Switched at Birth 2x21 - Departure of Summer (Summer Finale)


"She's not committing a felony or getting married. Right now, for us, that's a win."

Cliffhangers. Reviravoltas. Casais que separam e, especialmente, superam as expectativas; transformam lógica em lírica. "Departure of Summer" foi um daqueles episódios com o 'selo SaB de excelência': carregado de drama e repleto de poesia. Obtivemos algumas respostas, outras tantas ficaram no ar, mas ganhamos novos começos. Ouso resumir o 2x21 em uma palavra: inspirador!

"Oh please. In two years I'll be paying for the divorce." Se você escutasse isso do próprio pai um dia antes de subir ao altar, qual seria a sua reação? É certo que todos achavam uma péssima ideia o casamento de Toby e Nikki, confesso que também não estava adepta, mas eles me ganharam. "Oh, for God's sake, could someone just say it? If you two want to have sex, then go have sex. You're not going to hell." e essas foram as palavras abençoadoras da mãe da noiva!! Achei Jennice meio dura, mas parece que era isso que eles estavam precisando. O resto foi uma sequência fofa, um casamento no cartório, somente com as duas pessoas que realmente importavam: eles dois. Fizeram o próprio caminho e descobriram que eles eram suficientes; um bastava ao outro. Eu sei que não será fácil, mas eu estou muito orgulhosa de como eles fizeram funcionar, como conseguiram 'sobreviver' a toda pressão por serem jovens demais; imaturos demais.
"I know some people, myself included, may have thought they were a little too young to take this step. But, when you find the one who's right for you, you hang on tight. Because if you don't... they can slip away." (Emmett).
Call me crazy, mas Bay dar voz ao discurso de padrinho do Emmett me fez enxergar que, ainda que bem camuflado, existe um sentimento muito forte entre os dois. Tanto no tom de voz dela quanto na escolha das palavras dele. Mas você estoura minha bolha E-Bay e pergunta: e Ty, Vanessa, tá louca, é? Quisera eu estar, caro leitor. Ty foi covarde. Fazer Bay acreditar na traição, pra ficar mais fácil ir embora? Que amor é esse que toma as rédeas da relação e não divide tudo com o parceiro? Por acaso ela era parceira apenas na cama? Eu entendo que ele não queria 'dividir a carga' com ela, preferiu deixá-la livre pras incertezas do futuro dele, mas desse jeito? Saindo por vilão e dando-lhe mais um lembrete de que ninguém se importa em deixá-la? De que isso é uma rotina na vida dela? O QUE EU FAÇO COM MEU SHIPPER? Sim, Ty, eu era uma grande fã de vocês dois e agora não tenho nada além de esperanças e um segredo confiado a MB. Enquanto isso eu tenho de assistir a minha menina sentindo-se a pior das pessoas e conversando sobre traição com a única pessoa que, realmente, a traiu. Bay amadureceu e eu acho que um romance com Emmett, por agora, não seja a melhor das alternativas. A menos que Ty volte (não num caixão, obviamente) e assuma sua ponta num 'bizarre love triangle'. Muitas teorias pra um coração apertado demais. #pray4Bay

Angelo, meu querido, o que você tem pra provar? É como Adrianna disse, ou ele quer mostrar pra todo mundo que não é o mesmo cara que abandonou uma filha ou provar algo a si mesmo; além dos egoísmos próprios e do simples entendimento. Ser bom pai é fazer o melhor pros filhos, certo? E ele teve uma atitude louvável! Abby agora tem três amorosos pais (há tantas mulheres na vida de Angelo, a vida ironizou trazendo o contrário, nos dando uma nova perspectiva, né?) e eu tenho certeza de que isso foi o melhor a ser feito. Por ela, por ele... por Gina! 

Daphne carregou a maior parte do drama essa semana e encerrou um ciclo. Coto achou que ela era apenas uma enviada de John e tentou chantagear os Kennish mas, GRAÇAS A DEUS, ela enxergou que precisava tomar medidas drásticas para evitar tornar-se, de vez, a garotinha-rica-insuportável-mimada cuja esteve transformando-se desde o começo da temporada. Eu realmente espero que este seja um ponto de virada e pude ter sinais disso com a sequência final. E não teve hora melhor pra Gina voltar pra casa, Daph precisava de freio, de um choque de realidade e a mulher que a criou foi a única capaz de lhe apontar verdades: "You think you are the first person to discover injustice in the world?" O mundinho 'live-in Kennish' mostrou quão Regina é necessária na vida da filha e eu acho que essa relação será de extrema importância pra evitar  outro evento cataclísmico, pra trazer a essência da Daphne de volta. Com a publicação da chantagem e do affair de Chip Coto no Kansas Squealer, Jace é deportado para o país de origem e a Vasquez-Kennish decide levar o Senador junto com ela. Infelizmente, teremos de esperar por longos meses até sair o veredicto sobre a situação da mesma. Vi faíscas de alguém que errou procurando acertar e que cresceu; aprendeu. Que bons ventos te guiem, menina... e te tragam de volta!

O ano termina da melhor maneira possível pra SaB. Esse último episódio antes do grande hiatus foi maior do que minhas expectativas e eu não poderia estar mais orgulhosa de como acabou: tocando Brave e com uma mensagem subliminar pra Bay... o que será que significa aquela flor branca?! Até janeiro! Deixo-os com o inspirador texto da Daphne que, confesso, me deixou em lágrimas; me fez olhar pra dentro.
"This was the summer that I lost myself. I saw people abusing power and I wanted to stop them, but I ended up doing the same thing myself. I did the wrong things for the right reasons, and caused the people that I love a lot of pain. But I'm trying to learn from my mistakes and face the consequences of my decisions, whatever they are." (Daphne).


Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment