The Vampire Diaries 5x11 - 500 Years of Solitude


Um salve a Katerina Petrova.

Chegamos ao episódio 100. E com uma ocasião tão marcante seria pouco não colocar como tema principal a vida e morte de uma das melhores personagens da série, se não for a melhor, e que salvou a história da chatice e da monotonia tantas vezes.

Katherine sempre foi uma personagem importante dentro da mitologia da série, porém, não tão essencial em alguns momentos. Suas aparições sempre foram estratégicas, trazendo alguma grande revelação ou arquejando alguma coisa a mais em alguns de seus planos mirabolantes de sobrevivência e/ou fuga. O problema começou quando essas aparições começaram a ficar corriqueiras demais, consequentemente não causando tanto impacto como deveria. Mas ainda assim a personagem sempre foi responsável por inúmeros momentos de diversão instantânea pra quem acompanha a série. A personalidade de Katherine é um plus dentro da série e sempre fez um ótimo contraponto com a passividade de Elena.

O impressionante é que mais uma vez nossa querida Vampiranha, que até então era só piranha nos últimos episódios, conseguiu ser mais esperta com essa ultima jogada ao término do episódio. Pra quem acompanha as minhas reviews sabe que eu já tinha cantado essa desde que Nadia veio com o plano sobre usar o corpo de alguém como hospedeiro pra sua mãe, e o que aconteceu foi exatamente o que estava previsto. Previsível? Sim. Mas isso não tira o mérito da coisa, porque além de ser um desperdício pra série deixar uma personalidade como a de Katherine desaparecer, os conflitos que essa possessão pode ocasionar são promissores.

Katherine é uma sobrevivente e ela fez o que foi preciso pra continuar viva, apesar de eu ter acreditado um pouco em suas palavras de arrependimento e comprado suas motivações devido a sua vida sofrida no passado.

Achei um máximo todo mundo brindando a morte da personagem ao lembrar de cada atrocidade que ela fez cada um passar. Mas o grande feito do episódio foi conseguir juntar um grande número de personagens significantes durante todo esse tempo de série. Foi ótimo ver Vick de novo em um momento bem emocional, seguido da aparição de Alaric fazendo piadinhas com Damon. Teve até  retorno de Jenna e de John, que usou Hello fingers, Goodbye fingers em referência ao episódio em que Katherine aparece no termino da primeira temporada. Momento épico.

A aparição de Klaus foi um evento a parte, porque a pegação dele com Caroline era uma coisa que todo fandom esperava e que muitos já tinham perdido as esperanças. Conclui isso mais como uma homenagem aos fãs que sempre foram loucos pelo shipper. Klaus está em The Originals e não acredito que Caroline vá migrar para a série derivada. Se valeu apena toda a sequência? Com certeza valeu, pois a química entre os dois é grande, mas pelo menos pra mim essa página já está virada. O único problema é ter que aturar a presença de Tyler de novo. O personagem já está desgastado e não vejo mais espaço pra ele dentro da história.

Concluindo... Por se tratar do 100º episódio não achei  grandes coisas, mas foi divertido e conseguiu honrar alguns personagens e algumas histórias que marcaram nesses cinco anos de série. Depois de vários tropeços desde o inicio da quarta temporada, parece que Caroline Dries está conseguindo colocar a série nos trilhos. Não tem a mesma qualidade de antes, mas pelo menos diverte.
Share on Google Plus

About Wellington Laurindo

Não vive sem música e tem em sua mente uma trilha para cada momento/ período de sua vida. Na vida de seriemaníaco há uns cinco ou seis anos, mas com um background de seriados clássicos desde sua infância. Está deixando a vida ditar por si própria os caminhos que deve seguir e esperando que isso venha dar certo. (@Wellington_Ign)
    Blogger Comment
    Facebook Comment