The Vampire Diaries 5x05 - Monster's Ball


Estaria The Vampire Diaries voltando aos seus dias de glória?

É com imenso prazer com que eu venho relatar que TVD fez um episódio bom de verdade. O apreço pelos acontecimentos dessa semana não veio logo de cara, mas fui aproveitando e tentando digerir tudo para formar uma opinião. E o episódio só foi crescendo, chegando ao momento clímax logo no final, que me fez defini-lo como um dos melhores desde a quarta temporada.

Esse conjunto de tramas, algumas não tão boas e outras absurdas, conseguiram virar um pacote de sambadas dignas das tramas da segunda temporada. Acredito que a série conseguiu achar seu tom novamente, mas isso ainda não é consistente. É preciso de mais algum tempo pra se ter certeza de que o foco na mitologia e nas histórias de resolução rápida para dar vez a outras voltou a ser permanente. A valorização do triângulo amoroso dos personagens principais é algo que faz o ritmo da série diminuir e espero que os roteiristas tenham bom senso pra perceber isso.

A amnésia de Stefan acabou facilitando esse caminho, porque apesar do personagem ter jogado seu charme pra cima de Elena no episódio passado, isso não foi levado adiante. Mas isso só aconteceu por causa da personalidade desse novo Stefan, essa sua nova fase não é tão mimizenta como o original é e com isso a série só tem a ganhar. Só acho que Damon agora pode começar a ter alguns problemas, pois ninguém gosta de ter seu pescoço quebrado a cada dez minutos e Stefan parece ter ficado um pouco irritado com isso.

Mas todo esse plano não adiantou muito, pois Qetiysha (ou Tessa, fica a sua preferência) acabou tendo mais sorte. As motivações se divergem. Silas precisa antes de tudo destruir o outro lado para assim se tornar um bruxo mortal e poder morrer para ficar ao lado de Amara, mas Tessa quer exatamente o contrário. Não sei o que pensar agora que ele já conseguiu a cura, porque pelo visto ele terá que dar uma acelerada nos seus planos.

Mas o que me deixou mais apreensivo foi a atitude de Damon, que colocou Katherine na linha de fogo. E agora não sei se ela voltou a ser vampiranha ou se continua só piranha. Só sei que essa história dela como mãe veio como uma das surpresas mais absurdas que eu já vi na série. É difícil saber no que vai dar dessa relação de Katherine com Nadia, só não quero que humanizem a personagem demais, pois a graça é exatamente ela ser menos humana possível.

No núcleo da faculdade temos Caroline tomando a atitude que já deveria ter tomado há muito tempo. Não faz sentido nenhum a presença de Tyler na série. Como que ele pode fazer faculdade se nem o High School ele terminou porque estava fugindo de Klaus? E o pior. Mesmo fugindo durante todo esse tempo ele resolve deixar Caroline para correr atrás de vingança. Caroline, supera, porque esse realmente foi tarde! Contudo, tenho maus pressentimentos de que ele deve pintar em TO para concluir seus objetivos e talvez estragar o que está dando certo.

Tem também o Drº Wes Maxfireld fazendo experiências e criando novos vampiros, história que eu não apostava muito, mas que pode acabar sendo bem interessante. Agora só falta descobrir qual é a relação dele com Aaron e a de Aaron com Megan. O que fica evidente é que pode rolar uma tensão entre ele e Elena e com isso TVD sai da zona de conforto. Porque já foi o tempo em que o triangulo Elena, Damon e Stefan era  interessante, quer dizer, minto, porque isso nunca foi interessante. O que sempre importou na série foi a rapidez das tramas, os plottwists, envolvendo mitologia e fazendo dela o foco principal e pelo visto é isso que estamos vendo novamente.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment