Homeland 3x10/11 - Good Night/ Big Man in Tehran


Game Change? Maybe not.


Se você que está lendo essa review também é fã de Homeland, provavelmente deve estar em estado de excitação extrema, porque a série conseguiu fazer uma das melhores sequências até agora. Sabendo como estava o andamento das tramas era difícil de imaginar que poderíamos chegar a um momento assim, mas felizmente os roteiristas conseguiram dar um bom direcionamento a série que está encerrando sua temporada muito bem.

Good Night foi um episódio difícil de achar defeitos, apesar dos antigos furos de roteiro que acabaram sendo bagagem para a história sustentada até agora. Gostei de acompanhar todo o processo de uma missão. Imagino que os produtores se esforçaram para fazer tudo chegar bem perto desse tipo de realidade. As cenas de Brody e a equipe que o acompanhava foram muito boas, principalmente o entrosamento dele com os caras.

Engraçado é que quando começo a me simpatizar pelo personagem e torcer pela vida dele, o que acontece é exatamente o contrário, mas enfim, um avulso sempre será um avulso, a não ser por Fara, que de avulsa passou a ser parte importante do plano, mas não por ela e sim por um parente seu no Teerã.

O que me deixou apreensivo foi a persistência de Brody em continuar com o plano, mesmo que horas antes eles estivesse morrendo de medo de morrer. Mas ele já passou por um trauma muito grande, então essa atitude é compreensível.

Também gostei bastante de ver todo o pessoal na sala de comando durante a operação e isso conseguiu aumentar muito a tensão que era uma coisa que a cena precisava ter. Todas as estratégias de plano, de ordem, a forma de fazer contato, de saber onde o inimigo se encontrava, enfim, tudo foi muito bem feito.

Mesmo com essa enorme qualidade, Good Night não foi capaz de superar Big Man in Tehran, que conseguiu elevar tudo isso que eu falei de tensão a níveis inacreditáveis. O episódio me deixou às cegas mesmo, sem conseguir prever o que iria acontecer. Podia até ter um palpite, achar alguma coisa, mas livre de realmente acertar, pois não consegui ver previsibilidade em nada.

Uma pergunta interessante é: Como será que Carrie está conseguindo esconder essa gravidez por tanto tempo? Quinn já sabe e não é feitio dele sair contando esse tipo de notícia aos quatro ventos, mas a barriga da mulher já está dando pra aparecer bastante e se Quinn foi capaz de mexer nos prontuários e descobrir, como que o pessoal da CIA ou até mesmo o próprio senador não teve nem um pouco de curiosidade de ver como estava o estado de saúde de sua agente? Só acho que essa gravidez não causa interferência nenhuma na trama de agora, mas pode ser que mais pra frente ela venha a ser usada de maneira apropriada.

Foi bom ver que minha ideia de que Brody é um cara que não se pode prever se confirmou nesse episódio. Em nenhum momento a gente sabia o que ele iria fazer. Cheguei realmente a cogitar que ele viraria a casaca e ferraria com todo o plano envolvendo Javadi. Acredito que várias coisas devem ter passado por sua mente. Brody estava sendo visto com herói no Teerã e isso mexeu com a cabeça dele. Talvez se não fosse por Dana, ele teria ficado lá e entregado sim todo o plano, mas acho que no ultimo momento sua única motivação deve ter sido a imagem que ele passaria pra filha, mesmo estando longe.

O plano foi bem arquitetado e o mais impressionante disso tudo é ver o quanto Carrie com seu jeito todo psicótico consegue persuadir as pessoas. Convence o tio de Fara e aos capangas avulsos muito facilmente em seguir suas ordens no plano. Porém, mesmo com esse jeito único e impulsivo o roteiro da série sempre caminha pra uma coisa: No final Carrie sempre acaba tendo razão sobre as atitudes de Brody, tendo ele dúvidas ou não.


Agora é aguardar ansiosamente pra ver o que nos espera nessa season finale, que nos trará a tentativa de fuga de Brody. Sair da sala de Akbari não vai ser uma tarefa fácil. Ainda penso que dessa temporada Brody não passa e aposto na morte dele diante de Carrie para tornar tudo bem dramático. Só não sei se isso vai acabar sendo bom ou não, pois a única coisa que eu não quero é ver Homeland virar um dramalhão.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment