Switched at Birth 2x19 - What Goes Up Must Come Down

What goes around, comes back around...?

Isaac Newton; 'lei da gravidade'. A produção da série vem reiterar esta Lei da Física com um capítulo recheado de subidas e descidas em vários núcleos diferentes. Um episódio esclarecedor e, ao mesmo tempo, cheio de acontecimentos que vão dar o que falar nessa reta final da série. 

E o cerco está se fechando pra Daphne. Ou é isso que ela pensa estar acontecendo. Mentir pra Parker. Omitir pro Emmett e pra Kathryn. Não confiar no Jace. Acreditar que está totalmente sozinha (e que vai pra cadeia!). Daphne's frustrations, bitches! Já não bastava o emaranhado de ideias paranoicas naquela mente confusa, Coto decide mostrar que sabe sobre tudo o que acontece e marca uma entrevista com ela, a fim de tê-la como interna. Ele é 'macaco velho' e ela deveria saber com quem lidava desde o início. Quando até a própria esposa sabe dos podres, o negócio é pior do que se imagina. Entre fingir uma doença e passar um dia relaxante no spa; o medo de tornar-se uma 'mentirosa patológica' a faz romper com Jace. "You're not my girlfriend. I don't have to do what you want anymore." E, assim, nosso britânico ativista não vai desistir até manchar a carreira do Chip - com ou sem a Kennish. Não sei como eles vão sair dessa, mas tô prevendo a explosão do assunto cada vez mais cedo. E, infelizmente, vendo o blog do Jace no epicentro.

"There's a special place in hell for boyfriends like you." Quando Ty chamou Bay pra acampar eu sabia que não daria muito certo. Que raio de programa é esse em que, ao invés de passar tempo juntos antes da fatídica viagem, o namorado resolve 'tirar a parceira da zona de conforto'? Como ela mesmo disse 'os genes atléticos' não vieram no pacote Vasquez-Sorrento. Ok quanto a incentivar coisas novas, mas pra que tamanha insistência em um pulo? Não vê que essa 'conversa de louco' trouxe até o Emmett como pauta? Eu teria ficado tão zangada e magoada quanto, principalmente pelo 'teste de confiança'. Mas dai ele pensa que ela estava morta e os pedidos de desculpa culminam num tornozelo fraturado e eu já havia esquecido o incidente. Sim, Ty me ganhou de tal forma que não sei explicar com palavras, mas posso apontar nos sorrisos de Bay. Sorrisos estes que não vejo muito corriqueiros quando ela for pedir 'influência do papai-enquanto-Senador' pra manter o namorado por perto e longe do Afeganistão. John não gosta de Ty, que está trazendo o melhor da filha, mas pareceu encantado com Jace, que despertou 'otras cositas malas' na outra filha. Irônico, pra não dizer outra coisa. 

Não queria dizer isto, mas... EU AVISEI! Venho falando pra vocês que Nikki, em algum momento, iria entrar em crise de identidade com sua fé convicta e seus valores. Ao descobrir que a mãe já sabia do envolvimento do pai com drogas, nossa, foi o estopim! "We needed the money," não tinha uma maneira melhor de justificar? Mas não se justifica o injustificável, né? Ou estou sendo muito radical? Enfim, a melhor coisa foi cancelar o casamento na Igreja e, enfim, fazer algo mais simples na casa dos Kennish. A minha preocupação maior é a revolta incubada. Questionar onde Deus está e não admitir o livre arbítrio? Pensei que você conhecia mais sobre sua própria crença, queridinha... "It doesn't mean anything anymore," e essa seria a frase a resumir a primeira vez do futuro casal. Toby, obrigada por não deixar esse surto se espalhar em proporções globais e catastróficas!

Agora vamos pro momento em que meus olhos marejaram, em que meu coração bateu mais forte e eu pude ouvir, além de toda audição perfeita, com o sentimento de alguém com deficiência auditiva. Era o grande dia pra Cameron colocar o implante coclear e a família estava reunida. Enquanto Debbie pronunciava palavras aleatórias, fiquei aflita e achei que não daria certo. O momento em que ele ouviu, pela primeira vez, a própria voz... OMG, confesso que estava me debulhando em lágrimas! Que cena linda, completa pelo fim do episódio: Emmett tocando bateria pros pais - enquanto um ouvia a música, outro sentia a batida - foi realmente mágico e inspirador! Podemos dizer que nosso menino está, enfim, amadurecendo. Que a relação conturbada de seus pais está num nível de companheirismo. E que, nesse jogo de 'subidas e descidas', o John Green define o sentimento: "I'm on a roller coaster that only goes up, my friend."


Melhor quote:

Ty: What about your parents? Are they in?
Bay: It's just about asking the right parent!
Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment