Switched at Birth 2x06/07 - Human/Need/Desire|Drive in the Knife


As Vasquez estão sendo descobertas... 

Valentine’s Day chegou em Switched at Birth com o episódio Human/Need/Desire. Tivemos dois grandes destaques durante o episódio, que foram Daphne e Noah. Daphne após ter sido assaltada tentou esconder o que aconteceu, mas o destaque aqui foi para os questionamentos levantados pela menina. Eu acredito que lidar com a deficiência é algo diário, sempre vão existir algumas dúvidas e temores. A série levantou muito bem o conflito interior de Daphhne, acho que a garota fica muito mais interessante quando tem o foco em sua condição. Gostei bastante também da interação com Melody, que apesar de odiá-la eu gosto dos seus sermões em Daph. 

Claro que ela teria que ser descoberta, e o posicionamento de Regina, Kathryn e John foram totalmente coerentes. O bom de tantos pais envolvidos é que cada um representava um tipo de reação diferente. Todos  pais que assistem o show e passam por situação semelhante podem se identificar com algum. Ainda assim John chega a me irritar com sua prepotência as vezes. É bom ter as mulheres se unindo para ensiná-lo a se portar. 

O mais genial do episódio foi o contraste entre o conflito de Daphne com o de Noah. Se é difícil aceitar a surdez sendo assim desde criança imagina, depois de ter uma vida com as vantagens de ouvir, ter que lidar com a perca da audição. O desespero de Noah ao perceber que não estava ouvindo, e Bay agoniada sem saber como ajudar, foi extremamente comovente. Acho que essa é a storyline que eu mais gosto nessa atual temporada, mesmo que custe essa separação de meu shipper e-bay. Apesar de tudo eu ainda tenho esperanças para os dois, e esperança que Bay perceba que Noah é só um amigo que ela ama porque quer ajudar. 

Para atender minhas preces, após o beijo de Noah, veio o episódio Drive in the Knife que me trouxe uma ponta pequena de luz no fim do túnel. Quando Emmett beija Bay depois dela falar que está em outra, toda minha esperança pelo casal voltou. Emmett não vai sair dessa guerra por Bay sem lutar. E falando na garota, quem diria que a relação dela com o pai enfim ia me deixar feliz. John finalmente reconheceu a arte de Bay, o que já era tempo e me fez gostar mais do chefe Kennish. 

Quanto as eleições eu não sei o que pensar. Kennish para mim não parece um bom candidato, porém a concorrente é pior que ele. Eu sempre vou achar que Kathryn seria perfeita para o cargo, então acho totalmente compreensível o fato de Toby não apoiar tanto o pai. Porém, agora que ele terminou com a Barbie de Cristo, e começou esse envolvimento com a filha da concorrente, acho que o garoto pode chegar a arruinar a campanha do pai. Certeza isso vai dar confusão, e se correr bem no final a menina vai arruinar a própria mãe. Mas tudo pode acontecer em Switched at Birth. 

Daphne por sua vez tratou de ser babaca novamente. Travis é um menino tão legal, carinhoso e bom para ela, enquanto em troca ela continua sendo uma bitch para ele. Daphne só vai dar valor quando o perder de vez. Um dos assaltantes foi preso, mas vale lembrar que haviam dois, será que teremos um retorno ai? 

Regina se acabou de vez. É tão triste ver uma personagem tão forte caindo em uma fraqueza enorme. A vida da Sra. Vasquez está bem complicada, totalmente arruinada diria eu.Graças a Deus terminamos o episódio com Bay vendo o estado em que a mãe chegou em casa.Espero que Bay seja esperta para detectar que a mãe caiu no vício do álcool de novo, e que seja mais sábia ainda em ajudar. 

Essa história toda ainda tem muito que render. Espero que não estraguem tudo de vez.
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment