Switched at Birth 3x05 - Have You Really the Courage?

"Have You Really The Courage?", Henry Clarke, illustration from "The Shepherdess And The Chimney Sweep." 

Eu acabei de ver promo do próximo capítulo e, realmente, não sei o que pensar! Já estava sendo complicado digerir todas as entrelinhas do episódio e não posso esperar pela semana que vem!! O certo é que o drama familiar dos Kennish-Vasquez tem mesclado suas histórias de uma forma tão envolvente que garante protagonismos a todas as personagens em seus determinados núcleos e nos mantém ligados até o último segundo! Um conselho: não pisque!

A temporada tem sido difícil pro John e a produção tem desconstruído a ideia de um casamento perfeito ao enfatizar um matrimônio recente. Toby, enfim, mudou-se e contou com a ajuda do pai e da sogra na mudança. A animação por, finalmente, viver a vida a dois é interrompida quando Nikki pretende ficar mais 6 meses no Peru e não cogita discutir o assunto com ele antes. Pausa: casou pra que, então? A parte boa é que a atriz contou em seu twitter que logo estará de volta e eu acredito que tenha a ver com os acontecimentos da próxima semana. 

Enquanto Kathryn tinha sua ideia original ("40 in your 40s") cancelada pela amiga do Renzo, uma saída informal e algumas doses de álcool a deixam mais solta a fim de contar histórias de bastidores da época em que o marido jogava (e que nem eram dela!). "Real Housewives of Baseball" parece ser tudo o que NY almeja, numa teia de fofocas e polêmicas, mas isto não é do feitio de Kath. Não quero acreditar que ela irá sucumbir ao ego inflado e escrever sobre isso, mas parece fadado a acontecer - só pergunto se mamãe Kennish será hipócrita de desconsiderar a própria história recente... seria um ótimo capítulo final. O Partido Republicano desconvidou o Senador Kennish pra viagem a Nashville e, se antes ele contaria à esposa suas falhas como político, Jennice foi o ombro encontrado pra desabafar. Confiar nossas falhas naqueles que esperam algo de nós é, talvez, uma das coisas mais difíceis; mas esquecemos que estas mesmas pessoas são as mesmas que nos conhecem e entendem nossas vulnerabilidades. John e Jennice engatam uma 'rápida amizade' e tudo culmina num beijo. O.M.F.G! Não é fácil assistir a lenta destruição desse casamento. Não é fácil sentar e ver a falta de diálogo e o distanciamento. Não é fácil enxergar barreiras serem construídas porque, ambos, desaprenderam como chegar mais perto do coração do outro.

"You're a person who has people crushing on you like all the time. What you do?" Ao conhecer Tank, Daphne planta a sementinha da paixão platônica em Bay... por queeeee? O mais irônico é, parafraseando nossa artista, ouvir conselhos de quem "não contou ao Emmett por 8 anos", rs. Eu estou tão cansada desse estereotipo em que homens e mulheres não podem ser, de fato, amigos sem que haja interesse romântico! A amizade deles é uma das coisas mais legais da temporada, desde as conversas e as trocentas referências sobre esportes (o Michael Phelps das artes) até o apoio e ombro amigo nos momentos mais difíceis; Tank tem sido um amigo maravilhoso mas, pelo tom da conversa antes do acidente na casa do Toby, parece que ele não queria estar na 'friendzone'. O que falar dos treinos ou das camisas personalizadas na torcida? O que dizer sobre o cuidado e a preocupação enquanto o curativo era feito? Pra mim, é amizade! E a produção poderia não investir em mais um interesse amoroso ou essas meninas nunca saberão quem, de verdade, são sozinhas.

Sharee nos apresenta seu mundo e uma mãe (Erica Gimpel) com transtorno mental (será que vamos falar de Bipolaridades?!). O comportamento de Sharee é explicado ao passo que ela é quem impede a mãe de ferir a si mesma; praticamente funciona como a adulta da casa... o que é pesado demais pra uma adolescente. Essa situação é deveras complicada, uma vez que Daphne prometeu não 'falar nada sobre o assunto' mas, convenhamos, isto é grande demais pra não ser dito e Regina nos chama atenção com exemplos sobre ela mesma. Fisicamente e emocionalmente, uma jovem não está pronta pra administrar problemas tão sérios por conta própria e, mesmo que Sharee fique indiferente com Daph pela interferência neste assunto, a longo prazo será uma boa atitude tomada; ao passo que, quando precisamos de ajuda, quase sempre não sabemos como ajudar a nós mesmos! SaB costuma ser genial quando tudo fica complicado e, nessas lacunas entre certo e errado, facilidades e dificuldades, encontramos as melhores histórias e, delas, tiramos as maiores lições!

De volta ao fatídico beijo iniciado por Jennice e muuuito longo por parte de John: Regina viu tudo! Ela está vivendo sob "a política da verdade" e não deve demorar a contar pra todos. Os ventos que já estavam soprando forte dão sinal de furacão pra próxima semana. Eu estou muito preocupada e nervosa!! O casamento Kennish já vem fragilizado, depois dessa é que eles não conversam mesmo! E, antes de finalizar, adorei a cena de Bay com o Sr. de Pratt! Precisamos ser relevantes não pelas coisas que fazemos ou sabemos, mas por quem somos. Acredito que isso vá motivar nessa menina a um pensar criativo maior do que o usual e, pra nós, fica mais uma reflexão com o selo Switched at Birth - sempre excelente!

Melhores quotes:

Bay: I am a mattress! (...)  Did you see that? I think I understand sports now!

Kathryn: Me and vodka... not the best idea.
Renzo: Then that means it's the best idea!
Share on Google Plus

About Vanessa Reis

Hey 23, call me! (@neereis)
    Blogger Comment
    Facebook Comment