Cougar Town 5x01 - All Or Nothing


Season five? Didn’t see that coming.

Quem diria que chegaríamos até aqui. Lembro-me das primeiras notícias, dos primeiros pôsteres, dos primeiros vídeos promocionais e da expectativa criada em torno da nova série de comédia da “ABC” estralada pela eterna Mônica de “Friends”, Courteney Cox. De fato "Cougar Town" nunca teve o sucesso de público que merece ter. E mesmo sendo negligenciada pela audiência, sempre manteve um padrão cômico de dar inveja as grandes comédias da televisão. Depois de uma mudança de canal e muitas taças de vinho, chegamos a quinta temporada que é hoje, para os seus fiéis fãs, uma das melhores séries de comédia da atualidade.

É tempo de mudanças e adaptação. Chegamos ao momento em que todos esperávamos a algum tempo. Travis e Laurie finalmente se acertaram. Para a tristeza de Travis, Jules sempre teve seu lado materno muito bem aguçado e de alguma forma isso sempre atinge os relacionamentos amoroso do menino. Dessa vez a situação é ainda mais complicada, pelo fato de Laurie ser uma das melhores amigas de Jules. A partir daí "All Or Nothing" se desenvolve. Criando a investida cômica de mexer com o novo relacionamento de dois dos membros do grupo, através de uma mãe super protetora.

Mais esperado que o novo casal da série, era o momento em que Penny can se tornaria um jogo conhecido mundialmente. Sorte do Bobby que com isso, consegue um cheque de 14 mil graças a uma cláusula de contrato. Mas quem acaba ganhando mais com isso somos nós espectadores. Com sua positividade, carisma e de certo modo inocência, Bobby sempre foi o raio-de-sol de Cougar Town, e quando ele é colocado para interagir com um personagem que é quase o inverso do que ele apresenta, cria-se um contraste muito interessante entre os dois. Grayson pode parecer um pouco rude por cobrar as contas que Bobby nunca tinha pago, mas até quando esse povo vai ficar bebendo de graça no bar dele? E prova de quanto Bobby é inocente, são as maluquices que G-Man teve que fazer para cobrar, sem magoar o amigo.

O pequeno filho dos Torres provavelmente já assistiu mais filmes do que a Jules, e experiência de filmes podem ser confusas para todas as idades. Jules, sente uma certa dificuldade em entender o conceito de “Edward, mãos de tesoura”, enquanto o pequeno Stan, sofre uma experiência traumatizante após assistir (com aprovação do pai) “A hora do pesadelo”. Mesmo sendo um plot que não interage totalmente com a história principal do episódio, foi divertido demais ver o Freddy Krueger fazendo um visita aos Torres tendo que explicar o porque vai embora da cidade. Cabe dizer que Stan está se tornando um dos meus personagens favoritos nessa série, pois um menino tão pequeno que consegue ser ainda mais malvado que a Ellie merece todo mérito possível.

Para Jules, a hora do pesadelo só estava começando, ou melhor, sua psicose estava só começando. Se as coisas já não estavam muito boas entre ela e o novo casal, imagine quando a coitada escuta o som do chuveiro ligado, entra no banheiro e se depara com os dois tomando banho juntos. Tudo isso ao som bem apropriado da trilha do filme clássico “Psicose”. Sua peripécia lhe rendeu um braço quebrado e uma das cenas mais engraçadas de história das séries de comédia.

Chegamos a um ponto em que não temos mais onde errar. Todos os episódios têm potencial para serem ótimos da mesma maneira que foi “All Or Nothing”. Personagens bem construídos em situações gostosas de assistir, com uma pitada de boas referências; e a essência está feita. Não tenho medo de criar grandes expectativas sobre essa temporada, afinal já nem me lembro qual foi o último episódio ruim de Cougar Town. 
Share on Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment