Rookie Blue 4x13 - You Can See the Stars (Season Finale)


O mundo dá voltas.

Depois de um episódio eletrizante como esse, é impossível se contentar com uma temporada de apenas 13 episódio. Acho que nem 26 seriam suficientes. A forma como o episódio foi conduzida, nos deixando tensos com a possibilidade de Oliver Shaw partir para outra dimensão, fez com que eu tivesse pequenos surtos durante o episódio. Tive que parar umas 4 vezes para poder respirar e conseguir ir em frente. Nem preciso dizer o quanto chorei com esse episódio, ou preciso? A cada cena eram lágrimas saindo dos meus olhos, seja por nervoso, seja por alegria, seja por tristeza. E como Nick, em sua última cena, chorei de um jeito que só algumas pessoas entenderão. 

A parte mais decepcionante do episódio foi Gail e sua viber lésbica. Sério, não consigo engolir isso, essa mudança sem noção da personagem. E olha que as cenas dela com Chris foram tão lindas, que deu para sentir faíscas para quem sabe uma reconciliação. Já estava pronta para vibrar com aquela sensação de PeckDiaz estaria de volta, mas não, Holly teve que aparecer para estragar tudo e ainda deixar bem claro que Gail Diva Peck é agora Gail Lésbica Peck. Estou super revoltada com isso, e não é nada homofóbico, simplesmente não me desce vê-la com uma mulher como a Holly. Na torcida para que isso acabe na premiere da 5ª temporada!

Enquanto a 15ª divisão estavam decididos de encontrar Oliver e acabar de vez com a vida de Kevin Ford. Dov enfrentava dilemas com o marido da sua namorada. Adorei as cenas dele, um milagre! É interessante terem jogado essa bomba de que talvez Chloe não sobreviva ou tenha sequelas, pois dá um ar de mistério e ansiedade para a próxima temporada, porém é detestável ter que olha novamente para o marido da oficial Price. Eita homem chatinho. Mais dramas para a próxima temporada!!!

Mas o grande destaque do episódio veio justamente com dois casais: Marlo, Sam, Andy e Nick. Os quatro ficaram na delegacia pois encontraram uma lista de Ford com o nome dos 4, mais Oliver e Chloe. Claro que era uma lista de execução e isso foi um baita choque para mim, pois assim que vi a lista, como Nash, minha cara foi de pânico total. Voltando, com os quatro na delegacia, a história tomou outro rumo e... bem, vocês sabem que as chances de rolar uma tensão entre Sam e Andy eram altíssimas. E foi bem isso o que aconteceu, num momento explosivo e impulsivo, Sam confessou seus sentimentos para Andy. Vocês não sabem a alegria que isso me deu, pois foi o que eu sempre dizia, tinha que surgir o Nick para que Sam pudesse finalmente assumir o que sente pela Andy em voz alta. 

E com a ajuda do Nick, Marlo percebeu que estava seguindo o irmão errado todos esses tempos. Outra cena OMG! Como assim? Pois se formos analisar tudo, os irmãos eram abusados pelo pai (fato revelado nesse episódio) e Ford tinha todas as características de ser o grande pedófilo, mas a verdade era que ele odeia essas pessoas por conta do trauma que passou e graças ao surto da Marlo, ele decidiu dar uma de maníaco e se vingar de todos que o acusaram de ser o que ele mais teme. Um plot sensacional que merece aplausos e tudo mais. Claro que no final Nick salvaria o dia, mataria o bandido, tudo isso depois que ele armou uma armadilha para Frank e sua equipe e invadiu a 15ª divisão como se fosse o Sylvestre Stalone naqueles filmes dos anos 80! 

O problema foi o choque de ver Sam levando o tiro daquela maneira, meio heróica, meio bad boy. Meu coração parou naquela hora e eu só pensava que poderia ser a última vez que Sam fosse aparecer. Meio dramático, né? Mas fazer o que se depois da morte do Jerry, Tassie me deixou assim? E ver Andy correndo atrás do Sam e Marlo percebendo que era a outra na relação só fez eu sorrir e chorar ao mesmo tempo, pois eu sabia naquele momento que McCollins havia chegado ao fim. Assim como Nick, que foi altruísta ao deixá-la ir atrás do Sam, percebeu. 

Não adianta, o casal de Rookie Blue é Sam e Andy, é o que tem que ser. Eu nunca deixei de torcer por eles, e não deixarei. Mas como qualquer pessoa, sempre desejei que tanto a Andy quanto o Sam fossem felizes, pois é isso que pessoas altruístas fazem. Se só Marlo e Nick pudesse deixá-los felizes, eu teria que aceitar isso e curtir porque não adiantaria ser egoísta e insistir nos dois juntos, se eles não estavam felizes. Por isso, me identifiquei tanto com Nick nessa temporada e chorei com ele na cena final, um choro calado, singelo e muito bonito, de alguém que sabia que perdeu, mas que não iria magoar quem ama agindo de outra forma. Nick foi o personagem que mais cresceu nessa temporada. Foi o personagem que mais se destacou e foi merecido ter terminado esse episódio como o herói que matou o bandido. 

Triste com o fim de McCollins, e feliz com a reaproximação Sandy, tenho que dizer umas coisinhas antes de encerrar essa review. Primeiro, uma dica. Brigar por conta de shipper não é legal e eu notei durante essa temporada que algumas pessoas se exaltaram demais. Devemos respeitar a opinião de todos, independente de qual seja. Eu vi ofensas dos dois teams (Sandy e McCollins) e, por isso, acabei me afastando de alguns grupos. Num seriado tão bonito e interessante como esse, brigar por causa disso é algo meio que dispensável. Quem decide com quem a mocinha e o herói fica são os roteiristas, e não a gente. Desculpem pelo desabafo, mas precisava dizer isso que estava entalado na minha garganta. Nunca mudei de time, só torci pelo que era melhor para dois personagens que eu adoro. E ver Nick agora sozinho foi triste sim. Embora eu tenha sentido um arrepio na barriga pelas cenas Sandy e pelo fato de que no final estava escrito nas estrelas de que eles se pertencem, senti dó do Nick e torço para que ele seja feliz.

Agora a segunda coisa que gostaria de dizer. Vibrei demais com o beijo Nash e Peck Man. Sorry, Jerry, mas estou shippando até não poder mais esse novo casal. Claro que Jerry jamais será substituído, mas vamos ser sinceros: Traci e Steve deram aquela arzinho de tensão desde a primeira cena dos dois juntos. É impossível não gostar desse casal e torcer para eles. A tensão e a química dos dois é inegável e vê-la feliz depois de tudo pelo o que ela passou só faz com que eu ame mais ainda esse novo casal. Espero ver Steve mais vezes na próxima temporada e, quem sabe, ele não vira fixo na 15ª divisão? Não custa sonhar! rs


E  para encerrar essa review bastante grandinha (rs) nada melhor do que chorarmos novamente com "you are my story. Sam, you". Eita cena linda que foi aquela na ambulância! Demorou muito para eu ver novamente Sandy e agora que eu sei que os dois estão destinados a ficarem juntos e que Marlo foi embora e que Nick percebeu que era só questão de minutos para que Andy percebesse que amava Sam e não ele, só posso dizer que estou 98% satisfeita com essa temporada. Minha expectativa é que a próxima temporada tenhamos mais humor ácido de Oliver, mais Frank e Noelle, mais Sandy, mais Nash e Peck Man, mais Nick sem camisa, mais drama, mais comédia e menos Gail lésbica. Até a próxima temporada, rookies!


PS 1: Finalmente Deus ouviu minha preces e fez o Luke tirar aquela barba estranha!
PS 2: É lógico que descobririam sobre a doença da Marlo da pior maneira. Mas que foi legal ver o Luke dando chiliques, ah, isso foi!
PS 3: Mais Oliver e Celery, please! E mais Steve e Traci também!
Share on Google Plus

About Gabriella Siggia

Formada em Direito, eterna estudante, bem humorada, alto astral e alegre, mora em São Paulo. Viciada em músicas, filmes e seriados americanos. Seriemaníaca de carteirinha! Mantém um blog pessoal em : http://gabyscseries.blogspot.com/ (@gabyever)
    Blogger Comment
    Facebook Comment