por amar Kathryn como por realmente perceber que as vezes Bay não é grata pelo que tem. Espero que o choque de realidade tenha servido para algo. 

Quando a Regina, estou tremendamente decepcionado. Por um momento fiquei decepcionado com os roteiristas porque não achei que seria uma atitude que Regina tomaria. Mas depois lembrei que ela agora está em uma fase negra, tendo que lidar com o problema na mão, sem emprego e definitivamente sofrendo por ter seu coração machucado por Angelo de novo. Então agora eu realmente fico decepcionado com Regina porque sei que ela pode ser mais forte que isso, e realmente fico preocupado com o caminho que ela vai trilhar. Então, por favor Regina, esquece esse boy que como o mágico de OZ tem cara de fake e volte para Kansas! 

Agora é aguardar o próximo episódio que vai se chamar “Human/Need/Desire”. Parece que teremos a namorada (pseudo)crente e a grávida de volta. Estou no aguardo de que alguém descubra o assalto a Daphne e que alguém ponha senso na cabeça de Regina.
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment