Grey's Anatomy 10x06/07 - Map Of You/ Thriller



Grey’s Anatomy, a série que prefere travessuras no Hallloween.

Em duas semanas a série da showrunner e roteirista mais polêmica do showbusiness conseguiu fazer ótimos episódios, passeando pelo humor com doses pequenas de drama e apostando em efeitos sonoros e cortes de cenas diferenciados. O roteiro foi trabalhado de forma mais simples, sem grandes acontecimentos ou evoluções da história e de personagens. Mesmo assim conseguiu agradar com aquele famoso “arroz com feijão” que só essa série sabe fazer, mas dessa vez com uma pitadinha de algo a mais.

O diferencial começou em Map Of You. O episódio não poderia ser mais comum, porém, bom. Algumas coisas que incomodavam começaram a melhorar, como por exemplo, a condição de Richard que não sai mais daquela cama de hospital. Se por um lado essa trama parece já ter enchido a paciência, por outro é compreensível que a recuperação do personagem seja demorada levando em conta todos os problemas que ele teve. Se bem que com outros pacientes não foi assim, mas imagina se todo médico que já sofreu algo grave nessa série ficasse na cama durante todo esse tempo? Não ia ter ninguém pra contar como foi o restante da série, porque certamente a maioria já teria desistido. Contudo, compreendo que dessa vez queiram contar a história de forma diferente, esse é o plot de Richard nessa temporada – ser paciente, então é preciso se acostumar com isso.

Mas se lá nos primeiros episódios essa trama estava bem ruim, agora já não se pode dizer mais isso. Richard, mesmo debilitado, está mostrando porque ele era chefe da cirurgia. É ótimo vê-lo fazendo uma pressãozinha nos novos internos e forçando-os a aprender mais. O único problema dessa história é ver Bailey sendo mais irritante do que nunca. Não gosto quando a personagem fica de mimimi, e se tratando de Richard ela passa do ponto. Continuo a apostar em romance entre ela e o nosso eterno Chief, tanto que Ben mal voltou e eles já estão em crise. Bailey se sentiu decepcionada por ele ter largado o programa de cirurgia e a gente sabe o apresso que ela tem por uma pessoa com paixão à profissão, então consequentemente isso contou pontos negativos contra ele. Richard, porém, se encaixa perfeitamente nesse perfil, então, é só esperar pra ver.

Falando em romance, parece que Arizona está prestes a emplacar um de verdade com Leah. Não digeri isso muito bem no início, mas as coisas estão sendo levadas de forma diferente. O que era pra ser casual está ficando cada vez mais serio, e tudo por que as duas estão vulneráveis. Leah está subindo no meu conceito. Não sei se é o texto ou a direção, mas fato é que ela tem boa veia cômica, pelo menos nesse tipo mais leve que é mostrado na série. Consigo me divertir muito com as cenas, não só delas, mas também com as dos outros internos. Talvez Shane e Jo possam ser os mais chatos, porque até de Stephanie dá pra se tirar bons momentos.

Já a relação dela com Avery não é possível dizer o mesmo. O casal é uma das coisas mais sem vida que série já mostrou e o único lado positivo disso é que a relação dele com April mudou pra melhor. Ambos colocaram o drama no bolso e estão seguindo suas vidas muito bem, dividindo cirurgias e tendo bons momentos como amigos.

E o mesmo pode acontecer com Owen e Cristina. Até então, o casal parece estar estagnado numa relação que não chega a ser amizade, mas que não está nem mais perto de ser algo romântico. Em Cristina estão mais focados em mostrar a relação dela com Meredith. Uma amizade que está se esfriando, chegando a níveis perigosos de afastamento. As duas parecem não falar mais a mesma língua, não estão mais em sintonia como era antigamente e ambas estão percebendo isso. Não teve uma grande briga que fizesse as duas pararem de se falar de vez, tudo está acontecendo tão naturalmente como se fosse a vida real. Quem nunca passou por isso com um amigo de longa data, onde se tem muita afinidade, mas em certo momento da vida começam a pensar e seguir caminhos diferentes? Mas como a gente torce a favor, pois Cristina e Meredith foi e sempre será o casal principal da série, esperamos que no final tudo acabe bem. O maior triunfo que elas têm em suas mãos é a sinceridade. Há algumas semanas Cristina foi um pouco ríspida com Meredith ao falar sobre balancear carreira e família, já em Map Of You Meredith respondeu a altura, dizendo que consegue SIM ser uma ótima cirurgiã ao mesmo tempo em que dá conta das tarefas de mãe e esposa.

E nesse episódio de Halloween ela conseguiu provar isso, tendo um dia cheio no hospital e ainda fazendo festinha pra Zola. E nessa festinha se tornou ainda mais visível a evolução do drama de Callie e Arizona. As duas parecem ter dado uma trégua em respeito à Sophia. Chega de brigas que não valem mais apena!

E já falando em Halloween é preciso dar os parabéns para a produção da série que conseguiu ambientar tudo para se assemelhar com filmes de terror. Com direito a zumbi e tudo mais. The Walking Dead ficou no chinelo depois do paciente que leva tiro no coração e não morre e ainda morde a médica, fazendo ela até correr risco de pegar HIV.  Também adorei a velhinha com asma que chegou no hospital procurando logo a interna morta. E a pessoa mais obvia pra atendê-la só poderia ser Shane, o “responsável” pela morte da colega. Ponto positivo por não insistirem no mimimi e fazer de toda a situação uma forma de superação.

Não é preciso dizer o quão nojento foi a senhora com a ferida na perna. E dessa história o bom destaque só vai mesmo pra Meredith sendo uma excelente médica, que consegue se conectar com o paciente sem se envolver demais, erro que acontecia muito nas temporadas mais antigas. Já Derek se tornou um objeto cênico de luxo. O personagem não tem outra função que não seja como esposo de Meredith ou de vez em quando aparecer desenvolvendo alguma pesquisa. Espero boas tramas no futuro envolvendo tudo isso que ele está descobrindo para o futuro da medicina.

Por ultimo e SIM menos importante temos Karev com seu entediante drama sobre a rejeição do pai alcoólatra. Teve até Justin Chambers relembrando bons tempos de episódio musical, cantando e tocando músicas que o personagem aprendeu na infância. Sinceramente, espero que venha um bom twist dessa trama, porque isso tudo é muito ruim e sem graça. Diante de todos os personagens, ele é que mais se deu mal  na maioria das situações, a não ser por ter Jo vestida com a fantasia da Sininho de Once Upon a Time (erotizando contos de fada em 3,2,...).

É bom ver quando uma série consegue modificar trazendo o simples de forma mais criativa. Um salve pra Grey’s Anatomy, que ainda continua sendo uma das melhores séries após de 10 temporadas.


PS: Cristina e Shane? Shonda, você está fazendo isso muito errado.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment