Raising Hope 3x15/16/17/18 - Yo Zappa Do (1)/ Yo Zappa Do (2)/ Sex, Clown and Videotape/ Arbor Daze


Melhor comédia do ano.

Pode parecer cedo pois a temporada ainda não acabou, mas Raising Hope vem com uma sequência de episódios tão bons que é difícil dizer outra coisa. Desculpem-me as famílias modernas que também seu valor, mas o nosso pequeno grupo de Natesville está se sobressaindo sobre muitas outras aclamadas por aí.

Como não gostar de uma sequência de duas partes com Hope sendo estrela de TV, um talento descoberto por acaso na plateia de um show de comédias. O legal é que tudo começou muito avulsamente. Sabrina e Jimmy tentando ter sua lua-de-mel enquanto todos aproveitavam a viagem pra levar Hope ao programa do ex-enteado de Barney. Nunca gostei muito desse menino, mas a volta do personagem se encaixou muito bem no clima do episódio todo.

E mais uma vez uma das coisas que mais me deixa orgulhoso ao ser um fã da série é ver como ela consegue usar referências. Está na moda e nas séries de hoje em dia eu não sei afirmar nenhuma que não fez tal ato. Impossível não adorar o momento em que Virginia fala sobre ela mesma, ou melhor, o texto cita a atriz que começou a carreira fazendo um filme de Steven Spielberg e anos depois acabou numa comédia familiar interpretando uma mãe louca. Certamente as melhores tiradas sempre vêm de Virginia. Porém Burt não fica atrás quando introduzem um plot tão sem noção quanto o personagem, mas conseguem usar isso para criticar as emissoras de TV. Adorei o chute que ele deu no representante da NBC pelo cancelamento de My Name is Earl, mesmo nunca tendo assistido um episódio da série.

Embora meus elogios sempre serem direcionados pra Virginia e Burt, não posso ignorar o trabalho fantástico que a Sabrina está fazendo nessa temporada. Shannon Woodward é muito subestimada, assim como a série no geral, mas ver suas imitações, com direito a queixinho, de Clarie Danes não teve preço. Todo o jeito psicótico tentando descobrir aonde Jimmy ia quando estava sonâmbulo foi surreal de bom.

Pra finalizar, porque não falar do dia da arvore, ou melhor, de todos os dias comemorativos. Era cada um mais bizarro que o outro, mas tudo isso porque Virginia e Burt fazem tudo da forma mais excêntrica possível. Adorei a obsessão por Beverly Hills 90210 e de gruja a participação especial do ator Luke Perry, que interpretou o personagem Dylan nesse hit dos anos 90. Luke era um fantasma do dia da arvore que fez o dever de mostrar a Sabrina o quão legal era a tradição familiar dos Chance. Hope como sempre chamou a atenção dos holofotes no jeito ingênuo e natural de ser. A menina não precisa ser prodígio pra que a gente queira ver ela cada vez mais e mais.

Raising Hope segue em saldo positivo, e apesar dos atrasos nas reviews ela continua sendo a melhor comédia da temporada.

Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment