Glee 4x15 - Girls (and Boys) on Film


Se sua vida fosse um filme, qual seria a sua trilha sonora?

Bom gente, sinceramente eu esperava mais deste episódio. Foi um pouco confuso e tinha horas que me sentia perdida no meio de tanta melação com filmes romântico. E olha que adoro um filme! Mas vamos falar a verdade, depois de um episódio bombástico como do casamento Wemma, esperava outra coisa deste episódio. Não que fossem resolver todos os problemas num único episódio, mas que pelo menos tivesse uma lógica. Achei a parte de NY tão alheia ao episódio. Só prestou mesmo por causa de Santana, que finalmente voltou a ser metade daquela bitch latina que eu tanto amo e conhecia em Ohio. Adorei as cenas dela, bisbilhotando tudo, jogando indiretas, e sendo o apoio necessário para Rachel neste momento. E também não foi desta vez que descobrimos se Rachel está grávida ou não. Eu acredito que foi um falso positivo, mas como ela não falou nada e só caiu em lágrimas, podemos deduzir que iniciamos uma nova e bonita amizade.

Outro momento constrangedor foi Kurt com seu namorado (ou rolo). Achei desnecessário aquela cena na NYADA, pois pensava que eles iriam terminar para no fim o relacionamento dos dois mudarem de rumo. Se bem que ainda acho que teremos um término trágico na série. Assim como desconfio de que Brody seja traficante. A minha aposta é que ele seja garoto de programa, mas vamos esperar para ver qual é o grande segredo dele. Se é que existe!

Agora vamos falar do número musical 500 de Glee. Sério que aquele era o grande número? Nossa, decepção mode on ligada, porque foi bem fraquinho. Preferia que fosse "Footloose", pois foi bem mais empolgante e me fez cantar junto. Tudo bem que foi legal ver Blaine e Brit cantando juntos e empolgando os alunos, que tivemos o maior número de figurantes na história, mas que foi uma música tão qualquer, espalhada no episódio, isso foi. Outra coisa sem sentido foi Artie com seu projeto de filme. Achei que só colocaram isso para incentivar o Glee com mais uma competição: boys versus girls. 

Aliás tenho que confessar que adorei ver a competição, mesmo que tenha sido bem pouco. Sugar virou minha diva quando disse que as meninas deveriam fazer alguma performance do filme "O Artista", para que ninguém precisasse cantar. Genial! Outra coisa bacana foi ver Finn tentando reconciliar Wemma. Finalmente colocaram ele em algo que presta, e, por mais que no final a serenata de amor não tenha surtado o efeito que Will queria, pelo menos Finn contou a verdade sobre o beijo. Mas vamos falar a verdade, só Finn mesmo seria um babaca ao contar sobre o beijo para o cara que é praticamente um paizão para ele. Apesar de tudo, a cena foi bonita e a interpretação dos dois foi muito boa. Prevejo um mal estar entre eles.

E para encerrar esta review, nada melhor do que falar sobre o triângulo amoroso mais complicado de Ohio, que mais parece história de novela mexicana: Marley & Eu, Ryder e Jake. A garota finalmente está começando a sentir algo por Ryder, ainda mais depois do beijo que eles deram. O problema é que ela é muito tapada e precisava contar tudo para a chata da chreerio?! Hello, Marley & Eu cuidado onde pisa! A cena dela com Jake imitando "Gost" foi fofa, e até caíram lágrimas dos meus olhos, mais por conta da música e porque relembrei do filme, mas foi só isso. Só apareceu para mostrar o quanto ela está confusa e para deixar Jake com raiva de Ryder, porque a burra da sua namorada decidiu contar tudo. Mas vamos esperar para saber o que Ryan vai aprontar ainda nesta temporada.

PS: Achei o máximo terem recriado a cena de Moulin Rouge, mas preferia mil vezes que Kurt e Blaine cantassem "Your Song". Se eles cantassem, a cena seria épica!
Share on Google Plus

About Gabriella Siggia

Formada em Direito, eterna estudante, bem humorada, alto astral e alegre, mora em São Paulo. Viciada em músicas, filmes e seriados americanos. Seriemaníaca de carteirinha! Mantém um blog pessoal em : http://gabyscseries.blogspot.com/ (@gabyever)
    Blogger Comment
    Facebook Comment