The Following 1x07 - Let Me Go



"...with a little help from my friends"



Finalmente depois de sete episódios The Following faz jus ao hype gerado pelo piloto, em uma sequência de dois bons capítulos na sua história, começamos a ver, mesmo ainda não alcançando sua capacidade total, o potencial da série. 

Na última vez que vimos Hardy e sua equipe, mais e mais perguntas vieram a tona sobre a quantidade de seguidores de Carrol, seus acólitos se mostram cada vez mais inseridos em várias agências governamentais. Quão grande é a lista de seguidores de Joe? Até que ponto seus pupilos estão infiltrados? A noção da grandiosidade culto ainda não havia sido demostrada com tamanha amplitude.

Com Joe agora solto, após uma fuga muito bem orquestrada, diga-se de passagem, o jogo entre os protagonistas alcança um novo patamar, as regras agora são diferentes, as atitudes tomadas pelo agente deixam de ser somente preto ou branco, mas sim, de diferentes tonalidades de cinza. Uma jogada acertada dos roteiristas em mostrar da dubiedade nas ações de Hardy, exibindo aos telespectadores, até onde Ryan pode chegar para capturar seu algoz. 

Finalmente as cenas na fazenda acabaram, por mais que tenha gerado alguns bons plots (outros nem tanto) e dado mais densidade aos personagens, a trama já tinha se arrastado por tempo demais e se tornado um tanto quanto maçante. A produção tomou uma decisão corretíssima ao juntar Emma e Charlie (confesso que já, em sua curta participação, me apeguei), dois personagens com grande possibilidade de desenvolvimento. Em relação a esta parte da trama, tenho que fazer uma pequena ressalva. Tudo bem que Joey é apenas uma criança, mas convenhamos, ninguém é tão ingênuo assim.

Chegando na metade de sua temporada o show altera a fórmula utilizada anteriormente para desenvolver a narrativa, uma boa sacada, pois a utilização da mesma estrutura repetidamente pode causar aborrecimento aos fãs, e a partir de agora poderemos ver Carrol trabalhar sem amarras do encarceramento e consequentemente, mais de sua genialidade.

Mais um grande episódio, que assim como o anterior me deixou esperançoso com o que virá a seguir, e já com a renovação garantida o criador terá uma chance de aprofundar ainda mais nos personagens e suas motivações.

P.s. 1:
Perfeita a música da cena final. (Fever Ray - If I Had A Heart)
P.s. 2:
O que diabos aconteceu com Jacob e Paul?
P.s. 3: 
Muito boa a interação entre Charlie e Joey
P.s. 4:
James Purefoy mais uma vez roubando as cenas em que aparece.
P.s. 5:
        Senti falta dos flashbacks.
P.s. 6:
        Legal ver que a agente Parker também está disposta a tomar atitudes extremas.
P.s. 7:
Produtores, lembrem-se por favor que o telespectador não é burro, ou seja, não existe necessidade de explicar referências.



Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment