Agents Of S.H.I.E.L.D. 1x05 - Girl In The Flower Dress


É, Queimada… Quem brinca com fogo, acaba se queimando.


Nesse episódio a série desenrolou um pouco mais de sua mitologia e confirmou qual será a trama principal dessa temporada. Já falei nas reviews passadas que AOS precisa de um arco central para não se perder no meio do caminho. Por exemplo, o caso da semana poderia muito bem não ter tido utilidade nenhuma, porém, a série optou por resgatar o plot do episódio piloto para usá-lo aqui e demonstrar qual será o pano de fundo da temporada. Confesso que achei que a história poderia ter sido um pouquinho melhor elaborada, mas, no final, o saldo foi positivo.

O caso da semana era sobre Chan Ho Yin, um homem capaz de criar e manipular fogo através de seu corpo. Ele estava no Índice da S.H.I.E.L.D., que basicamente é uma lista que a organização mantém de objetos e pessoas que possuem poderes. Chan foi raptado por uma mulher com um vestido florido, que mais tarde descobrimos se chamar Reina.

Reina faz parte da organização que está desenvolvendo o Projeto Centopeia. Sim, aquele mesmo que nos fora apresentado no episódio piloto. O objetivo da organização, no momento, é estabilizar o Extremis, para que, quando injetado nas pessoas, elas não entrem em combustão (aqui é notório o link que a série faz com Homem de Ferro 3). Reina não capturou Chan por ter interesse em seus poderes pirotécnicos, mas sim por causa das plaquetas de seu sangue que impediam as partículas do soro de entrar em combustão. Se a organização do Projeto Centopeia conseguir de fato estabilizar o Extremis, já podemos esperar a formação de um exército com superpoderes.

Simultaneamente a ganância da organização para consolidar o Extremis, acompanhamos os conflitos envolvendo a S.H.I.E.L.D. e a Skye. É possível destacar os prós e contras dessa revelação precoce do motivo pelo qual a Skye está na S.H.I.E.L.D. Foi ótimo o roteiro já ter mostrado os objetivos da garota e evitado a enrolação, porém, certamente voltaremos para o cenário dos primeiros episódios, com a equipe rodeada por divergências. Acho que só Fitz-Simmons não vão tratar a Skye de uma forma mais ríspida, visto que os dois foram os únicos que demonstraram compreender o lado da hacker.

Não consegui sentir raiva da Skye em momento nenhum, porque o sofrimento dela me pareceu bem verdadeiro. Também não vi uma super traição de sua parte com a equipe. O que Skye omitiu dos agentes não era algo que os colocasse em perigo, mas, entendo a chateação, já que depois dos ocorridos, era mais do que plausível pensar que a confiança entre todos estava mais do que estabelecida.

Se trabalhada com cuidado, o plot sobre os pais da Skye pode ser interessantíssimo e render uma excelente trama. Concordo que histórias onde filhos adotivos procuram seus pais biológicos são meio clichês. É aí que a série precisa tomar cuidado e usar do clichê para fazer algo diferente e surpreendente.

Ainda falando sobre os arcos apresentados até aqui, confesso que no começo pensei que a Maré Crescente seria um inimigo em potencial da S.H.I.E.L.D., mas, pelo que foi mostrado da organização até agora, descarto essa possibilidade. Até o momento, temos a organização do Projeto Centopeia e aquela outra organização que controla as pessoas instalando microcâmeras em seus globos oculares. Pra mim, eles é que serão os grandes problemas da S.H.I.E.L.D.

Agents Of S.H.I.E.L.D. vem melhorando a qualidade a cada episódio e espero ansiosa pelo momento em que a série adotará aquele ritmo alucinante de ação durante cada exibição. Se os roteiristas explorarem com sabedoria cada arco apresentado até aqui, AOS vai conseguir empolgar muito e quem sabe até recupere os telespectadores que perdeu durante esse começo de temporada.


E vocês, o que acharam desse episódio?
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment