The Vampire Diaries 4x18 - American Gothic


Rebekah, não foi dessa vez.

Juro que eu estou me esforçando pra entender essa obsessão de Rebekah em querer ser humana e ter uma vida normal, mas tá difícil. O discurso da personagem nos permite entrar um pouco nesse universo onde ela não quer mais a vida sendo controlada pelos irmãos e sim por suas próprias vontades. O óbvio era que não seria fácil ter a cura com Katherine em posse dela.

Gostei do fato de não terem enrolado para achar a nossa vampiranha, na verdade foi tudo bem fácil, apesar de Elena citar que ela e Rebekinhah rodaram por três cidades seguindo os rastros de Petrovinha. Fiquei um pouco incomodado com o fato de Katherine  ter deixado ser dominada tão facilmente, mesmo com a explicação de que Rebekah é uma original e muito mais forte. É claro que em quesito esperteza vampiranha ganha sempre, ainda mais se analisarmos seus momentos melosos com Elijah.

Pois é, esse é um elemento estranho inserido na série nessa reta final da temporada. O envolvimento amoroso entre eles é uma coisa nova e jogada do nada na nossa cara, mas que não me convence nem um pouco. Digo isso em relação a Katherine que faz juras de amor ao seu original, mas que na verdade deve ser apenas um plano para manipulá-lo. O que me deixa intrigado é que ele está a caminho de Mystic Falls com a dúvida se barganha a cura em troca da liberdade de Katherine ou se entrega para a irmã que quer ter seu final feliz sendo uma simples mortal.

Adorei os joguinhos de Elena tentando imitar vampiranha e digo mais uma vez que Nina Dobrev conseguiu achar um interpretação diferente pra essa Elena vadia, sem contar também que não  podemos exigir demais, pois ser atriz plural não deve ser fácil.

Stefan e Damon continuam como os losers e tapados enquanto a mulherada agita o episódio. Damon já tinha sido enganado uma vez e jurava raivinha por ter se deixado levar pelo papo furado da amada. Stefan faz o papel de super inteligente e sensato em suas decisões, mas continua o mesmo de sempre com a conversa de que acredita em Elena e que não vai desistir dela, assim como ela não desistiu dele. Adoro o fato de Elena ter virando uma vadia tão sem limites que ameaça matar quantos forem precisos para os dois pararem com essa história de darem a cura pra ela.

O episódio não teve Bonnie, mas teve Silas se fazendo passar por Caroline e intimidando Klaus em relação a cura que até então ele não fazia ideia de onde estava. Além disso, teve a verdadeira Caroline fazendo joguinhos de tortura com o seu ex-futuro interesse amoroso. Algumas pessoas podem me crucificar, mas estou torcendo de verdade para que “The Originals” não dê certo e que o romance de Klaus e Caroline evolua. Senti certo desenvolvimento na cena final dos dois, mas o papo furado de deixar Tyler voltar pra Mystic Falls me deixa irritado. Toda semana é a mesma situação com Caroline, insistindo em colocar a fuga de seu namorado em pauta, se bem que Klaus já deixou bem claro que ele não está correndo o mundo atrás de Tyler e isso certamente significa alguma coisa. Outra coisa que me fez desprezar esse Spin-off é o fato da história que está sendo criada pra esse piloto ser muito ruim. Vamos deixar a família original dentro de TVD e assim todos ficam felizes, inclusive o público.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment