The Voice Brasil 2x13 - Final, Parte 3


Nesta última quinta, tivemos o último episódio da segunda temporada de The Voice Brasil, e gostaria de iniciar meu review defendendo a vitória de Sam Alves. Não que ele fosse meu favorito. Pelo contrário, se eu pudesse escolher entre todos os participantes, KhrystalRaíza Rae ou Bruna Barreto teriam levado o prêmio. Mas não é por isso que irei desmerecer a vitória de Sam como tenho visto por ai.

Obs.: Coloquei vídeos das minhas favoritas em apresentações fora do The Voice, basta clicar nos nomes delas. 

Não sou o dono da verdade e nem sou entendedor de música, mas gostaria apenas de compartilhar meu ponto de vista com outros fãs do programa e a melhor forma de fazer isso é rebatendo algumas frases que li/ouvi depois do anúncio do vencedor e sinceramente não concordei.

Vamos lá?

1. O vencedor do The Voice Brasil foi rejeitado por todos os técnicos nos Estados Unidos, isso prova o quão inferior são os candidatos daqui.

Bitch, please! Não estou aqui debatendo o nível dos candidatos das diferentes franquias, mas o nível deles não é medido por isso. Se for assim, Rubens Daniel foi rejeitado por todos os jurados do Ídolos 2009 e também chegou a final do The Voice Brasil, então os participantes do Ídolos da Record são superiores ao do The Voice? Claro que não. Khrystal com a apresentação da música "Morô?" nas audições cegas não conquistou quase ninguém, enquanto "A Carne" fez com que ela ganhasse boa parte do Brasil. Já Pedro Lima, teve só Lulu Santos virando a cadeira para ele, e conseguiu "derrubar" CINCO candidatos que tiveram as quatro cadeiras viradas e estavam no MESMO time que ele. Isso porquê? Porque as pessoas podem se dar bem em uma apresentação e em outra não, além de evoluírem ao longo do tempo.

2. O Vencedor do The Voice Brasil não canta em português/ Sam não representa o Brasil

Sério? E? Ele podia nem ser brasileiro, que isso não seria problema. Caso aquela francesa que foi eliminada na primeira fase, tivesse prosseguido e vencido ou Alma Thomas na edição passada, seria um problema? Não. Por que? Porque a produção/regras permite isso. E por que ela permite? Porque o programa não elege a melhor voz que canta em português ou o melhor cantor brasileiro, o programa chama The Voice Brasil porque quem elege a melhor voz são os brasileiros. Ainda que alguém em outro país possa votar, essa porcentagem é minima. Além disso, apesar de amar Lucy, não concordo em dizerem que ela é a cara do Brasil. Ela passa sim, muita brasilidade, mas o Brasil é muito maior e muito mais diverso para ser todo representado por ela. 

3. Sam Alves não chega aos pés de Elen Oléria

Cara, é cada comparação que eu escuto! E o que tem a ver? Isso não tira o mérito dele. É o mesmo que dizer a um time que ganhar a próxima copa de futebol: "Mas esse time não venceria o do Brasil em 94!".  

4. Sam venceu só porque é bonito / tem história triste / foi indicado por Thiago Leifert

Sério? Vocês não vêem o Sam durante os ensaios? Bonito? Se fosse por beleza acho que Rafael Furtado seria o vencedor. E o público do The Voice provou na primeira edição que votava sem preconceitos, ao eleger uma mulher, negra, lésbica, em um país machista, racista e homofóbico como o nosso. Além disso, ainda que alguém votasse nele por beleza ou por questões sociais (comovido com a história do abandono da caixa de sapato) ou qualquer outro aspecto, que não a voz, será que os mesmos baixariam as músicas dele? Sam liderou entre as músicas mais ouvidas/baixadas durante toda competição! Sua página está quase alcançando as 500 mil curtidas, número não alcançado por nenhum outro participante de nenhuma outra edição. Se tem alguém que conquistou o público, preenchendo o perfil comercial em todos os aspectos, esse alguém é Sam Alves. Então, aceitem, ele é a atual voz do Brasil, ainda que não seja seu favorito. Ele precisa melhorar em alguns aspectos sim, mas isso também não tira o seu mérito.  



Posso estar errado? Claro! Mas eu precisava compartilhar meu ponto de vista! Não me xinguem muito, por favor, pois sou sensível.

Depois dessa palestra sobre a diferença entre "Não gostei do vencedor" de "Não achei justo a vitória dele", vamos analisar as apresentações dessa final que por alguns segundos eu achei que iria durar a vida toda! 

Finalistas




Música: Não Quero Dinheiro (Só Quero Amar) - Tim Maia

Achei deliciosa essa apresentação e abriu o programa em grande estilo. Lucy vestida de Alice no País das Maravilhas, Pedro Lima com o paletó do Willy Wonka e com a calça "pega-frango", Sam com a mesma roupa da semana anterior, e Rubens quase desaparecendo no palco devido a altura feat. cor do terno, estavam todos em perfeita sintonia. Eu gostei bastante, apesar de que como produtor do programa, escolheria outra canção, pois a chance de ficar parecendo banda de formatura cantando essa música do Tim Maia era de 90%.

Ellen Oléria: Vencedora da Primeira Edição




Música: "Testando" - Ellen Oléria

Ellen veio trazendo sua música de trabalho, que eu adorei, mas achei pouco comercial. O cd dela é realmente bom e ela canta muitas músicas boas, essa em especial, ela resolveu tentar colocar todas as palavras da língua portuguesa, ou então contar a história inteira de Senhor do Anéis só que mais rápido que Galvão narrando um gol. Claudinha da sua cadeira, que inclusive parecia estar alteradíssima por misturar moderador de apetite com vodka, tentava cantar a música, mas se perdia sempre. A Ellen dispensa comentários, pois ela é realmente foda, em todos os aspectos. Entretanto, uma coisa interessante que aconteceu nesse dia, foram os comentários no nível de: vencedor não faz sucesso.


Realmente, quando Gina Indelicada faz mais sucesso que o vencedor do The Voice Brasil, a primeira sensação é de frustração. Porém, Ok! Ellen não é um hit do Brasil, mas Ela tem seu público, acredito que tem mercado para shows e provavelmente, atualmente, só vive (e bem) de música. Com o tempo pode ser esquecida, mas não a vejo como uma vencedora que não fez sucesso. Até mesmo porque, o estilo dela não é de tocar em festas e atrair grande parte de público jovem.

Sam Alves



Música: "Hallelujah" - Leonard Cohen

Claudinha foi a melhor técnica que defendeu seu candidato. Fez um discurso bonito e foi bem esperta em escolher a canção para  Sam: escolheu uma canção que misturasse as duas línguas! Em português para agradar os "odiadores" e em inglês que é como ele se sai melhor. Ao fundo, um coral se movimentando no palco como alunos da quarta série em dia de coração. Sam, que tem sido contestado na internet em relação a sua sexualidade e vem negando, cantou uma música gospel no melhor estilo ex-gay curado por Marcos Feliciano. Não estou aqui afirmando que ele seja gay, porém, na sociedade atual, totalmente rotuladora, ele parece muito Félix na versão convertido, o que é inevitável tais dúvidas e questionamentos, já que ele se tornou uma figura pública. Fã não quer só comprar cd, quer saber inclusive a cor da calcinha que o artista veste. Esse é o ônus da fama. Se ele for ou não for, não altera em nada artisticamente falando, o que eu não aguento é fã DEFENDO a sexualidade dos outros. Really? Dica para a sociedade: a não ser que você tenha uma câmera no cu dos outros, parem de afirmar ou negar a sexualidade de seus ídolos.

Já enquanto filmavam a família dele, diferentemente de todos os outros finalistas, eles reuniram um pequeno grupo para a torcida e em um local fechado. Acredito eu, que isso para não fazer com que Sam perdesse muitos votos durante o programa com a galera na rua reunida (tendo em vista que grande parte dos votos aconteceu durante o programa ao vivo). Além disso, os parentes dele dando entrevista mais a música cantada por ele me fez questionar se não o núcleo evangélico da novela Amor à Vida.

Lulu Santos e Pedro Lima



Música: "Sócio do Amor" - Lulu Santos

A novidade dessa temporada eram os duetos dos técnicos com seus finalistas. Entretanto, não sei se podemos chamar de dueto a apresentação de Lulu com Pedro, já que se bobear Pedro cantou menos que a Backing Vocal da banda. Confesso que o som do microfone dele estava tão baixo que se ele tiver mandando todo mundo a merda ao invés de cantar, ninguém notaria. Tudo bem que talvez fosse difícil encontrar um tom ideal para os dois, mas eu achei que o momento merecia mais espaço ao Pedro, e Lulu ficou parecendo adolescente invejoso querendo chamar mais atenção que o aniversariante. Lulu, nada contra você querer divulgar sua nova música, mas seu momento não é esse. Achei deslegante, apesar da apresentação ter ficado legal em comparação as últimas de Lulu. Além de que, a previsão da noite era de tantos gritos que meus ouvidos até não acharam totalmente ruim. 


Pedro Lima



Música: "Me Dê Motivo" - Tim Maia

Confundindo o programa com o especial do Tim Maia, Pedro Lima cantou mais uma do mesmo na noite. Nas cenas em que recebe o convite para o programa, foi possível notar duas coisas: primeiro que ele não usava o bigode, ou seja, foi um artificio usado justamente para o programa, além de ter abandonado o corte de cabelo de jogador de futebol no início da carreira. Segundo, o grito que a mãe dele deu quando ele soube que entraria no programa foi tão agudo, que descobrimos quem ele puxou. Vi muita gente reclamando que na final todos estavam desafinados, mas então eu sou um público muito fácil de agradar, já que não notei tanto desafino assim. O melhor foi ao entrevistar os parentes, a mulher viciada em Criminal Case, soltou a seguinte pérola: "Claro que eu gostei da apresentação dele, mas eu sou vitima para falar." É suspeita, minha senhora. Quando Lulu foi defender o porquê Pedro merecia ganhar, foi interrompido por Claudia Leitte, que estava levando ao pé da letra mesmo a sua nova música: Claudinha Bagaçeira Bagunceira.

Claudia Leitte e Sam Alves




Música: "A Camisa e o Botão"/"Claudinha Bagunceira" - Claudia Leitte

Se tem uma coisa que eu odeio é de gente que fala de si mesmo na terceira pessoa. A segunda coisa que mais odeio é gente que se auto adjetiva. E Claudinha conseguiu fazer isso no melhor estilo Mirla Sapeca/Moleca*.


* Para quem não se lembra, Mirla no BBB9 era uma planta, e na hora de pedir para ficar na casa soltava a pérola: "Eu sou essa Mirla, menina, moleca, sapeca." Mas pelo visto, não sou só eu que me lembro.



Claudia, diferente de Lulu Santos, aproveitou a oportunidade para divulgar sua nova música, mas deu espaço também também para seu finalista, fazendo um dueto muito bonito e uma pré-propaganda dos ovos de páscoa da Lacta, já que Claudinha tava de Ouro Branco e Sam Alves optou pelo Diamante Negro básico.


Luiza Possi, Maria Gadu e Gaby Amarantos




Música: "Se Você Pensa" - Roberto Carlos

Vestidas de Bruxas do filme "Abracadabra", Luiza Possi estava estranhíssima, com o rosto de quem trabalhou o ano na lavoura e ao menos nessa foto ficou a cara da Tata Werneck imitando a Roxanne. Um conselho, Lú, devolva a base e o pó de Gaby. Só sei que apesar de gostar de todas como cantoras, em um número assim, é inevitável a comparação entre elas, e senti a Gaby com melhor desempenho, força e segurança na voz. Entretanto, como disse, sou fã das três, mas quem não deve ser é a figurinista que resolveu fazer com que elas ficassem cafonissimas, e pior ainda para Gaby, que jogou na cara da galera do Fantástico que o "Medida Certa" não deu certo. E fica uma dica para Gadu: Pegue umas aulinhas de dança, sei que seu estilo musical não exige isso, mas você estava igual uma tia-velha dançado.

Lucy Alves




Música: "De Volta pro Aconchego" - Dominguinhos

Um dos argumentos usados por Carlinhos para defender Lucy, era o fato dela ser a única mulher na final e as dificuldades em chegar ali. Cláudia - A Bagaçeira Bagunceira, novamente interrompeu, já que estava alteradíssima na iminência de ser tornar a técnica vencedora. Lucy teve uma oportunidade única: não somente de cantar com a sua banda, mas de cantar com sua família, já que o "Clã Brasil", banda da qual faz parte é formada por seus parentes. Veja se não era uma cena extremamente fofa, ver sua mãe tocando triangulo e seu pai tocando violão? Entretanto, algumas pessoas consideraram um tanto quanto apelativo esse artifício, já que comoveria/conquistaria certos telespectadores pela emoção da cena. A apresentação dela foi boa, com exceção de uma irmã/prima que tocava tambor e dançava uns passinhos totalmente fora do ritmo da música e destoando da animação do restante do Clã. Provavelmente, tomou da mesma água que Claudinha (Sinto que os bolhas irão me odiar no fim desse review, mas Milk tava impossível).

Daniel e Rubens Daniel




Música: "Bridge over Troubled Water" - Simon and Garfunkel

Daniel nos deu a graça do seu inglês nível básico 1 da Fisk, e nos provou que além de músico ele que ensinava inglês a Cecília. Ao fundo, um coral (porque agora todo mundo canta com coral) que na falta de roupa para todos, foi pedido: venha com a que você quiser. O resultado? Um comercial da Lukscolor já que todas as cores do mundo estavam representadas ali. Não vi grandes erros, mas achei muito chato para uma final, mesmo no fim da música eles disputando no grito, no melhor estilo Gabriel Levan contrariando Preta Gil. Enfim, achei tão chato que deu até saudade de Ana Lonardi.

Gabriella Matos e Jota Quest



Música: "Mandou Bem" - Jota Quest

Imagine você ter as 4 cadeiras viradas numa primeira fase do programa e ser eliminada na fase seguinte? Ai você disputa com outras 11 pessoas a chance de voltar ao programa para cantar uma música e te colocam para fazer participação numa apresentação de Jota Quest! Achei sacanagem! Foi isso o que aconteceu com a Gabriela, eliminada na fase das batalhas, mas vencedora do quadro "Cante Outra Vez" do Caldeirão do Huck. Acho que ela merecia algo melhor. Rogério Flausino, assim como a maioria naquele dia, aproveitou pra lançar sua nova canção, já que ele não tem música nova desde 1808 com a chegada da Família Real ao Brasil. Mas sinceramente? Gostei do número, apesar do único elogio que consigo destinar a eles seja: "esforçados". Só não foi melhor porque o microfone de Rogério estava bem mais alto que o da Gabriella. Fica aqui também meu desejo de melhoras ao Rogério a essa conjuntivite, já que ele não tira esse óculos escuros tem dois programas. Só isso justifica.

Rubens Daniel


Música: "Monte Castelo" - Legião Urbana

GENTE, era impressão minha ou parece que o programa durou uma semana? Em relação a apresentação, eu não sei se foi por eu estar sensibilizado com essa música já que recentemente vi o filme: "Eu te amo, Renato" ou porque Rubens é o meu favorito da final, mas gostei muito da apresentação. Sua entrada podia ser simbolizada com um gif de Inês Brasil sambando, já que ele começou jogando na cara da sociedade que ele também toca piano, apesar de que só os 30 segundos do começo da música (o restante da canção ele ainda está aprendendo)

Obs.: Teve gente no face reclamando que era mais uma música gospel. Porra gente, vocês não conhecem Legião?


Carlinhos Brown, Lucy Alves e Quésia Luz



.
Música: "Você, o Amor e Eu" - Carlinhos Brown ft. Quesia Luz

Que desafino, que terrível. Brown, sei que sua voz não está em julgamento nesse programa, mas você deveria aproveitar esses duetos (ou trio) e explorar mais uma segunda voz. Totalmente desafinado e estranho. Odiei. Outro fato é que essa nova música dele (Isso gente! Era o dia de divulgação das novas músicas de trabalho) foi gravada com uma participante da primeira edição do programa, a Quésia Luz, por isso ela foi chamada para cantar com ele. Entretanto, assim como Lulu, acho que ele pecou em não dar um maior espaço a Lucy em um dos últimos momentos dela de se apresentar ao vivo. Vi, revi, e não consigo achar nem bonitinha a música ou a apresentação. Achei terrível.

Obs.: Se procurar a música gravada em estúdio ela não é tão terrível assim.

Ana Carolina


Música: "Pole Dance" - Ana Carolina

Alguém me explica a necessidade de Ana Carolina cantar num programa que teve simplesmente 15 apresentações (se considerarmos a música que o Sam cantou depois de vencer). Achei ela totalmente fora do contexto. Acredito que na verdade transformaram o camarim numa baldada glbt, e Ana, que agrega valor ao camarote, aproveitou a presença e foi cantar. Aposto que Marcos Feliciano e Silas Malafaia choraram água benta de tantas pessoas para serem [ironia] curadas [/ironia] em um só programa. Mas no fim entendi que ela tava lá para compor o grupo de "mais uma artista lançando uma música nova".


Depois, para a surpresa de ninguém, Sam Alves foi consagrado o vencedor, com direito a Thiago falando de cada finalista e Sam fingindo surpresa e garantindo também um papel na próxima novela das 8.

Sobre a vitória dele, eu já comentei no início, então não tem muito mais o que comentar. Não era meu candidato favorito, mas achei merecido. Também acredito que ainda veremos muito o nome de Sam por ai. 

Para finalizar, quero mandar um abraço a todos que acompanharam meus reviews durante essa temporada, e aos que me xingaram diariamente, acusando que "tento fazer sucesso em cima do sucesso dos outros" (Oi?), isso aqui tudo não é sério, pessoal. Nem é minha profissão! Imagine que sou a tia velha que senta no sofá, ama o programa, mas critica as roupas, cenário, candidatos. Hora ama um, hora ama outro e apesar de não entender nada de música, tem seu próprio gosto musical, que inclusive, é parâmetro para análise, já que tem em mãos o poder de voto. Além disso, tentei não só fazer piadas ou resumir o que aconteceu, tentei explicar o porquê das coisas, das escolhas, das surpresas, sempre pesquisando em e me informando sobre tudo que havia acontecido!

Espero que tenham gostado de ler, assim como eu gostei de escrever!

Até a próxima temporada!

Share on Google Plus

About Vinícius D'Ávila

Viciado em reality show, vive em um mundo paralelo onde acredita veemente que vive em uma especie de "O Show de Truman". Ficou anos em depressão após a morte de Juliet em Lost, mas já superou. Coleciona feijão enlatado na expectativa de um apocalipse zumbi. Seu maior sonho é virar técnico do The Voice, mas não sabe cantar - e nem quer aprender. Não usa óculos, mas achou que ficaria legal estar com esses nessa apresentação.
    Blogger Comment
    Facebook Comment