Chicago Fire 2x11 - Shoved In My Face

Candidates, welcome to the Chicago Fire Academy!

Chicago Fire retorna do hiatus de um modo atrevido! Toda a tensão por conta do acidente do Casey transforma-se em riso por saber que "está tudo bem." Um salto de 6 semanas deixa alguns questionamentos que garantem história suficiente até o final da temporada! Um bom regresso, personagens novos interessantes e algumas respostas daquilo que ficou no ar! "Truck 81, Squad 3, Ambulance 61..." welcome back to the Firehouse 51!

Matthew está de volta após liberação médica: não sabemos o que realmente aconteceu, mas ele não está inteiro (a cicatriz na nuca que o diga). A falta de memória pra lembrar a combinação do armário é só a pontinha do iceberg deixada pela lesão. Ele está agressivo - vide o caso no banco ou perguntem ao Mouch! - e agindo de maneira diferente. Eu sei que Dawsey demorou pra dar certo, mas resolver morar juntos e noutra casa tão repentinamente... não sei, parece uma necessidade extrema de recomeço a fim de não encarar, de fato, as sequelas deixadas do acidente. Ao mesmo tempo, a amabilidade e gentileza estão intactas: a carta de recomendação pro Mills, 'o pagamento da aposta' com o rapaz resgatado naquela última cena... este é o Casey que conhecemos e queremos tão bem! 

Dawson tem seu primeiro dia na Academia e eu estou muito ansiosa por este plot! Ela sempre foi durona e muito inteligente, aguerrida e esforçada e, ainda que não seja fácil, sei que será uma excelente bombeira! Seu Instrutor é Severide que, em cumprimento à palavra dada ao Chief do quartel dos recrutas sobre ajudar na peleja 51xMcLeod vai dar aulas aos novatos, faz um ótimo trabalho até tropeçar em Rebecca Jones aka filhinha do papai. Desde sua primeira aparição meu radar pra vadias apitou alto!! Jones é aquele tipo de pessoa que é amigável na frente e uma víbora pelas costas e, aposto, dificultará a vida de Gabby! Todos prontos pra odiar Rebecca Jones sim ou claro?!

A nova paramédica é Allison Rafferty e, se inicialmente, acreditei que seria um terror na vida de Shay, a atitude com o advogado sobre o caso Darryl foi uma boa maneira de baixar a temperatura. Homofóbica é uma palavra muito forte, então chamemos Allison de preconceituosa (e preciso dizer que gostei da série tocar nesse assunto sem caricaturas). A parte ruim de tudo isso: pobre Leslie, o fantasma do suicida ainda paira sobre ela. Quanto a Petter Mills... ele é o novo integrante do Squad (abrindo uma vaguinha no caminhão... Dawson, será sua?) e, oficialmente, um membro da Brigada! Estou feliz por ele, de verdade, e por Mouch - DESCULPA, AMIGO, MAS NÃO DÁ PRA TE CHAMAR DE OUTRO JEITO - agora como presidente interino do Sindicato! 

Fechando as pontas soltas, Jay e Antônio aparecem pra resolver o caso Clarke. Enfim ele começou a enxergar Lisa como deveria e parou de encobri-la. Triste estou pelo Molly: quando tudo parece melhorar, descobrimos que o bar é do banco e, convenhamos, já deu, né? Esse plot é tão obsoleto, pra mim, que minha tristeza será facilmente esquecida quando o Herrmann encontrar um novo passatempo. Falando nisso, quem diria que Katie e Otis fossem sensualizar falando de Settlers of Catan?! Adorei as cenas deles, principalmente o medo de serem pegos por Sev, rs! 

Melhor diálogo do episódio:

Shay: "You happen to see Ellen yesterday?" 
Allison: "Dang, I missed it." 
Shay: "Oh, it was a great episode. They had the cast of glee on."  
Allison: "Wow. You must have crapped a rainbow." 
Shay: "It made me at least 5% gayer."



Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment