Nashville 1x13/14 - There'll Be No Teardrops Tonight/ Dear Brother


A aliança que pode estar levando Nashville para o buraco.

A insistência dos roteiristas na história política da série não parou e parece que não vai parar nem tão cedo. Essa, infelizmente, é uma parte fixa da série e por mais que muitos repudiem não tem como se livrar disso. A única coisa que podemos fazer é tentar aproveitar o potencial das tramas desse núcleo, digo que nem sempre é possível e o desgaste de ver uma coisa que não te agrada pode resultar no abandono, mas vamos ver no que isso vai dar.

A aliança entre Teddy e Coleman na política coloca Lamar em uma situação talvez menos favorecida. Todos sabem que o poderoso pai de Rayna gosta e sabe manipular as coisas, mas isso pode acabar quando Teddy se recusar a receber ordens dele e ainda mais agora com a ajuda de um novo aliado. Até aqui podemos ter um pouco mais de respeito por esse personagem que ninguém se simpatiza. Teddy é odiado por muitos e isso poderia ter uma mudança quando ele começasse a enfrentar o outro personagem mais detestável. Mas infelizmente atitudes como a do caso com Peggy e o fato dele ter a colocado pra trabalhar junto com ele na câmara destroem tudo de bom que poderíamos achar sobre ele.

Saindo da onda política e entrando na musical, digo que a intenção de mostrar os bastidores desse mundo do show business continua muito boa. O processo de criação, composição de músicas e arranjos é uma coisa muito legal de se ver. Além disso, os ataques dos paparazzes a Rayna têm sido muito bem feitos, me sinto assistindo ao TMZ cada vez que ela tem que entrar em algum evento. Essa questão do escândalo amoroso envolvendo Deacon e Liam, culminando com o fim do casamento deu o tom certo para o plot.

Juliette não está mais nos tabloides, mas continua tendo muitos problemas, principalmente quando o assunto é a recuperação de sua mãe, uma trama que pra mim já deu. Quantas vezes essa mulher vai ter uma recaída para a filha tomar algumas atitudes mais humanas? A personagem de Panetiere está beirando a chatice estrema, não dá mais pra aguentar os seus ataques de estrelismo, acordando toda a equipe pra dizer que é ela que manda e nem festa surpresa pra Deacon faz o seu comportamento melhorar.

Ao contrário de Juliette, os dramas de Gunnar e Scarlett começam a ficar interessantes. A chegada do irmão que reapareceu apenas pra morrer em seguida serviu pra deixar os dois com sentimento de culpa que resultou numa pegação inesperada mais esperada desde o inicio da série. Isso trará grandes conflitos, pois a dúvida que paira é se Scarlet ficou com ele apenas por pena ou por sentimento de culpa por ter pressionado Gunnar para que Jason saísse de casa.

Com isso tudo o saldo de Nashville ainda é mediano e digo que se continuar nesse ritmo não terá futuro na minha watchlist.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment