Freaks Look: Chicado PD



Lembra quando Chicago Fire estreou e a maioria das pessoas se referia a série como Third Watch em Chicago e sem a parte policial? Pois é, Dick Wolf e demais mentes por trás de CF entraram na onda, aproveitaram a boa aceitação (e audiência) que a série teve e logo a NBC aprovou um spin-off focado só na parte policial da coisa.

Chicago PD tem como protagonistas principais Hank Voight (Jason Beghe) e Antonio Dawson (Jon Seda) ambos já conhecidos por quem assisti Chicago Fire. O primeiro por ser um policial corrupto que se envolveu com o Tenente Casey (Jesse Spencer) e o outro por ser irmão da Gabi (Monica Raymund). A dinâmica da série foi apresentada no episódio 1x23 - Let Her Go de CF onde descobrimos que Voight após conseguir um acordo e sair da prisão passa então a liderar uma equipe de Inteligência da polícia e ser o novo chefe do Antonio. Sim, os dois não se batem bem até porque o primeiro não tem muito escrúpulo e faz qualquer coisa pra conseguir o que quer, enquanto o segundo faz mais a linha de policial boa praça e parceiro (e gaaato).

De lá pra cá muita coisa mudou quanto ao elenco da série. De fato, só se manteve os dois principais e o policial Atwater (Laroyce Hawkins) que nesse piloto só serviu como ponta pra mostrarem alguns personagens de Chicago Fire - sim, ao que parece a interações entre as séries serão mais do que constantes -. Melissa Sagemiller com sua detetive Julia Willhite também estavam no prequel, mas a atriz resolveu deixar a série e bom, deram um jeito bem chocante de determinar isso. Lembro de ver ao episódio me questionando justamente por isso já que ela não se encontrava mais presente no material promocional da série. Bobinha eu! 

Vi muito gente se perguntando como que um cara com a fama de corrupto e cheio de falcatruas como o Hank conseguiu essa posição e em como era sem sentido uma série policial onde o "bad guy" era o principal. Mas quem viu o episódio 1x23 sabe que ao que parece o Voight fez um acordo com a corregedoria e agora mantinha sua fama de 'dirty cop' nas ruas só para conseguir nomes e contribuir com outras investigações. Isso não muda o fato, claro, que não consigo confiar ou acreditar nas intenções sinceras deles, o que é legal pra manter essa dualidade no show.

Temos também a detetive Erin Lindsay (Sophia Bush - sim, os fãs de One Tree Hill surtam com a Brooke Davis virando uma policial) e seu parceiro detetive Jay Halstead (Jesse Lee Soffer), que inclusive já fez sua pontinha em uma história relevante da atual temporada de Chicago Fire. A interação dos dois foi uma das coisas mais legais do piloto e a Lindsay foi quem mais conhecemos e tivemos contato até agora. Já dar pra imaginar que o Voight tirou ela da ruas, tal como o menino do episódio, e que tem muito mais por trás desse protecionismo dele com ela.

Completando o time temos detetive Alvin Olinsky (Elias Koteas) que é pacato, na dele e sempre estar por perto mesmo quando não o notam; o policial Adam Ruzek (Patrick John Flueger) que foi recém tirado da academia para servir como rosto novo e tentar enganar os traficantes e que me passou uma ideia de cabeça quente e de quem logo vai fazer besteira; o detetive Sheldon Jin (Archie Kao) que veio fazer quase a mesma coisa que fazia em CSI e é o "item tecnológico" da equipe e aparentemente sabe e encobre as saídas do Voight; além da policial Kim Burgess (Marina Squerciati) que é louca pra entrar oficialmente para o time da Inteligência e que ao menos aqui deu a entender que pode ser a ponta cômica da série.   

A fórmula pra o sucesso de sua predecessora, Chicago Fire, é que apesar de ser uma série procedural, nós nos deparamos com vários casos por episódio e sempre tão interessantes quanto e sempre tem muito coisa relevante acontecendo na vida de vários dos personagens, nem temos tempo de reclamar que não há ação na série. Se Chicago PD conseguir seguir essa linha tem tudo para vingar também. Espero que a série não fique totalmente presa a esse universo das gangues, o que é meio difícil porque ao que parece isso é a função de uma Equipe de Inteligência. Foi uma estreia boa mas nada tão surpreendente, mas vale conferir alguns próximos episódios e acompanhar o ritmo que o seriado seguirá. 
Share on Google Plus

About Rebeca Barros

Sarah, we make a family, yes? (@bkbarros)
    Blogger Comment
    Facebook Comment