Grey's Anatomy 10x11 - Man on the Moon


Avanços na medicina.

O que Grey’s Anatomy tem feito de melhor nesse período crítico é o foco no avanço dos personagens como pioneiros em pesquisas que podem mudar a vida das pessoas. Pela primeira vez, pelo menos pra mim, o foco nos casos da semana tem sido mais interessante do que a vida pessoal dos personagens e isso é extremamente preocupante. Os casos médicos sempre foi algo que servia como plano de fundo, tendo ligação moral com as situações pessoais dos personagens. Isso ainda continua acontecendo, porém, o que anda acontecendo na vida dos médicos do Grey Sloan Memorial Hospital não está sendo um grande motivador pra quem acompanha a série.

Entre várias histórias, a mais emocionante foi a de Becca, cobaia na pesquisa de Derek e Callie, que só conseguiu ter progresso se concentrando no sentimento que tinha pelo marido. Foi bem emocionante a cena em que ela consegue tocar John, mesmo que isso não estivesse acontecendo de verdade.

Já nas pesquisas de Meredith e Cristina as coisas não foram tão boas assim. Pra Cristina até que acabou dando certo no final, mas com Meredith o caminho parece ser mais longo. Gostei da atitude de ambas em relação a pesquisa, mas separadamente, porque quando elas se juntaram logo começou a sair faíscas, e o pior, pelos motivos mais toscos, o que foi visível no tipo de discussão que elas tiveram. É uma pena que isso esteja acontecendo. Uma interpretando mal o que a outra fala e não dando chance se quer de uma explicação. Preciso dizer também que odiei Cristina defendendo Ross, aquele com quem ela anda dando comidinha e que está causando repulsa a cada cena de dormitório. Nesse caso Meredith estava correta, pois a atitude arrogante de Ross está passando dos limites, ainda mais levando em conta de que Meredith não é só sua superiora como médica, ela também é dona do hospital e não é só porque ele está de caso com Yang que ele pode ter esse tipo de atitude.

Entrando na parte mais leve do episódio, temos April e suas irmãs que conseguem ser mais irritantes do que ela. O chá de panela serviu para que algumas verdades fossem ditas, mas na verdade, acho que essa trama de casamento é a coisa mais desnecessária da série. E tudo porque a gente sabe que April provavelmente não vai se casar com Matthew e logo logo estará voltando para os braços de Avery.

Outra trama que já está dando nos nervos é a do pai alcoólatra de Karev. Já disse aqui antes que essa história de pai alcoólatra ou drogado que volta pra buscar redenção é uma das coisas mais irritantes e manjadas que pode acontecer em séries. Estou quase apostando que o pai de Karev vai morrer antes mesmo ou a tempo de ter o perdão do filho e o problema maior disso é o mimimi que vai ser feito pelo personagem depois disso. Queria tanto uma história digna para Karev, mas parece que Izzie foi a única que conseguiu conduzir o personagem para algo do tipo.

E a trama de Grey’s está tão decepcionante, que até coisas que eu reclamei antes eu estou querendo de volta. Exemplo disso é Bailey, que foi alívio cômico durante um bom tempo e que quero urgentemente que ela volte com isso. O TOC da personagem não é nada agradável de ser ver, são as cenas mais chatas e irritantes que a série anda fazendo. Só espero mesmo que os remédios resolvam o problema for good e que a personagem volte a ser a grande cirurgiã que sempre foi.

Já o que está voltando finalmente a normalidade é a relação e Callie e Arizona. As duas chegaram a conclusão de que conversar demais não ajuda e resolveram seguir em frente começando pela pegação. Só que ainda tem Leah, que está morrendo de amores por Arizona e por mais que eu não a classifique como uma real ameaça para o casal, sinto que alguns probleminhas devem surgir com isso. Realmente não ligo pra Arizona, mas se fosse para ter drama que a gente aproveitasse de verdade teríamos que ter a personagem de Hilarie Burton para tornar essa trama mais suportável.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment