Grey's Anatomy 9x18 - Idle Hands


Menino ou menina?

A gravidez de Meredith parece correr bem, exceto por ela mesma. O pensamento negativo sobre a gestação, mesmo as vezes na brincadeira e sendo mostrado em momentos cômicos não deixa de ser um pouco preocupante. Esse comportamento é compreensível levando em conta todo o drama que ela viveu nos anos passados, mas não dá pra ignorar o modo como ela está lidando com essa nova fase em sua vida. Chego a me preocupar de verdade com tudo isso, pois está tudo muito bem e Grey's sem drama não é Grey's. Por enquanto os ares são de felicidade com a descoberta de que o casal terá um menino e isso já é o suficiente por enquanto.

Agora que o processo de venda do hospital acabou é tempo de seguir em busca de novas perspectivas profissionais. O GREY SLOAN MEMORIAL HOSPITAL assumiu de vez o novo nome e isso aconteceu mais cedo do que eu esperava. Pensava que ainda teríamos um tempo pra nos despedir do Seattle Grace, mas ainda bem que não enrolaram esse processo e assim a história anda.

Essa semana a série se concentrou em mostrar a luta pelo desenvolvimento do hospital. Foi a reabertura do pronto socorro com novos equipamentos de ponta, médicos em busca de novos estudos clínicos e novos copos térmicos (muito relevante). Olhando por um lado bem mais crítico, a história não andou tanto assim, mas acredito que esse momento de calmaria representa o preparo do terreno para o grande #BOOM do final da temporada, se é que vai ter um.

Karev tomou conta dos momentos engraçados do episódio. A parceria com o menininho com câncer para trollar o médico que está saindo com Wilson foi ótima, e com direito a piadinhas manjadas e de duplo sentido (como não rir da Jenie Talia) ele conseguiu levar Richard junto nessa brincadeira. Nada disso acrescenta na trama, mas diverte.

Os momentos de Callie e Arizona foram singelos, porém de ótimo gosto. A superação do casal vem sendo mostrada de uma forma muito bonita e sem mimimi, maneira que achei que seria quando ainda estávamos no início da temporada. Só fico imaginando até quando os roteiristas conseguirão levar isso com equilíbrio não deixando passar do ponto.

O caso que chamou mais atenção foi a professora com câncer que Meredith estava tratando. Esse tipo de situação deve ser bem comum e difícil, um dia você está feliz por ter tirado o dia de folga e no outro você descobre que está com câncer terminal. A melhor cena foi o momento dela com os alunos, burlando a regra de sala de aula ao dizer a palavra "suck". Já o caso de Derek foi bem mais do mesmo com aquelas liçãozinhas de saber ter o controle ao passar as notícias para os familiares.

Com April o drama de não dizer para o namorado que ela não é mais virgem continua e isso também não é nem de longe uma das tramas mais promissoras da série e sinceramente não vejo o porquê enrolar nessa ladainha que mais parece script de série adolescente, mas como nada é perfeito uma coisa ou outra a gente releva, afinal tia Shonda ainda tem créditos nesse sentido.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment